Home / Listas / 10 Animais Que Não Têm Cérebros

10 Animais Que Não Têm Cérebros

O cérebro tem papel fundamental nos seres humanos, além de ser um fator mais que relevante para a nossa sobrevivência, ele ainda rege todos os movimentos do nosso corpo, como andar, sentar, falar, raciocínio, emoções, etc. Por este motivo é quase impossível imaginar a vida sem a presença desse órgão tão importante. Apesar de parecer a mentira mais deslavada do mundo, história de pescador, existe, sim, animais que não precisam do encéfalo para poder sobreviver. Dúvida? Aí vai alguns exemplos. 

Bichos sem cérebro 

1. Pepino do mar 

O pepino do mar não conta com a famosa massa cinzenta, porém, ele possui incríveis mecanismos de defesa. Quando é atacado, o animal pode se assustar e atacar de volta, mirando nas tripas e nos órgãos internos do seu predador. Isso é feito da seguinte forma: ele ejeta tubos pegajosos e longos que saem do seu ânus para prender e matar o predador. Parece que não é preciso de encéfalo para lutar por sua vida, pelo menos não no caso do pepino do mar. 

Pepino do mar
Pepino do mar

2. Estrela do mar 

Apesar da ausência de gânglios ou cérebro, a estrela do mar é capaz de pegar, ver e sentir cheiros. Cada um dos seus braços pode tocar o mundo ao seu redor. Quando um deles “cheira” algo bom para comer, este manda energia para os outros e ela começa a puxar a caça para onde ingere os alimentos. 

Estrela do mar
Estrela do mar

3. Medusa 

A medusa ou água-viva não tem cérebro, o que é meio óbvio, já que ela não possui nenhum órgão interno e é possível ver isso apenas dando uma rápida olhada para ela – tem um corpo transparente. Ao invés de um encéfalo, ela detém uma rede neural, que nada mais é que um sistema de células nervosas enroladas em seu torso. É desta forma que o animal sobrevive. Ela tem 1 milímetro – o equivalente a 100 pés de comprometimento. 

Medusa
Medusa

4. Lírio-do-mar 

Essa criatura se parece com uma samambaia, mas que vive dentro da água. Apesar disso ela é um animal. O bicho vive enraizado no fundo do oceano e pega sua comida por meio de seus braços que lembram penas.

Apesar da aparência frágil, é um indivíduo resistente, tanto que aguenta a pressão de viver a 20 mil pés abaixo da superfície. Com certeza não é para qualquer um. 

Lírio-do-mar
Lírio-do-mar

5. Esponja do mar 

Além de não ter um cérebro, a esponja do mar também não tem sistema nervoso, digestivo ou circulatório. No lugar ele conta com um amontoado de células não atribuídas que podem girar ao redor do seu corpo, virando qualquer tipo de célula que o animal precisa naquele momento. 

E quer saber um fato interessante sobre ela: mesmo não tendo nenhum órgão interno, a estrela do mar consegue espirrar. Curioso, não? Quando percebem algum tipo de irritação, a esponja inala água e, em seguida, retrai seu corpo, e espirra na fonte da sua “alergia”. Essa reação pode durar cerca de 60 minutos. 

Esponja do mar
Esponja do mar

6. Coral 

Conhecido por criar uma estrutura de recifes super coloridos,  composta de pedaços de um pequeno coral que morreu e deixou sua concha para trás, ligada ao seu companheiro ao lado, mesmo não tendo um cérebro, é um indivíduo guerreiro. Quando um predador chega muito perto, ou quando dois leitos de coral crescem no território alheio, o pólipo lança seus tentáculos para envenenar e machucar o invasor. 

Coral
Coral

7. Ouriço do mar 

O ouriço do mar simplesmente desliza pelo oceano a procura de comida. Quando não se tem cérebro, não se tem planejamento. Ele também não se preocupa em se defender, e para que, não é? Afinal, seu próprio corpo é uma autodefesa – coberto de espinhos venenosos. 

Ouriço do mar
Ouriço do mar

8. Anêmona do mar 

No lugar de um sistema nervoso central, a anêmona possui uma rede neural que a mantém a procura de comida. Ela apanha animais que estão de passagem com seus tentáculos venenosos, paralisando e depois comendo a presa. Após se alimentar, ela joga o que não é consumível, ou seja, o “lixo” pela mesma abertura por onde se alimentou. Isso porque ela não tem uma câmara digestiva, então sua boca na verdade também é seu ânus. 

Anêmona do mar
Anêmona do mar

9. Caravela-portuguesa 

Também chamada de garrafa azul – devido ao seu saco azul transparente que flutua na superfície – essa criatura na verdade é uma espécie de colônia de pólipos que se juntam e daí dão origem a caravela-portuguesa. Os indivíduos que formam esse bicho do mar se concentra em se defender, sobreviver, reproduzir e se alimentar, apenas. As partes vivas desse animal nascem juntas e permanecem ligadas pelo resto da vida. 

Caravela-portuguesa
Caravela-portuguesa

10. Urochordata 

Parecidos com palhas infláveis, o urochordata é um alimentador de filtro. E ele não é totalmente um indivíduo sem cérebro, isso porque ele possui um encéfalo quando nasce. Mas este some quando ele começa a crescer. 

O bebê dessa criatura parece um girino, com uma massa cinzenta minúscula e um olho, mas não tem uma entrada para comida. Ele viaja até o fundo do oceano, onde se liga a outros, tornando-se um adulto. Nesta fase, ele absorve seu olho, cauda e cérebro, que agora é inútil. 

Urochordata
Urochordata

Como esses animais conseguem viver sem cérebro? 

Na verdade, o termo “sem cérebro” não é o termo correto a ser usado. Não é que esses indivíduos não tem encéfalo. Na realidade, podemos dizer que eles possuem um sistema neural diferente do nosso e de outros indivíduos com este órgão. Como é o caso dos bichos unicelulares, por exemplo. Eles detém uma coordenação sistemática neural até que simples que os fazem sobreviver. Sendo assim, poderíamos chamar esse sistema de cérebro, em todo o caso, o encéfalo deste bicho em específico. 

Algumas curiosidades 

Enquanto algumas espécies não contam com a “massa cinzenta”, alguns possuem mais de um, como do caso da sanguessuga, por exemplo. Ela tem um total de 32 encéfalos. Já a aranha tem partes deste órgão em suas patas, já que este é muito grande e não cabe na sua cabeça pequena. 

E ainda tem aqueles que se alimentam por esta região, como é o caso da lula gigante. 

O mundo animal nunca deixa de nos surpreender. Não esqueça de compartilhar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *