Home / Informações / Tudo Sobre Yak: Alimentação e Nome Científico

Tudo Sobre Yak: Alimentação e Nome Científico

O yak é um mamífero pertencente à ordem Artiodactyla, sendo um mamífero ungulado endêmico da região do Himalaia. O yak selvagem é um bovino pertencente à espécie Bos mutus e ancestral da espécie domesticada, Bos grunniens.

Características do Yak 

O yak selvagem é um dos maiores bovídeos do mundo, sendo que um animal adulto pode chegar a 3.2 metros de altura e pesar até mil kg. As fêmeas são menores, apresentando cerca de um terço do peso e são cerca de 30% menores em comprimento e altura. Os yaks domésticos podem ser consideravelmente menores em peso, chegando até pouco mais de 500 kg.

Características do Yak 
Características do Yak

São animais que apresentam uma estrutura volumosa, pernas grossas e resistentes e cascos fendidos. A espécie apresenta uma pelagem de marrom-escura a preta, com pelos longos que cobrem todo o corpo em ambos os sexos e grandes chifres curvados para cima. Os machos podem possuir um subpêlo formando uma saia que atinge o solo.

As populações domesticadas apresentam pernas mais curtas, cascos mais largos, coloração de pelagem mais variada e chifres mais fracos que, às vezes, podem estar ausentes por completo. Tanto os yaks selvagens quanto os domesticados possuem grandes pulmões, uma alta concentração de hemácias e maior concentração de hemoglobina que a maioria dos outros bovídeos, permitindo que as espécies vivam e prosperem nas regiões com altas elevações em que são encontrados.

Distribuição e Habitat do Yak

O yak selvagem apresenta distribuição geográfica limitada ao planalto tibetano, que inclui a Província de Gansu, Província de Qinghai, a borda sul da Região Autônoma de Xinjiang e a Região Autônoma do Tibet, na região dos Himalaias. A espécie já foi encontrada no Nepal e no Butão, mas agora está considerada extinta em ambos os países. Já o yak domesticado pode ser encontrado em uma área mais ampla na região oriental.

O yak pode ser encontrado em habitats variados, mas majoritariamente em regiões de terras altas, com montanhas e planaltos, situadas entre 3000 e 5500 metros de altitude e com um tapete relativamente espesso de gramíneas e ciperáceas. A espécie escolhe áreas que basicamente consistem em regiões com três tipos de vegetação distinta: prado alpino, estepe alpino e estepe do deserto. Esses habitats possuem grandes áreas de pastagem, mas diferem no tipo de gramíneas e pequenos arbustos, quantidade de vegetação, temperatura média e precipitação.

O habitat do yak também pode depender da estação, de forma que alguns rebanhos migram sazonalmente, buscando grama, musgo e líquens como alimento. A espécie é altamente adaptada às temperaturas frias, permanecendo nos planaltos frios e retornando quando as temperaturas começam a subir. Ultimamente, os yaks selvagens estão cada vez mais restritos aos habitats de estepe do deserto, principalmente devido ao fato de que a espécie não se sente perturbada por atividades humanas nesta região.

Alimentação do Yak

O yak é um animal com hábito alimentar totalmente herbívoro e com comportamento de pastagem. Em média, as fêmeas pastam mais que os machos, atingindo 100 metros a mais. As fêmeas e seus filhotes tendem a escolher um solo em encostas altas e íngremes para a pastagem. A dieta é composta principalmente de espécies de gramíneas de baixa altitude e plantas semelhantes a gramíneas, incluindo ervas, arbustos, ciperáceas, plantas arbustivas, dentre outras encontradas no planalto tibetano, embora também consumam líquens e musgos.

Yak 
Yak

Comportamento do Yak 

O yak selvagem passa a maior parte do tempo pastando e, às vezes, viajando entre áreas, dependendo da época do ano. São animais de hábito diurno, sendo ativos principalmente durante o dia. É uma espécie social, que vive em rebanhos relativamente grandes que podem variar de 20 a 200 indivíduos, mas já foram encontrados rebanhos menores, principalmente em rebanhos femininos, e também animais solitários. Normalmente os rebanhos são constituídos por um único sexo e as fêmeas e os machos vivem separados durante a maior parte do ano. Os machos geralmente se unem em grupos de 10 a 12 indivíduos e alguns podem ser solitários, enquanto as fêmeas com seus filhotes e jovens formam grupos bem maiores, chegando a 200 indivíduos.

Os rebanhos se deslocam para regiões de menor altitude durante o inverno. O yak selvagem normalmente evita os humanos e pode fugir grandes distâncias caso se sinta ameaçado. Não são animais agressivos, mas podem se tornar quando na neecssidade de defenderem filhotes e animais mais jovens. Por razões desconhecidas, os yaks selvagens às vezes atacam e matam os yaks domesticados.

Historicamente, o principal predador natural do yak selvagem é o lobo tibetano, mas os ursos marrons e os leopardos-da-neve também têm sido relatados como predadores em algumas regiões, principalmente de indivíduos filhotes, jovens ou doentes. Se houver sinais de perigo e de ameaça, os rebanhos de yak selvagens fogem ou produzem um som como um ronco alto, na tentativa de afugentar a ameaça.

Reprodução do Yak

O sistema de acasalamento do yak selvagem é do tipo poligínico. Durante a maior parte do ano, os yaks machos e fêmeas passam o tempo em rebanhos separados. Durante a época de acasalamento, os machos deixam seus grupos e se juntam aos rebanhos femininos, competindo pelo acesso às fêmeas receptivas, muitas vezes violentamente.

A época de acasalamento da espécie começa em setembro, com nascimentos geralmente ocorrendo em junho. As ninhadas são compostas de um filhote a cada dois anos. A gestação dura cerca de nove meses, o desmame ocorre em um ano e o animal atinge o tamanho adulto em cerca de sete anos, atingindo também a maturidade sexual. O ciclo reprodutivo é mais variado para o yak domesticado, com a fêmea dando à luz a mais de um filhote por ano. A espécie apresenta cuidado parental, realizado em grande parte pela fêmea. Na natureza, o yak selvagem vive cerca de 25 anos.

Comportamento do Yak 
Comportamento do Yak

Estado de Conservação do Yak

A espécie encontra-se vulnerável e com suas populações em declínio, segundo a IUCN. Atualmente, estima-se que existam de 7500 a 10000 indivíduos adultos da espécie. Muitos fatores estão contribuindo para o declínio nas populações do yak selvagem, tais como a caça comercial, distúrbios dos rebanhos pela introdução de yaks domesticados e transmissão de doenças não naturais por outros bovinos. O yak domesticado não está listado como ameaçado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.