Home / Informações / Tudo Sobre o Animal Tatu Bola

Tudo Sobre o Animal Tatu Bola

Nada como um nome tão original, tatu bola, para se referir a um animal que se fecha totalmente em seu casco quando se sente ameaçado para se proteger. Tatu bola é referente a duas espécies de tatus do gênero tolypeutes. Uma das espécies é a tolypeutes tricinctus e a outra é a tolypeutes matacus.

Países De Origem Do Tatu Bola

A primeira é referente ao tatu bola da caatinga e a segunda ao tatu mataco. A continuação da nomeação da primeira espécie também é muito original, já que no Brasil são habitantes da caatinga, além do cerrado, mais especificamente as regiões secas da Bahia, do Ceará, do Pernambuco, de Alagoas, do Sergipe, do Piauí, do Mato Grosso do Sul, do Goiás, de Minas Gerais, do Tocantins, da Paraíba e do Rio Grande do Norte. Ademais, se encontra nos Estados Unidos da América. O mataco também é habitante do Brasil, além do Paraguai, da Argentina e da Bolívia.

Tatu Bola
Tatu Bola

Tatu Bola: Vulnerável E Ameaçado De Extinção

Quem fica sabendo da diversidade dos seus habitats, não imagina que as duas espécies estão classificadas como espécies ameaçadas de extinção em estado de conservação vulnerável ou quase vulnerável variando de região para região.

O que contribui para o seu estado de classificação é a sua vulnerabilidade. Apesar de serem animais que se auto protegem de seus predadores e outras ameaças, quando se fecham em seus cascos formando uma bola, ainda estão acessíveis para os mesmos. Ainda há o fato delas não terem o hábito de escavarem suas próprias tocas, usando as que encontram pelo caminho em suas caças a alimentação e outras andanças. Sendo assim, também estão mais acessíveis a predadores e a caça humana.

Por sua capacidade de se transformarem em bolas cobertas pelos seus cascos quando se protegem diante de alguma ameaça também são conhecidas como bola, bolinha, tranquinha, tatu bola do Nordeste, mais uma vez por um dos seus habitats no Brasil, tatu vergado pela envergadura que faz ao se fechar, tatuapara, apara e apar.

Representação E A Sua Alimentação

A representação do gênero e das suas duas espécies mais marcantes, talvez para você também, foi o seu símbolo usado como mascote na Copa Mundial de futebol de dois mil e quatorze. Quem não se lembra daquele mascote?

Foi nomeado de Fuleco, uma junção de futebol e ecologia, já que esta representação já aproveitava o gancho para chamar a atenção quanto ao seu estado de conservação na natureza. Compatível ao seu habitat, os tatus bolas se alimentam basicamente de formigas e cupins, sem problema também acabam por se alimentar de areia e material das plantas oriundos desta caça alimentar. Em contrapartida a sua vulnerabilidade na natureza, são animais com o hábito noturno, o que os protegem de alguns predadores que têm o hábito diurno.

Tatu Bola
Tatu Bola

Reprodução E Diferenças Em Sua Aparência

Sua reprodução que poderia ser a principal aliada no aumento da sua população para a conservação das suas espécies na natureza, também não ajuda muito comparado as suas ameaças. Geralmente as fêmeas reproduzem somente um filhote por gestação, muito raramente no máximo dois, que já nascem totalmente desenvolvidos e independentes, o que ao menos garante a sua sobrevivência, já que para a mãe lidar com a sua vulnerabilidade já é difícil, imagine com a dependência do seu filhote.

Curiosamente, em épocas de reprodução, é muito comum avistar a fêmea de tatu bola conviver com mais de um macho para acasalamento, geralmente a convivência é entre dois.

Tatu Bola
Tatu Bola

Os tatus bola são as únicas espécies do gênero tolypeutes que se enrolam totalmente em seus cascos, esta capacidade se dá por possuírem três cintas móveis nos mesmos que os faz serem tão flexíveis.

Geralmente têm uma cor marrom tendendo para o preto. Seu dimorfismo sexual é referente ao seu porte, os machos são maiores do que as fêmeas, o que geralmente é o padrão de aparência no mundo dos animais. Habitualmente medem trinta centímetros de comprimento e pesam um quilo e duzentas gramas. Mas o tatu bola da caatinga é caracteristicamente maior comparado ao mataco. Já a cauda do segundo é maior do que o do primeiro. Apesar destas pequenas distinções, o que mais diferencia o tatu bola da caatinga do mataco são seus dedos, enquanto o primeiro tem cinco, o segundo tem um a menos em cada pata, somando somente quatro. O tatu bola da caatinga mede de trinta e dois a trinta e nove centímetros de comprimento, em que cerca de cinco centímetros é pertencente a sua pequena cauda imóvel, e pesa de um quilo e cem gramas a um quilo e seiscentas gramas.

Comportamento E Relação Com Humanos

Mais especificamente sobre a sua aparência, as duas espécies de tatu bola são um tanto peculiares, com seus focinhos compridos, orelhas ovais, olhos pequeninos, patas dianteiras com unhas grandes e afiadas, pele do casco e da cabeça cheia de bolinhas, pelos embaixo do seu casco e cauda pequena e fina. Aparência que se torna mais engraçadinha ainda quando estão em formato de bola, totalmente cobertos por seus cascos. Será que nesta situação alguém já o confundiu com uma pequena bola pesada? Nada impossível para quem não tem conhecimento sobre a existência destes animais e do seu comportamento. Inclusive, o tatu bola é uma das espécies de tatu menos conhecidas popularmente no Brasil apesar de ser habitantes de tantas regiões por aqui.

Se acontecer o contato humano com o tatu bola, eles não oferecem risco nenhum, são totalmente inofensivos. Tanto que nem atacam quando se sentem ameaçados, sua única reação é se proteger se fechando em seu casco e se transformando em bola, o que apesar de os deixarem menos vulneráveis, ainda não os protegem totalmente dos dois principais acontecimentos que levaram a sua classificação no que diz respeito ao seu estado de conservação, a caça humana e a predação. O fator que mais coloca os animais em ameaça de extinção, também é motivo para eles, o desmatamento.

Triste pensar que um animal tão inofensivo que não tem nem capacidade de reagir a ameaças, seja tão ameaçado na natureza por serem tão vulneráveis, mesmo quando se auto protegendo com sua pequena capacidade. O que lhes asseguram mais sua sobrevivência é quando estão protegidos em suas tocas escavadas na areia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *