Home / Informações / Tartaruga Focinho-de-porco: Características, Curiosidades e Fotos

Tartaruga Focinho-de-porco: Características, Curiosidades e Fotos

A tartaruga focinho-de-porco (Carettochelys insculpta) também chamada de pignose turtle ou fly river turtle, pertence a família Carettochelyidae e, como é de se imaginar, recebe esse nome por ter o focinho parecido com o dos porcos. 

Ela é encontrada em lagos e rios da Nova Guiné e da Austrália. 

Características da tartaruga focinho-de-porco

Este indivíduo é considerado diferente de qualquer outra espécie de tartaruga de água doce, começando pelo seu casco que é mole e mais flexível, patas semelhantes a nadadeiras – parecida com as das marinhas – e o seu focinho muito parecido com o do porco, como já dito anteriormente. Este tem narinas proeminentes na ponta. 

Pode pesar até 20 quilogramas e mede até 70 centímetros de comprimento. A espécie apresenta dimorfismo sexual, com os machos tendo uma cauda maior e mais saliente que a das fêmeas. 

Tem uma coloração que vai do cinza até o marrom-acinzentado. 

É a única espécie representante viva do gênero Carettochelys e da subfamília Carettochelyinae, embora exista um número grande de animais descritos pertencentes a este grupo, mas todos estão extinção. Ela pode ser encontrada em grande número no seu habitat, mas é considerado rara justamente por só ser vista no seu local de origem. 

Seu principal predador é um lagarto endêmico da mesma região do animal, chamado de Varanus panoptes. 

Tartaruga Focinho-de-porco
Tartaruga Focinho-de-porco 

Comportamento 

Alguns fatos sobre essa tartaruga são desconhecidos, mas sabe-se que não é um bicho totalmente aquático, por exemplo. Também é de conhecimento que ela se torna bem agressiva quando em cativeiro, o que dá entender que ela é mais territorial que outras da mesma espécie. 

Durante as estações secas, ela se junta a grandes grupos próximos aos rios onde vivem. 

Alimentação

Essa criatura é um ser carnívoro que se alimentar de uma série de algas e plantas, mas principalmente de raízes de manguezal, assim como frutas e folhas da Figueira, isso porque estas costumam cair nos locais onde o animal vivem. Também pode consumir insetos, crustáceos e moluscos.

Reprodução

As fêmeas desse bicho coloca seus ovos em regiões com areias finas, próximas às margens dos rios e dos lagos, geralmente nas estações secas do ano, entre setembro e fevereiro. Isso só ocorre a cada dois anos, o que quer dizer que os filhotes ficam no ninho até o início das chuvas. 

Na época da desova as mães formam grupos com até 12 indivíduos e utiliza suas nadadeiras para cavar a areia e construir um tipo de câmera onde os ovos ficarão. Cada uma colocará cerca de 22 zigotos. Estes levam de 64 a 74 dias para eclodirem nas condições ideias. Um fato interessante é que quando a temperatura do local gira em torno de 32,5 graus, todos os bebês serão fêmeas. Quanto esta não passa dos 31,5 °c, quer dizer que a ninhada será de machos. 

Habitat 

Como já dito, ela é encontrada em rios, lagos e riachos de água doce na região norte da Austrália, com sua maior concentração na ilha da Nova Guiné, onde habita até os pântanos e estuários do país. 

Status de conservação 

A população desse animal sofreu uma grande diminuição entre os anos de 1981 até 2011. E mesmo ela sendo protegida na Indonésia com uma lei criada em 1990, ainda ocorre o tráfico ilegal do bicho. A boa notícia é que entre 2009 e 2010, cerca de 21 mil tartarugas retornaram ao seu habitat na Indonésia durante esse período. 

Sua caça acontece devido aos atributos exóticos que possui e pela sua localização, já que é vista apenas na Oceania, o que acaba despertando o interesse de colecionadores. É triste, mas muitas vezes os próprios locais acabam tirando o bicho da natureza para vendê-lo. 

Apesar disso, existem lugares autorizados para sua venda, mas como já citado, é uma criatura que se torna agressiva em cativeiro, além de ficar doente com facilidade e até dar trabalho na hora de comer. Sendo assim, o melhor mesmo é deixá-la na natureza.

Curiosidades

  • Sua expectativa de vida na natureza é desconhecido, mas em cativeiro pode chegar aos 39 anos. 
  • Devido a introdução artificial do rã-touro, o número de tartarugas focinho-de-porco aumentou, porque o veneno desse anfíbio mata seu principal caçador. 
  • Também é caçado por outras espécies de lagartos, assim como pelo homem. O búfalo-asiático também coloca o bicho em perigo, já que costuma pisotear os ninhos deste animal. 
  • Temperaturas mais extremas, como abaixo de 18°c ou acima de 45 graus fazem os bebês da tartaruga morrerem.
  • Pode ser visto em alguns zoológicos ao redor do mundo, como na República Checa, Canadá, Holanda, Alemanha , mas a grande maioria fica em zonas localizadas nos Estados Unidos. 

As espécies mais peculiares de tartarugas 

1 – Tartaruga espinhosa 

Tartaruga espinhosa
Tartaruga espinhosa

Como o próprio nome sugere, esse animal tem um casco que exibe alguns espinhos – estes ficam localizados nas bordas -, além de ter um formato bem peculiar, parecendo uma engrenagem. As áreas pontiagudas são mais visíveis durante a juventude do bicho, com tempo eles vão se arredondando. Estes servem para afastar os predadores – caso contrário ela seria comida facilmente por seus caçadores – assim como para camuflagem, que acaba a escondendo quando está entre folhas secas. Sua coloração marrom ajuda igualmente neste quesito. O animal só é encontrado no Sudeste da Ásia. 

2 – Tartaruga do Rio Mary

É outro bicho bem peculiar, podendo ser visto em tons de vermelho, rosa, marrom e preto. Como o nome já dá a entender, só é encontrada no Rio Mary, em Queensland, na Austrália. 

Sua cabeça é pequena, mas tem um rabo que pode ser tão grande quanto seu corpo. 

Exibe uma considerável saliência no queixo. 

Demora muitos anos para alcançar a maturidade sexual, esta só é atingida aos 25 anos na fêmea e aos 30 nos machos. Esse tempo é considerado longo, até mesmo entre as tartarugas. 

Apesar de nadar até a superfície para respirar com bastante frequência, elas são capazes de absorver o oxigênio da água, que penetra por meio de órgãos localizados em sua cauda. 

Passa a maior parte da sua vida no rio e permite que algas cresçam no seu corpo, com estas sendo usadas também para camuflagem. Uma boa estratégia. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *