Home / Informações / Tudo Sobre Aranhas: Teias e Fotos

Tudo Sobre Aranhas: Teias e Fotos

As aranhas são pequenos animais muito conhecidos popularmente por serem habitantes de diversos habitats mundo afora. Pequenos animais mas que não são nada inofensivos. Para alguns são ofensivos até demais só pela sua aparência com quatro pares de pernas e em algumas espécies, pares de olhos, que podem chegar a quatro.

Curiosamente, este número varia de espécie para espécie, de nenhum a dois pares de olhos, três, ou, como dissemos, até quatro. Mais uma característica dependendo da espécie de aranha que deixa a sua aparência ainda mais perturbadora para alguns, são seus pelos escuros. Há ainda os que sintam tanta aflição que a identificam como aracnofobia, o que não é nada raro com todas estas características peculiares que estes animais possuem.

Aranhas
Aranhas

Um Medo Compreensível De Aranha

Agora imagina como ficaria esta fobia se te disséssemos que algumas espécies de aranhas que têm a capacidade de voar, não porque tem asas, pois como bem sabemos isto não faz parte das características em comum delas, mas porque constroem balões com suas teias, isso mesmo, as espertinhas são capazes de voar em balões construídos por elas mesmas.

Dente as suas espertezas também está o fato de se fingirem de mortas diante de alguma ameaça, como a caça do seu predador, por exemplo. Outras, utilizam de mimetismo, ou seja, ficam imóveis para tentar se safar da sua ameaça. Mas o que deixa qualquer ser racional com medo são suas pinças preensoras ou ferrões que liberam veneno na vítima atacada, podendo gerar graves sintomas em humanos, como é o caso da aranha marrom ou da viúva negra apesar das duas espécies terem seus portes pequenos.

Por outro lado existem as espécies que não têm o veneno tão poderoso assim, como é o caso da espécie caranguejeira, apesar de todo o seu porte assustador. Contraditório pensar que espécies de aranhas menores são bem mais perigosas comparadas a algumas espécies bem maiores.

Invertebrados, Artrópodes e Aracnídeos

Quanto as suas classificações, são animais invertebrados, sendo assim que não possuem vértebras e nem crânio, mais adiante são classificadas como artrópodes, ou seja, invertebradas que têm o exoesqueleto composto de quitina, característica esta que exerce a mesma função no seu corpo que as vértebras exercem em um animal vertebrado, mais especificamente, mais facilidade de locomoção e proteção do seu corpo. Além de invertebrados artrópodes, são finalmente classificados como aracnídeos, junto com os escorpiões e algumas outras espécies de animais que possuem as mesmas características, como as já citadas, quatro pares de pernas, nenhum, dois, três ou até quatro pares de olhos, ferrões ou pinças preensoras com ou sem veneno, pelos ou não e as ainda não citadas, não possuir mandíbula, nem antenas. Característica última esta que é comum em outros filos de animais que não sejam os aracnídeos, como no dos insetos, como bem sabemos, por exemplo.

Teias De Aranha, Para Que Te Quero?

Curiosamente por não possuírem mandíbula, após o ataque de sua presa com a liberação do seu veneno, liberam enzimas das suas glândulas salivares para transformar a sua presa quase que em líquido para assim conseguir a consumir. Também possuem glândulas que liberam a enzima que em contato com o ar a ajudam a transformar em seda, usando-a para a construção de teias ou de casulos para a postura de seus ovos quando reproduzem.

Outra função da teia é a predação das suas vítimas. Quem pensa em aranha bem lembra da sua teia e quem nunca se deparou com uma cheia de insetos? Mas como da pra imaginar pelo explicado, suas teias não são tão resistentes assim, se desfazem naturalmente, sendo assim, as aranhas produzem cerca de uma todos os dias.

Viúva Negra, Literalmente…

Mais uma curiosidade é que seus pelos são muito sensíveis aos sinais do seu habitat, o que no caso de algumas espécies de invertebrados seria suas antenas que teriam esta função, que como já citamos, não é o caso das aranhas. Te apresentamos algumas das suas diversidades de características diante de tantas espécies, mais especificamente, cerca de trinta e duas mil, um tanto populacional generoso. Quanto a uma das funções da produção de sua seda, (a construção dos seus casulos para a postura de seus ovos), são reprodutoras sexuadas, como bom animal invertebrado terrestre. Isto porque curiosamente, algumas espécies de animais invertebrados aquáticos se reproduzem de forma assexuada.

A espécie viúva negra é um exemplo perfeito para falarmos de aranhas poderosamente venenosas, mas desta vez vamos a usar como exemplo para falarmos sobre fêmeas que matam o macho após a cópula, é daí que vem o seu original nome. Se você nunca se questionou sobre, não é só ela que têm este cruel hábito, algumas outras espécies também, felizmente, não todas.

Da Postura Ao Nascimento

Após a postura de seus ovos em seus casulos, algumas espécies os abandonam, deixando que eclodem e que os seus filhotes sobrevivam sozinhos, outras cuidam de seus ovos até que eles eclodem e há ainda as que além de esperarem eclodirem, cuidam de seus filhotes dependentes após o nascimento e lhes ensina os primeiros passos para a sua sobrevivência na natureza. Curiosamente, a espécie aranha teia de viveiro tem esta nomeação por possuir a última característica apresentada. Ainda sobre nomeações de espécies, a aranha d’Água tem este nome por habitar o ambiente aquático, mas lembrando, ainda assim se reproduzem de forma sexuada. Não são um exemplo dos invertebrados aquáticos que tem a curiosa característica de se reproduzirem de forma assexuada.

A aranha boleadeira é mais uma espécie que tem seu nome original, isto porque produz bolas compostas de suas sedas que atraem algumas de suas presas, como os insetos. Como típicos invertebrados artrópodes que são, por possuírem exoesqueleto, têm mudanças corporais durante o seu desenvolvimento. Basicamente no caso das aranhas este desenvolvimento é mais simples, com trocas de exoesqueleto. Curiosamente, já no caso de algumas espécies de invertebrados artrópodes, como no filo dos insetos por exemplo, esta mudança no seu desenvolvimento é mais complexa, como no caso das joaninhas por exemplo, em que há a fase da larva após a eclosão do ovo, da pupa e da fase final adulta após o abandono da pupa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *