Home / Informações / Tem Coronavírus no Brasil? Foi Transmitido Por Animal?

Tem Coronavírus no Brasil? Foi Transmitido Por Animal?

E a mídia continua a falar incessantemente do coronavírus. 

Ao que parece, o vírus chegou ao Brasil. As suspeitas foram divulgadas na terça-feira, 28, pelo Ministério da Saúde. Segundo informações do órgão, existem nove pacientes (atualizado em 30/01/2020) com a probabilidade de terem contraído a doença. 

Coronavírus no Brasil? 

Pela manhã foi informado que uma estudante de 22 anos de Minas Gerais esteve em Wuhan, cidade da China considerada o epicentro da epidemia, apresentava os sintomas causados pelo novo vírus. 

A paciente está internado e isolada no Hospital Estadual de Menezes, em Belo Horizonte. O local é uma instituição referência em doenças infectocontagiosas no estado. Apesar da possível infecção, a estudante relatou que não chegou a ir ao mercado de frutos do mar – local que seria responsável pela propagação do vírus – e nem ter tido contato com pessoas infectadas ou mesmo ter procurado o serviço de saúde na cidade. 

Além disso, cerca de 14 pessoas que estiveram próximas a paciente estão sendo monitoradas de perto. 

Coronavirus
Coronavirus

Horas mais tarde, o ministério divulgou mais dois casos, um em Porto Alegre e outro em Curitiba – sendo esse descartado pelo secretário de saúde do Paraná na manhã desta quarta-feira, 29 – se enquadram nos critérios epidemiológicos (quando os pacientes estiveram em regiões onde o vírus é transmitido de pessoa para pessoa ou tiveram algum tipo de contato com infectados com a doença nos últimos 14 dias) e clínicos (apresentando febre e mais algum outro sintoma da mazela) estabelecidos pela OMS (Organização Mundial da Saúde) para identificar futuras infecções. 

Os casos entraram em status de confirmados como suspeita após o governo passar a considerar todo o país da China como uma região de contágio ativo do Coronavírus ou 2019-nCoV, descoberto em dezembro passado. 

Essa mudança ocorreu após a OMS indicar que o risco global causado pelo surto é elevado, e não mais moderado. Sendo muito alto na China e alto em outras regiões e no mundo. 

Com base nessas informações, o Ministério da Saúde resolveu ampliar os critérios para o monitoramento de possíveis casos no Brasil. Desde que foi descoberto, ocorreram cerca de 7 mil rumores em terras brasileiras de pacientes que teriam contraído o vírus. Até então o governo federal só considerava como perigo as pessoas que passaram pela província de Hubei, onde fica localizado Wuhan, local de maior concentração da mazela. 

Exames ainda estão sendo feitos para confirmar o caso de Minas Gerais. O governo acredita que o resultado deve sair até sexta-feira, 31. Caso confirmado, esse será o primeiro infectado com coronavírus no Brasil e na América Latina. Ou seja, ainda não foi confirmado que o vírus realmente chegou em terras brasileiras, mas com certeza essas suspeitas estão deixando o governo e a população em alerta. 

Coronavirus
Coronavirus

Classificação de risco 

Após esses supostos casos, o nível de classificação de risco no país passou do nível um para o dois, que significa perigo iminente. A escala vai até três, que só é colocado em prática após a confirmação da transmissão em cidadãos brasileiros. Essa elevação é uma forma do país de preparar para uma possível introdução do vírus. 

Coronavírus já chegou em 16 países 

Desde o primeiro caso, o coronavírus já afetou cerca de 4,5 mil pessoas ao redor do mundo, até agora. Cerca de 100 morreram, todas na China. Até agora, outros 15 países já registraram a presença da doença e, em todos os casos, as pessoas com a mazela haviam estado em Wuhan, local onde aconteceu as primeiras transmissões de pessoa para pessoa. 

O que é o Coronavírus 

O Coronavírus é uma doença que atinge o sistema respiratório, identificado recentemente na China. Ele faz parte de uma família de vírus, conhecidos desde 1960, atingindo animais e humanos. Normalmente a mazela causa doenças respiratórias leve à moderado, muito parecido com uma gripe comum. Porém, outras versões do vírus podem causam doenças mais graves, como o SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave), que ocorreu em 2002, e a MERS (Síndrome Respiratória do Oriente Médio), identificada em 2012. 

Como é transmitido 

Acredita-se que as primeiras transmissões tenham ocorrido entre animal e pessoa, já que alguns indivíduos podem carregar a doença, como é o caso da baleia-beluga, espécie comercializada no mercado de frutos do mar em Wuhan. Mas o vírus pode não ter ficado confinado ao bicho marinho, já que o local comercializa outras criaturas, selvagens e vivas, como morcegos, galinhas, coelhos, cobras. Sendo assim, não se sabe qual animal em específico transmite a doença. Mas quando o bicho reservatório, ser vivo que carrega o vírus – com ele vivendo e se multiplicando dentro do hospedeiro – é identificado fica mais fácil lidar com a situação. 

Além disso, ainda não se sabe como a infecção se espalha entre os seres humanos. Esta parte ainda está sendo investigada, mas a propagação continua e de forma contínua e rápida. 

Frutos do mar de Wuhan
Frutos do mar de Wuhan

Sintomas 

O coronavírus pode se apresentar de forma simples até sintomas mais graves, se igualando a pneumonia, por exemplo. Mas é preciso ficar atento aos seguintes sintomas: febre, tosse e dificuldade de respirar. Caso a situação persista por muitos dias, é importante procurar um médico. 

Prevenção do Coronavírus 

Como tudo é muito novo e os cientistas ainda nem sabem como acontece a propagação, não existe um remédio em específico ou vacina contra a doença. Mas é possível evitar a contaminação com alguns cuidados. O primeiro deles, sem dúvida alguma, é evitar as regiões e pessoas suspeitas de estarem infectadas. Outra forma de prevenção é lavar as mãos com frequência, principalmente antes de consumir alimentos. Utilize também lenços descartáveis para cobrir boca e nariz na hora de espirrar ou tossir. Evite o contato com olhos, nariz e boca também é importante. Não compartilhar copos, talheres e garrafas está entre os cuidados de prevenção. Assim como manter os ambientes bem ventilados. E, mais uma vez, evitar as regiões com propagação da doença confirmada. Aliás, o Ministério de Saúde do Brasil já recomendou fortemente que os brasileiros evitem, ao máximo, viagens para qualquer região da China. Até que os casos sejam confirmados, é melhor prevenir do que remediar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *