Home / Listas / 11 Fatos Sobre o Pinguim 

11 Fatos Sobre o Pinguim 

Os pinguins são super fofinhos, não é? Tem um andar super engraçado e desengonçado, que é a características desse grupo, deixando-os ainda mais encantadores. 

Vamos conhecê-los melhor?

  1. Pássaros que não voam

Já comentei isso aqui antes, mas existem pássaros que não voam. E este é caso dos pinguins. Eles fazem do grupo das aves, mas não tem essa capacidade. Estranho, não é?

Ao invés disso, o local que seria suas asas foram adaptadas em nadadeiras, que ajuda o bicho a nadar, já que ele costuma viver nas regiões com água, com um maior número vivendo na região do hemisfério sul, apesar de outros serem vistos na nova Zelândia, Austrália, Chile, Argentina, África do Sul e até no Equador, apesar de só o galapago se aventurar por lá. Ah, e ao contrário do que se pode pensar, nenhum deles mora no Polo Norte. 

Aliás, o fato deles saberem nadar é importante, já que passam a metade do tempo neste local, e outra metade, em terra. 

  1. Dieta 

A dieta deste animal é composta basicamente de peixes e outros seres marinhos, que captura embaixo d’água.
Ah, e sabia que eles podem beber água do mar? Um coisa que não é recomendado para outros seres vivos devido a salinidade desta. 

Mas, existe um truque por trás disso. Eles eliminam o sal encontrado no líquido. Isso é possível graças a presença de uma glândula atrás de seus olhos, que filtra a substância. Elas eliminam essa esta pelo bico ou espirrando. 

Pinguim 
Pinguim
  1. Sobre algumas espécies 

O Pinguim-imperador é a espécie mais alta entre todas. Ele tem uma altura de mais ou menos um metro e 20 centímetros de altura.
Exibe a capacidade ficar debaixo d’água por mais de 20 minutos, de uma só vez. Além disso, consegue mergulhar bem fundo, cerca de 300 metros. A região é tão profunda que por lá não chega nem a luz do sol.
Se por um acaso for dar um passeio na Antártica e ver um grupo desses amontoados, é normal. Eles fazem isso para se aquecerem, já que a região pode ser bem fria, para dizer o mínimo.

O segundo colocado na lista de grandões é o pinguim-rei. Uma curiosidade sobre ele é que o indivíduo apresenta quatro camadas de penas que o protege das baixas temperaturas das ilhas subantárticas, local onde se reproduzem. 

Já o Chinstrap é considerado um dos mais agressivos. Além da sua personalidade forte, ele é reconhecido pela fina faixa preta que tem na cabeça, dando a impressão de que ele está usando um capacete.
A colocação de menor animal desse grupo pertence ao pinguim azul, que mede algo em torno de 33 centímetros de altura.
O de crista é diferenciado dos outros por ter uma crista amarela, assim como olhos vermelhos. 

O de globos amarelos ou Hoiho, estão em extinção. Endêmicos da Nova Zelândia, acredita-se que, atualmente, sua população não passa de quatro mil indivíduos. 

Os pinguins que moram na Antártica não tem predadores naturais terrestres. 

E apesar de só viveram no hemisfério sul, tem um que dá um olá em terras brasileiras. É o Magalhães, que normalmente vem para cá por causa das correntes frias ou por acidente, como tempestades. 

Pinguim-imperador
Pinguim-imperador
  1. Camuflagem

A coloração pelo qual é conhecido, preto e branco, tem uma importante funcionalidade: camuflagem. Esta é usada principalmente na água. Enquanto este está nadando, a plumagem preta nas costas faz com que seja difícil de ver ele por cima, já a branca na frente da impressão aos predadores marinhos de que se trata do reflexo da luz do sol na superfície da água. Algo parecido é visto entre os tubarões. 

  1. Companheiros fiéis

Mais um indivíduo que está na lista de seres monogâmicos. Estes passam a vida inteira com o mesmo parceiro. Só ocorre uma troca de companheiro em duas situações: quando um deles é infértil ou morre. 

  1. Proteção das penas 

Como dito, o pinguim é uma ave que não voa. Mas apesar disso e do fato de que ele passa a maior parte do dia na água, ele exibe todas as características de um pássaro, como bicos e penas. E já que é um nadador, precisa de uma ajuda para conseguir mergulhar sem ficar com o corpo pesado por causa da plumagem. Para resistir ao mergulho e a água, ele impermeabiliza suas penas com uma substância oleosa que retira da sua cloaca. A espalha pelo corpo com o auxílio do seu bico. 

Mesmo não batendo asas, podemos dizer que eles voam na água. Um bicho desses pode chegar a 40 quilômetros por hora durante essa atividade. Demais, né. Também conseguem correr bem rápido, se preciso, mesmo que ele tenha um andar meio desengonçado. 

Penas do pinguim
Penas do pinguim
  1. Paternidade 

Este bicho bota seus ovos em praias rochosas e são os machos que olha os filhotes enquanto a fêmea sai para se alimentar.
Está mais que certo, afinal, ela não fez sozinha, né. 

  1. Pré histórico 

Como dito, o imperador é o maior espécime que existe, porém, um outro mais alto que ele já viveu por aqui. Acredita-se que esse bicho chegava aos 2 metros de altura. Mas ele está extinto. Essa versão morou na terra há mais de 60 milhões de anos atrás. 

  1. Visão subaquática 

Por se tratar de um ser marinho, é compressível que ele enxergue muito melhor na água do que em terra, e é isso que ocorre com os pinguins. Por causa dessa super visão, é capaz de predar inclusive em águas turvas e escuras. 

Pinguim nadando
Pinguim nadando
  1. Mudança 

Diferente de outros pássaros que perdem e repõem uma pena de cada vez, o pinguim faz isso de uma vez só. Esse metamorfose é chamada de mudança catastrófica. Isso ocorre durante duas ou três semanas, em que ele fica confinado na terra. 

  1. Boa memória 

Além de ser fiel ao parceiro, este ser também se mantem leal ao local onde faz seu ninho, que normalmente é feito no lugar onde eles nasceram. Isso que é memória boa. Eu não lembro nem o que eu comi no almoço, quarta passada. 

Gostou? Não esqueça de compartilhar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *