Home / Listas / 12 Fatos Do Caracol Que Você Não Sabia

12 Fatos Do Caracol Que Você Não Sabia

Já ouviu falar do caracol, certo? Não está conseguindo ligar o nome a pessoa, quer dizer, ao animal? Vou te dar um exemplo que com certeza vai fazer você lembrar e perceber que “conhece” sim esse bicho. Sabe o Gary, o pet de estimação do Bob Esponja? Então, ele faz parte desse grupo. Se você não descobriu isso pelas características, vai pelo nome: Gary Caracol. Mas o amigo do calça quadrada é apenas um dos três conjuntos que existem. Dois vivem na água, mas um na doce e, o outro, na salgada. O terceiro habita regiões terrestres. Todos eles são moluscos gastrópodes. 

  1. Respiração 

Morando em diferentes ambientes, é compressível que a respiração de cada um não seja a mesma que a do outro. Eles podem apresentar pulmões, guelras e até brânquias, como é o caso dos que moram em terra. 

  1. Sem casco 

E qual é a maior característica do caracol? Seu casco, obviamente. Tem alguma outras, mas vamos chegar lá. Porém, existe um animal que é bem parecido com este, mas não apresenta esse exoesqueleto sólido. Sabe de quem estou falando? Dela mesma, nossa amiguinha não tão adorada, lesma. Se você colocar os dois, lado a lado, poderá notar algumas semelhanças. 

Lesma
Lesma
  1. Dentes microscópios 

A maioria dos membros desse grupo tem um estatura relativamente pequena, por isso, fica meio difícil imaginar que ele detém dentes. Pois o bicho tem, e não um, mas milhares. Porém, não podemos vê-los porque são microscópios. Estes estão localizados na língua do indivíduo, que exibe um formato de fita e é chamada de rádula. Ele captura a comida e com os milhares de dentinhos invisíveis a olho nu, rasga o alimento em vários pedacinhos. 

E falando nisso, a grande maioria se alimenta de vegetação, como folhas, caules e flores. Estes são herbívoros.
Mas espécies maiores e também as marinhas podem ter uma dieta onívora – predador – ou até mesmo carnívora. 

  1. Grandões, mas lentos 

Como eu disse em algum momento do texto, muitos deles apresenta um comprimento até pequeno, mas alguns se destacam por serem grandes, como é o caso do caracol terrestre africano. Este chega a medir 38 centímetros de comprimento e pesar até um quilo. Ave Maria, imagina ver um desses de perto. Confesso que não sou muito fã de animais que se rastejam, ainda mais animais que se rastejam e são grandes.
Já no ambiente marinho, esse posto pertence ao Syrinx aruanus. Só sua concha pode atingir 90 centímetros de comprimento. O peso então, é de cair para trás: 18 quilogramas. 

Mas mesmo com esse tamanho todo, eles não são muito rápidos. O do tipo jardim, alcança uma velocidade de 45 quilômetros por hora. Em decorrência disso, ele é considerado um dos seres mais lentos da terra. Por isso que muitos usam o termo “ritmo de caracol” para dizer quando algo é feito de forma devagar e, muitas vezes, ineficiente.
Para se ter ideia, se ele quisesse escalar uma pessoa com 1,80, ele levaria 21 minutos dos pés a cabeça do indivíduo. 

Caracol
Caracol
  1. Lubrificante natural 

Sabe aquela meleca que a lesma deixa por onde passa? O caracol também faz isso, mas tem um motivo. Essa substância na verdade é muco, que lubrifica o caminho, diminuindo o atrito entre o corpo dele e a superfície. E sabia que essa “melequinha” faz com que o bicho seja capaz de andar de cabeça para baixo? Legal, não é. Meio nojento, mas ainda legal.

  1. Tempo de vida 

Podem até viver bastante. A idade média deles varia de 5 a 25 anos. 

  1. Praga na agricultura

O caracol de jardim comum é uma praga na agricultura, isso porque ele se alimenta de folhas e caules de plantações, o que causa grande prejuízo aos agricultores. 

Caracol
Caracol
  1. Iguaria na culinária

Gosto é realmente algo que não se discute. Esse animal é considerado uma iguaria na culinária francesa. O prato servido com o caracol é chamado de escargot. Você com certeza já deve ter visto em filme. A pessoa normalmente segura o bicho com uma colher que manter ele no lugar, enquanto enfia uma espécie de espeto dentro do casco para retirar o que seria o corpo da criatura para comer. Mas ele também é consumido em outros países e normalmente é servido frito. Eca! 

Prefiro meu dogão de cinco reais do tiozinho da esquina. 

  1. Pezinho 

Pela forma como se deslocam, fica difícil imaginar – e ver -, mas eles têm pé sim. Mas apenas um. Esse se contrai ou distende, empurrando o corpo do bicho para frente. É preciso vê-lo bem de perto para conseguir identificar esse traço. 

  1. Mini cérebro 

O casco do caracol tem várias funções, além de ser sua casa e ele poder se esconder lá dentro quando está com medo, e ela que guarda todos os seus órgão, como rim, fígado, pulmão, coração e cérebro. E este último é muito pequeno, sério. Nem pode ser chamado assim. Na verdade, ele não passa de um gânglio cerebral. E sabe com quantos neurônios ele conta para tomar decisões difíceis? Apenas dois. Espero que isso seja o bastante. 

Caracol
Caracol
  1. Parente dos dinossauros 

Existem registros que comprovam que antepassados do caracol já andava por aqui há milhares de anos atrás, lado a lado com os dinos. Já era possível observar caramujos na era Paleozóica, de 540 a 250 milhões. Sendo que os dinossauros, da forma que nos conhecemos, só surgiram na era seguinte, na Mesozóica, entre 250 a 65,5 milhões de anos. Está vendo, devagar se vai longe. 

  1. Traços físicos

Além dos casco, ele é muito conhecido pelas anteninhas. Você pode vê-las no Gary. Mas ele não tem apenas duas, mas, sim, quatro. Em um par está seus olhos, e nas outras é como se elas fossem ouvidos, que ajudam o animal a sentir o ambiente. Mas só para deixar claro que ele não ouve nada.
Sua boca fica ao lado dos órgãos reprodutores.
Ele adora locais úmidos e protegidos, por causa disso, seu jardim é um lugar perfeito para ele. Aqui em casa mesmo já vi vários. Eles são bem pequenos. 

Gostou? Não deixe de compartilhar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *