Home / Listas / 3 Espécies de Toupeiras Que Existem

3 Espécies de Toupeiras Que Existem

Você já ouviu falar da toupeira? Ela é um mamífero que pertence a ordem Soricomorpha. Mas aquelas que são considerados as verdadeiras espécimes pertencem a família Talpidae – vamos explicar isso logo mais abaixo -. 

O nome Talpidae vem de uma palavra latina, talpa, que pode ser traduzido como “escavador”, remetendo a principal característica do animal, dando origem ao seu nome. 

É um indivíduo fossorial, ou seja, passa boa parte da sua vida embaixo da terra, cavando túneis.

Devido a essa característica, sua visão não é tão desenvolvida. Porém, tem membros anteriores bem fortes, assim como uma firme musculatura e unhas grandes, fazendo que a toupeira seja um exímio cavador. Ela também possui um polegar extra, chamado de prepólex. 

Alimentação

Sua alimentação se baseia em pequenos invertebrados, principalmente minhocas, formigas e cupins. O bicho tem o costume de guardar uma certa quantidade de comida para se alimentar depois, tendo câmaras com uma infinidade desses animais. Já foi descoberto uma dispensa com cerca de mil criaturas vivas e guardadas. 

Isso é possível graças a uma toxina presente em sua saliva que paralisa a minhoca, fazendo com que esta permaneça neste estado até o seu consumo. Mas ela também se alimenta de nozes e amêndoas. 

A toupeira-nariz-de-estrela detecta, captura e se alimenta de forma tão rápida que o olho humano não consegue acompanhar tais movimentos. 

Toupeira
Toupeira

Habitat 

Ela pode ser vista na América do Norte, Ásia e Europa, principalmente nas zonas temperadas.  

Apesar de gostar de viver sozinho, ele pode dividir o território com outros da espécie, mas evitam se encontrar. Quando acontece, uma luta ocorre entre os machos. 

Hábitos 

É um indivíduo solitário, e só se junta a outros de sua espécie durante o período de reprodução. 

Ela consegue utilizar o oxigênio de uma forma muito mais eficaz que outros mamíferos, isso porque o animal tem a habilidade de inalar novamente o ar exalado por ele. É um traço muito útil, principalmente por ele passar tanto tempo embaixo da terra. Isso é possível graças a hemoglobina – célula responsável pela troca de gases presente no tecido sanguíneo – existente no bicho. Aliás, ele tem mais afinidade com o oxigênio do que a nós, por exemplo. O que acaba ampliando a capacidade de obter o ar em ambientes rarefeitos, como regiões subterrâneas. A criatura também é mais resistente ao dióxido de carbono. 

Reprodução 

A época de reprodução vai depender da espécie, mas normalmente ocorre de fevereiro a maio. Os machos atraem suas parceiras por meio de guinchos agudos e construindo túneis em regiões desconhecidas. 

O período de gestação costuma durar cerca de 42 dias. Nascem em torno de três a cinco filhotes, entre março e abril. Estes deixam o ninho após 45 dias do seu parto, para encontrar o seu próprio território. 

Tipos de toupeira 

Apesar de dar a impressão de nomear apenas um animal, a palavra toupeira abrange uma razoável quantidade de bichos que se encaixam dentro desse grupo. E nós vamos conhecê-los logo abaixo. 

Toupeira-européia (Talpa europaea) 

Talpa europaea
Talpa europaea

É a espécie mais conhecida da toupeira. Uma criatura de pequeno porte, medindo cerca de 17 centímetros de comprimento e pesando 130 gramas. Tem um corpo de pelo cinza e membros anteriores bem desenvolvidos, mais que os superiores. Seu focinho é alongado e tem uma cauda curta. 

Toupeira-nariz-de-estrela (Condylura cristata) 

Condylura cristata
Condylura cristata

Provavelmente é a espécime com o visual mais “diferente”. Recebe esse nome por ter a ponta do seu nariz em formato de estrela, que nada verdade é o órgão que chamamos de Éimer. Esse membro tem 22 receptores sensoriais, ampliando o tato da toupeira. O que facilita o seu descolamento e a ajuda a saber onde ela está, principalmente quando se encontra em ambientes escuros, onde passa a maior parte do seu tempo. 

Seu comprimento é bem parecido com a espécie anterior, com ela podendo chegar aos 20 centímetros de comprimento, mas é mais leve do que a europeia, pesando apenas 56 gramas. Tem pelo acinzentado e uma cauda mais longa. 

Toupeiras “falsas”

Bathyergidae
Bathyergidae

Os dois animais citados acima são considerados as verdadeiras toupeiras, mas outras criaturas levam o mesmo nome como no caso dos roedores Bathyergidae e Spalacidae, que são chamados assim por ter os mesmos hábitos fossoriais que a criatura. 

O Rato-toupeira-pelado e o grande-rato-toupeira também são denominados desta forma, mas não tem nenhuma característica evolutiva que os liguem aos membros da família Talpidae. 

Também fazem parte desse grupo a toupeira-dourada, da África meridional, e a toupeira-marsupial, da Austrália. Elas são mais parecidas com as verdadeiras, mas é possível distingui-las do filo original devido a presença de manchas em seus narizes, que tem um formato de pá. Estes são usados em conjunto com suas patas facilitando a locomoção do indivíduo em solos arenosos. 

Ameaças 

As maiores ameaças a criatura remete ao passado, onde o bicho era caçado por causa da sua pele. Ela também já foi considerada uma praga agrícola, por cavar buracos. Devido a isso, caça ainda é vista em algumas comunidades rurais, dando-se a desculpa que a criatura realiza estragos nas plantações. Mas não passa de mito e falta de conhecimento sobre a toupeira que, na verdade, não causa nenhum dano significativo nessas regiões. 

Na realidade, é totalmente o oposto. O seu hábito de cavar o solo faz com que este absorva com mais facilidade os compostos orgânicos, deixando a terra mais nutritiva para as plantas. Ou seja, mais uma vez, animais são mortos devido a “ignorância” dos seres humanos. 

Sobre sua pele, ela tem uma textura aveludada que não é encontrada em animais que vivem na superfície. Seu couro também é macio e maleável. Em decorrência disso, o bicho foi muito capturado antigamente. Quem começou essa moda de roupas com pele de toupeira foi a rainha Alexandra, mulher do Eduardo VII do Reino Unido. A vestimenta virou febre e o que então era considerado uma praga na Escócia, acabou virando uma atividade muito lucrativa para o país. 

Enquanto é morta em diversos lugares do mundo, na Alemanha o bicho é protegido por lei e só pode ser abatido mediante a uma autorização.

Gostou de saber mais sobre a toupeira? Não esqueça de compartilhar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *