Home / Informações / Tudo Sobre o Urutau: Fotos e Nome Científico

Tudo Sobre o Urutau: Fotos e Nome Científico

O urutau ou mãe-da-lua (Nyctibius griseus) pertence a ordem Nyctibiiformes. Na verdade, a ave é conhecida por diversos nomes, como urutau-comum, urutágo, urutágua, Kúa-Kúa e Uruvati (ambos nomes indígenas de origem mato grossense). 

Urutau vem do tupi guarani e significa “ave fantasma”. 

Características do urutau 

Uma das principais características do urutau e a que mais chama atenção é um traço chamado “olho mágico” sendo a única ave capaz de tal feito. São duas fendas em sua pálpebra superior, quando a ave fecha seus olhos, ela ainda consegue enxergar o que está acontecendo ao seu redor. Isso permite que o animal passe várias horas, imóvel, apenas observando tudo à sua volta. Muitos dizem que se parece com uma estátua ou, melhor dizendo, um galho, já que sua coloração permite que o bicho se camufle muito bem entre este objeto. 

Costuma aconchegar o filhote em suas penas. 

Urutau
Urutau 

A espécie Nyctibius griseus é a mais comum no Brasil. 

Mede em torno de 33 a 38 centímetros de comprimento e pesa de 145 a 202 gramas. 

O animal apresenta duas colorações em suas penas: cinza e marrom. Na fase adulta tem a frente, a nuca e o torso em castanho acinzentado rajado em castanho-escuro, sendo este último com estrias e manchas em marrom escuro. O ombro é marrom a acinzentado com detalhes brancos. 

A fase marrom também acontece no período adulto e apresenta o mesmo padrão de cores do estágio anterior, mas com a cor de fundo das penas em marrom. 

Os jovens apresentam a mesma coloração, mas em tons mais esbranquiçados e pálidos. Já os filhotes nascem cobertos de pelos brancos com um tom rosado nas partes superiores. Não apresentam dimorfismo sexual. 

Subespécies do urutau 

O urutau conta com algumas subespécies. 

Nyctibius griseus panamensis: presente da Nicarágua até o sudoeste da Costa Rica. Assim como ao noroeste da Venezuela e no oeste do Equador. 

Nyctibius griseus griseus: vive no Brasil, norte da Argentina, Colômbia, nas Guianas, e nas ilhas de Tobago e Trinidad. 

Alimentação do urutau 

A mãe-da-lua se alimenta de insetos noturnos, principalmente cupins, besouros e grandes mariposas. Todos estes são caçados durante o vôo. 

Mas também pode comer animais de pequeno porte, como pássaros, morcegos e lagartos. 

Reprodução

A fêmea deste animal bota seu ovo em cavidades, principalmente em troncos ou galhos, a poucos metros acima do chão. Eles são incubados pelo próximos 33 dias. Depois que nasce, o filhote permanece no ninho por sete semanas. 

Hábitos 

Sendo visto em bordas de florestas, cerrados e campos com árvores, o urutau costuma pousa em regiões abertas, onde permanece disfarçado e é facilmente confundido com um galho. Normalmente canta a noite. 

Distribuição geográfica 

Este bicho pode ser encontrado no Brasil, inclusive nas cidades, mas em locais bem arborizados. Também é possível vê-lo na Bolívia, Costa Rica, Uruguai e Argentina. 

Lendas envolvendo o urutau 

Além de uma característica física que chama muito atenção – seus olhos -, a mãe-da-lua está envolvida em diversas lendas dos países onde vive. 

Uma delas advém da Amazônia, onde se acredita que as penas da cauda da ave protege a castidade. Por acreditar nisso, muitas mães varrem a parte de baixo das redes das meninas com uma vassoura feita deste material. 

Já uma lenda boliviana conta que dentro da floresta morava uma bela filha de um cacique de certa tribo, que se apaixonou por um guerreiro do mesmo local. Ambos eram muito apaixonados um pelo outro. Mas, ao saber do romance, o pai da menina, movido pelo ciúmes, usou de magia para acabar com o namoro, matando o guerreiro. Ao perceber que seu amado sumiu, a jovem entra na floresta para procurá-lo. Ao descobrir a morte do amado, e em estado de choque, volta para casa e ameaça contar tudo para a comunidade. O pai, furioso, acaba transformando a própria filha em uma ave de hábitos noturnos para que ninguém soubesse da história. Porém, a voz da menina permanece mesmo após ela ter virado um pássaro. E, durante a noite, é possível ouvi-la chorando a morte de seu amor, por meio de um canto melancólico e triste. 

No Peru, a ave é conhecida Ayaymama, pois seu canto lembra uma criança entoando “aí, aí, mama”. Quanto a lenda, um bebê foi abandonado por sua mãe na floresta para que este não morresse de uma peste que havia matado todo um povo. Ele então se transformou em um urutau, que lamenta todas as noites por sua mãe. 

No Brasil, o canto da mãe-da-lua está relacionado a lenda do curupira. 

Devido a esses mitos relacionando este indivíduo, as pessoas tem medo dele, achando que o bicho traz má morte ou agouro. Em decorrência disso, muitos solicitam a retirada do animal pela Polícia Ambiental, fazendo que o animal vá parar em cativeiro. 

Segundo os sertanejos, o urutau apareceu na hora em que a lua nasceu. Seu canto se assemelha a palavra “foi”. Ainda acredita-se que seu canto é um aviso de morte de algum familiar. 

Curiosidades do Urutau

  1. O nome urutau vem do Guarani. Advém de uma junção de guyra (ave) e tau (fantasma). Aliás, leva esse nome devido a sua capacidade de se camuflar como um galho. 
  2. Quando relaxa, o animal abaixa a cabeça. Mas, assim que sente qualquer perigo, ele volta para sua postura de disfarce: corpo todo esticado, apontando o bico para cima. 
  3. As fendas em seus olhos é uma grande defesa e também contribui para o seu disfarce, já que este detém pupilas grandes e amarelas.
  4. É uma ave muito territorialistas, podendo passar anos usando o mesmo poleiro favorito. 
  5. É chamado de Grey potoo em inglês. 
  6. É conhecido pelo seu canto triste, lembrando uma pessoa se lamentando. 
  7. Considerado pelos moradores rurais um símbolo de força, principalmente pela forma como se protege de seus predadores. 
  8. A mãe-da-lua é uma ave super interessante e envolvida numa gama de lendas e mitos que a fazem ainda mais misteriosa e despertando curiosidade em quem não a conhece ou sabe muito pouco sobre ela. Não esqueça de compartilhar esses fatos integrantes com seus amigos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *