Home / Listas / 10 Fatos Sobre o Hipopótamo 

10 Fatos Sobre o Hipopótamo 

Esse grandão é um morador da África e pode ser mais perigoso do que se imagina, podendo matar alguém tanto com sua mordida ou apenas com o seu peso. Vamos conhecer melhor esse indivíduo logo abaixo. 

  1. Sobre hipopótamo

Como dito, o hipopótamo é endêmico da África.
Seu nome recebe uma tradução livre que significa “cavalo do rio”. É comum abreviar o nome para “hipo”.
E sabia que ele é considerado um dos maiores mamíferos terrestres? Na verdade, são chamados de semi-aquático.
A criatura está atrás apenas do rinoceronte branco e do elefante africano. Ele fica na mesma colocação quando falamos do seu peso. Um adulto pesa algo em torno de 1,5 a 3 toneladas. 

Mas apesar de ser um animal do solo, ele passa muito tempo na água, principalmente em rios, lagos e pântanos. Isso ocorre pois precisa manter sua temperatura baixa, coisa que a água ajuda ele a fazer. Assim como para guardar energia. Quando não acham um local, recorrem, então, a lama.
Aliás, eles também têm seus filhotes nessa nascente. O acasalamento ocorre igualmente neste local. Isso muda apenas para o pigmeu, que pode ter os bebês tanto na água, quando na terra. 

É conhecido por ser um bicho de pernas curtas, um corpo em forma de barril e uma boca enorme. E é aí que mora o perigo.
Sua expectativa de vida é bem alta, pode chegar aos 45 anos de idade. Isso se os caçadores deixarem. Por causa da caça exacerbada para usar a carne e os dentes do indivíduo, ele corre risco de extinção. A destruição do seu habitat também contribui para isso.
Um grupo de hipopótamo é chamado de rebanho, pod ou dale.

Ao todo, existem apenas duas espécies desse grandão: o comum e o pigmeu. Porém, outras já existiriam, mas estão em extinção atualmente. 

  1. Parentes estranhos 

Você consegue imaginar qual é o parente mais próximo do hipopótamo? Bom, como faz parte do grupo dos mamíferos, existem inúmeras possibilidades. Mas, acredite se quiser, devido a suas características, ele está mais próximo dos cetáceos, ou seja, subgrupo que abriga as baleias e os golfinhos. Você acha eles parecidos? 

Aliás, ele não só tem parentes um tanto quanto improváveis, quanto antigos. Acredita-se que os primeiros exemplares desse bicho apareceu há cerca de 55 milhões de anos atrás, advindo da transformações causadas pela evolução. Como aconteceu com diversos animais, aliás. Inclusive com seus primos, como a baleia. 

Hipopótamo 
Hipopótamo
  1. Rápido e perigoso 

Quem vê esse indivíduo gordinho e com orelhinhas pequenas não imagina o quão perigoso ele pode ser. Incisive, mesmo com todo o seu peso, ele pode facilmente superar um ser humano numa corrida. O ser alcança uma velocidade de 30 quilômetros por hora. Ou seja, você dificilmente escaparia dele nessa disputa. 

Além disso, se tornam extremamente agressivos se se sentirem ameaçados. Em decorrência disso, é considerado um dos bichos mais perigosos da África e um dos mais mortais do mundo. Acredita-se que por ano a espécie mata 500 pessoas. 

Apesar disso, não é um carnívoro e sua dieta é composta principalmente de grama. Eles saem da água a noite para procurar comida. 

  1. Uma laço forte com a água 

De tudo que foi dito sobre a água e o hipopótamo, podemos dizer que o animal tem uma forte relação com essa substância. Não é a toa que quando estão em um rio, lago ou pântano, se torna super territorialista. Porém, a sua atitude é completamente outra quando está em terra, andando livremente, sem entrar em conflito com outros. 

Em decorrência disso, obviamente que ele marca seu território, e não de uma forma muito higiênica, digamos assim. Com certeza você não vai querer estar perto enquanto ele estiver fazendo isso. Para demarcar sua região, ele defeca, ao mesmo tempo que gira seu rabo. Ou seja, voa bosta para tudo que é lado. Acho que o ditado “merda no ventilador” nunca foi tão representado. Ao fazer isso, a criatura marca uma grande região. 

  1. Ágil até debaixo d’água

Já falamos como ele pode ser rápido. E, por mais improvável que pareça, o animal também consegue ser veloz dentro d’água. Isso ocorre devido a menor gravidade no local, o que automaticamente reduz o peso do seu corpo. 

  1. Crescendo sem parar 

O hipopótamo passa metade da sua vida crescendo. O que quer dizer que ele estica até os 25 anos, podendo viver até os 50. 

  1. Super velhos 

Apesar disso, sempre tem aquele indivíduo que ultrapassa a idade mínima, e foi isso que aconteceu com dois seres. A mais velha do mundo se chamava Donna e viveu até os 61 anos. Ela morava em um zoológico em Indiana, nos Estados Unidos. Existe, porém, registro de outro espécime que vivia na Alemanha, chamado Tanga, que chegou na mesma faixa etária. 

Hipopótamo 
Hipopótamo
  1. Protetor solar natural

É comum ver marcas vermelhas no corpo do hipopótamo. A maioria das pessoas acredita se tratar de vestígios de sangue e até suor. Na realidade, não é nem um e nem outro. Isso na realidade é uma espécie de protetor solar natural que ele produz para se proteger do sol e do calor. Morando na África, é realmente necessário. 

  1. Respirando dormindo

Respirar é algo automático para a gente, e para o hipopótamo também é. Tanto que ele faz isso sem acordar. Quando está dormindo embaixo d’água, ele vem a superfície fazer isso sem despertar. Esse processo é repetido a cada três a cinco minutos.

  1. Hipopótamos na Colômbia 

Como já falamos aqui, o hipopótamo é original da África, apesar de ser visto em outros locais. Isso é possível porque nesses outros países eles vivem em cativeiro. Mas, na natureza, isso só acontece no continente africano, além da Colômbia. Tal fato ocorreu graças ao governo colombiano e a Pablo Escobar. Quem conhece um pouco da história do traficante ou viu a série Narcos, sabe que Pablo tinha um fazenda com vários bichos selvagens e exóticos, e este estava na lista. Quando ele foi morto em 1993, o governo aprendeu todos os seus bens, incluindo os animais. Porém, eles deixaram os hipopótamos para trás. Estes conseguiram sobreviver na natureza ao acharam uma nascente de água para viver e crescer. Com isso, atualmente, existem cerca de 40 a 60 deles vivendo na natureza colombiana. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *