Home / Informações / Urso Polar: Curiosidades

Urso Polar: Curiosidades

Urso polar ou também conhecido como urso branco, é um mamífero carnívoro da família Ursidae. É animal de bastante presença em diversos aspectos. Está presente em desenhos animados, comerciais de marcas famosas como do refrigerante Coca Colla, etc. Mergulhe sobre as curiosidades e hábitos sobre este incrível animal. Conheça!

Urso Polar 
Urso Polar

Características Do Urso Polar

Medindo cerca de 1 a 1,5 metros quando está em 4 patas e quase 3 metros quando está de pé, o urso polar é a maior espécie de urso de nosso planeta, sendo também o maior carnívoro terrestre atualmente. Os ursos polares vivem em torno de 15 a 20 anos. Um urso-polar macho atinge até 450 quilos quando adulto, já a fêmea fica entre 150 e 250 quilos, também quando adulta.

A pelagem do urso polar não é branca como geralmente se pensa, e sim transparente, aparentando ser branca devida a luz refratada em seus fios. Essa pelagem também pode aparentar um pouco amarelada ou até acinzentada devida à oxidação provocada pelo sol forte.

Os ursos polares por baixo de toda sua pelagem, apresentam a pele preta, a qual os auxilia na melhor absorção do calor solar.

Habitat

Os ursos polares são encontrados nos países que circundam o Círculo Polar Ártico, sendo eles Canadá, Rússia, Estados Unidos (Alasca), Groenlândia e Noruega. Quando o frio está extremo, eles se abrigam em tocas naturais de neve.

Nos anos 60 e 70 os pesquisadores começaram a obter as informações sobre toda estrutura das populações dispersas nesse ártico e sobre a movimentação realizada. A primeira tabela sobre populações e subpopulações do urso polar se deu em 1993, durante o encontro da “IUCN’s Polar Bear Specialist Group”.

Alimentação

Basicamente se alimentam de focas, pois elas têm a carne gordurosa necessária para sobrevivência e manutenção da temperatura do corpo dos ursos polares. Caso as focas estejam difíceis de serem encontradas por eles, também se alimentam de peixes, ovos, vegetais, roedores, aves, frutas, renas e até lixo de nós humanos.

Reprodução

O sistema de reprodução dos ursos polares é poligâmico, chegando até a promiscuidade. Machos e fêmeas permanecem juntos durante um curto período de receptividade das fêmeas, não havendo nenhum outro vínculo entre os sexos após o ato reprodutivo. Essa estação reprodutiva ocorre no final do inverno e início da primavera, março até junho.

Como as fêmeas passam muito tempo com seus filhotes, acaba-se ocorrendo rivalidade entre os machos nos períodos de receptividade delas, sendo mais ou menos três machos para cada fêmea no cio, causando a formação de hierarquias de dominância, cheia de combates resultando em mordidas, escoriações e dente quebrados, principalmente os caninos.

O óvulo fecundado é implantado de forma retardada até agosto ou setembro, no outono, sendo esse período o que a fêmea mais se alimenta, tendo ganho de peso chegando na marca de 200 quilos, mais do que duplicando seu peso corporal normal.

As fêmeas de urso polar ficam prontas para reprodução a partir dos seus quatro anos de idade, sendo que sua gestação dura cerca de 230 dias, variado de 195 a 265 dias.

Como preparação para essa gestação, a fêmea cava um buraco profundo na neve para se isolar dos perigos por causa da vulnerabilidade dos filhotes ao nascer, que em suma maioria dos casos nascem gêmeos e vivem com a mão durante cerca de 28 meses para aprender todas as habilidades de sobrevivência nas condições climáticas que se encontram.

Toda essa gestação é feita solitariamente pelas fêmeas, os machos da espécie nunca acompanham após o ato sexual.

Natação

Os ursos polares são excelentes nadadores, e devido ao constante aumento no derretimento do gelo em seu habitat natural, eles já chegam a nadar distâncias quilométricas por dia, como foi o caso de uma ursa que por nove dias percorreu 685 quilômetros, distância que equivale a de uma viagem de São Paulo capital para Belo Horizonte em Minas Gerais (que varia entre 603 e 706 quilômetros).

Nomenclatura

Ursus maritimus, e como se pode ver, a tradução obviamente é urso marítimo, enaltecendo seu primor no quesito do nado em mar.

Relação Aos Outros Ursos

Como já dito anteriormente, os ursos polares são maior espécie de ursos do mundo, e além disso também são a única espécie de urso considerada um animal marinho.

Os ursos polares são uma espécie de urso monotípica, ou seja, não têm nenhuma subespécie reconhecida.

História

Fósseis de ursos polares são bem escassos, portanto, sua história evolutiva é bem nebulosa. Registro mais antigo da espécie atualmente é uma mandíbula datada de 130 mil a 110 mil anos, encontrada em Princes Charles Foreland, Svalbard, em 2004.

Em lugares como Groenlândia, Noruega, Suécia, Dinamarca e Canadá temos outros achados de sub-fósseis. Já do sul da Escandinávia, temos exemplares de fósseis de urso polar datadas de um período entre 12500 e 10500 antes do presente, concluindo-se que a distribuição do urso polar foi influenciada pela variação climática durante o Pleistoceno Superior e o Holoceno Inferior.

A mandíbula encontrada em Svalbard, quando comparada a outras espécies de ursos como o pardo e comparada a dos próprios ursos polares, demonstra que o espécime tem as mesmas características que os animais atuais e que possivelmente tratava-se de um macho adulto.

Essa mandíbula também atesta que o urso polar já era uma espécie distinta a pelo menos 110 mil anos, com esse tempo variando de acordo com a metodologia utilizada por diferentes pesquisadores.

Relação Com Os Humanos

Os ursos polares não sentem nenhum medo para com o ser humano, os tornando extremamente perigosos para conosco, predadores implacáveis. Fora isso também não apresentam inimigo algum acima deles na cadeia alimentar de seu habitat, ou seja, são o topo dessa cadeia.

Comportamento

Normalmente os ursos polares são solitários, exceto na época de reprodução e em algumas épocas em que os machos se tornam altamente sociáveis. Isso acontece durante o final da primavera e início do verão, onde se apresenta maior abundância de focas.

Os ursos polares vivem sempre numa área de vida onde se apresenta condições para sua alimentação, reprodução e refúgio. Essas áreas as vezes são divididas com outros ursos.

Se a condição climática continuar favorável, um urso polar pode utilizar uma mesma área ano após ano. No caso das fêmeas, suas áreas de vida se limitam a 200 quilômetros quadrados até no máximo 960 quilômetros quadrados, essa área varia dessa forma pelo tamanho dos filhotes de uma mãe, quanto maiores esses filhotes maiores a área que a mãe percorre com eles.

O tamanho da população dos ursos polares é afetado pela dinâmica do gelo marinho, sendo maiores nas áreas de gelo flutuante e menores no gelo permanente.

Urso Polar Filhote
Urso Polar Filhote

Conservação

Os ursos polares já são classificados como “vulneráveis” pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) desde 2006. Em 2005, ursos polares ainda estavam classificados como “pouco preocupante”, essa categoria se elevou por suspeitas em 30 por cento de redução de sua população no período de três gerações (equivalente a 45 anos).

Essa diminuição está atrelada a caça predatória ocorrida na Groelândia e União Soviética nos anos 30, e nos Estados Unidos nos anos 60 e 70. Por causa desses resultados, um acordo internacional foi alcançado entre as nações que abrigam a espécie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *