Home / Informações / Tudo Sobre o Narval: Curiosidades, Alimentação e Reprodução

Tudo Sobre o Narval: Curiosidades, Alimentação e Reprodução

Constantemente a natureza nos mostra que nós, humanos, estamos muito longe de conhecê-la em sua plenitude. Descobrir ou redescobrir novas espécies sempre foi algo comum para quem estuda o reino animal, e se essa é uma situação corriqueira para quem é “perito” no assunto, imagina para “leigos” que não se aprofundam tanto nesse universo. Como exemplo dessa grande diversidade, alguma vez você já ouviu falar sobre o naval? Aposto que a resposta deve ter sido negativa. 

A verdade é o mundo animal é um iceberg e nós, humanos, conhecemos somente a sua ponta. Hoje vamos conhecer mais um pouco sobre esse mundo falando sobre o narval, o “unicórnio do Ártico”. 

Narval
Narval

Características do narval

O narval é um cetáceo que pertencente a família beluga. A característica que mais chama atenção quando falamos desse animal é sua presa longa em formato de helicoidal. Esse morador do Ártico possui um torso pontilhado de cinza que só aparece quando este completa dois anos de idade e se acentua com o passar do tempo. Essa tonalidade acinzentada se mistura com o seu ventre esbranquiçado. O indivíduo é o único espécime do gênero monodon. 

Seu comprimento pode chegar a quatro metros e pode pesar até 1,6 mil quilos, sendo 30 a 35% apenas de gordura. Na natureza, o narval pode chegar aos 50 anos. 

E sua aparência não só o difere entre outros bichos, como dentro da sua própria espécie. Como comentado mais acima, os machos dessa espécie é dotado de uma longa presa, que o fez ganhar o nome de unicórnio do Ártico. Esse chifre pode chegar a dois metros de comprimento e é usado por eles em diversas atividades, como furar lençóis de gelo, é uma arma de defesa, é um ecolocalizador para encontrar presas no fundo do mar e também indica o grau de dominância e status do cetáceo dentro do seu grupo. 

Ainda acredita-se que o narval que possui o chifre mais longo é aquele que atraia as fêmeas com mais facilidade para o acasalamento. Isso porque sua presa longa quer dizer alta fertilidade e também quer dizer que seus testículos são grandes. 

Habitat

Como dito, o indivíduo é conhecido por ser o unicórnio do Ártico, isso porque o animal vive em locais como as águas do norte do Canadá, Groenlândia e Rússia, habitando principalmente entre os blocos de gelo formados no invernos, assim como enseadas e fiordes. Eles são comumente vistos em baias e no Estreito de Hudson, já que estes bichos preferem as áreas de mar aberto com altas profundidades. 

A espécie normalmente costuma alterar sua localização de acordo com a época do ano. Em temperaturas baixas, eles se agrupam em pequenos grupos e ficam longe das áreas costeiras. Já no calor, eles se aproximam da costa em grupos de até 100 animais. 

Narval
Narval

Alimentação 

No momento da caça, esses seres emitem sons específicos, como pulsos rápidos. Isso acontece porque eles se baseiam na ecolocalização para detectar e perseguir sua comida. Sua dieta tem como base o bacalhau do ártico e polar, assim como alabotes e lulas. Mas essa dieta restrita acaba fazendo com que o animal fique semanas sem comer. 

Sua alimentação também permite que esse cetáceo seja um mergulhador exímio, podendo realizar mergulhos de quase 800 metros de profundidade. Ele pode ficar submerso por cerca de 30 minutos e depois emergir para respirar pelo buraco no topo de sua cabeça, assim como as baleias e os golfinhos.

Reprodução

O naval alcança sua maturidade sexual aos sete anos, isso para as fêmeas. Já os machos só chegam a esse estágio aos nove anos. Sua época de reprodução ocorre no mês de março e a gestação dura 15 meses. As fêmeas geram um filhote por vez, que nascem entre julho e agosto. E esses bebês já nascem grandes, com 80 quilos e medindo cerca de 1,5 metros de comprimento. Depois que nascem, os filhotes permanecem sendo alimentados pelas mães (amamentados) nos 12 meses seguintes. 

Curiosidades

  • Ainda falando sobre reprodução, o período de fertilidade desse animal também é bem interessante. A mãe só volta a ser fértil 3 anos após o último parto.
  • Além de emitir sons quando está caçando, os espécimes também usam esses sons para outras atividades, como “conversar” com seus colegas em diferentes tons e frequências. Sendo assim, é possível para eles se comunicarem com outros grupos.
  • Na época da rainha Elizabeth I acreditava-se que o material de seu chifre tinha o poder de cancelar a ação de venenos.  Diante dessa informação, a monarca mandou fazer uma taça deste material juntamente com jóias incrustadas nela. Elizabeth era sempre vista usando-a. Além disso, assim como na época e atualmente, a taça tem um preço exorbitante pelos materiais usados em sua concepção.
  • Sua presa em espiral, na verdade, são dentes. Os machos possuem dois dentes, sendo um deles em formato de presa, em marfim, que saem do seu lábio superior. As fêmeas também podem apresentar presas, mas elas são bem menores.
Narval
Narval
  • Os dentes desses animais podem ter até 10 milhões de terminações nervosas. Depois de analisar presas recolhidas por caçadores, uma equipe de pesquisadores descobriu que seus dentes são preenchidos com um tipo de tecido nervoso polposo que parece ser sensível. Algo como quando os humanos tomam um sorvete e seus dentes doem.
  • Obviamente que por ser um animal diferente, o narval chama atenção de caçadores. Por este motivo, esse morador do Ártico é caçado por sua pele e presas. Sua pele contém altas doses de vitamina c, e suas presas raras podem ser vendidas por um preço bem alto.
  • Esses indivíduos perdem sua cor cinza quando estão velhos, ficando quase totalmente brancos.
  • O animal aparece no filme Um Duende em Nova York, para desejar boa sorte a Buddy. 

Apesar de místico e do apelido de unicórnio do Ártico, o narval é bem real, mas isso pode ser por pouco tempo. Além de serem caçados por causa de sua pele e chifre, as alterações climáticas, desenvolvimento do petróleo e gás e poluição sonora aquática, que interfere em sua comunicação, pode tornar o tempo de vida desses animais bem menores. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *