Home / Informações / Respiração dos Peixes

Respiração dos Peixes

Os peixes representam a maior classe de vertebrados do planeta e sua origem ultrapassa os 40 milhões de anos. Existem espécies dos mais variados tamanhos, em todos os ambientes aquáticos e em todos os lugares do mundo.

Em geral, todo mundo sabe que os peixes realizam respiração branquial. O que muitos não sabem é que, além das brânquias, algumas espécies de peixe também apresentam pulmão. Além disso, os alevinos (fase de larva e pós larva dos peixes) não possuem brânquias, muito menos pulmões e por isso a respiração é cutânea.

Conheça agora como ocorre os diferentes tipos de respiração nos peixes.

Respiração dos Peixes
Respiração dos Peixes

Respiração Branquial

Nesse tipo de sistema respiratório, a troca gasosa ocorre através das brânquias, também conhecidas como guelras. Esse órgão é responsável em realizar as trocas gasosas entre o meio aquático e o sangue do animal.

Para que ocorra a absorção de oxigênio, os peixes engolem a água dos rios ou do mar, que segue as brânquias. Antes que a troca gasosa ocorra, a água que chega às brânquias é filtrada por pequenos cílios existentes no órgão, a fim de remover as impurezas.

Respiração Branquial
Respiração Branquial

Posteriormente, a água filtrada atravessa as brânquias, que possuem minúsculas estruturas formadas por filamentos, que apresentam várias lamelas finas e ricas em vasos sanguíneos. É justamente nas lamelas que ocorre a troca gasosa, onde o sangue oxigenado é conduzido para todo o corpo, não passando pelo coração.

Os peixes ósseos conseguem fazer a água circular através das brânquias mesmo quando estão parados. Eles abrem o assoalho localizado na cavidade bucal, possibilitando, dessa forma, que a água seja aspirada. O oxigênio atravessa as paredes das lamelas e filamentos, entrando na corrente sanguínea, enquanto o gás carbônico é carregado em sentido contrário junto com a água para sair do animal através da abertura do opérculo, que fica localizado próximo a cabeça do peixe.

Já os peixes cartilaginosos, como os tubarões e raias, não possuem opérculo e precisam estar em movimento para a absorção da água. Ao nadar, deixam boca semiaberta, fazendo com que a água entre através dela, passe pelo organismo e saia diretamente pelas fendas brânquias, oxigenando o sangue.

Respiração Pulmonar

Os peixes pulmonados, também conhecidos por Dipnoi, vivem exclusivamente em rios de água doce. No passado evolutivo eram encontrados em abundância, mas atualmente existem apenas seis espécies incluídas em três gêneros: Protopterus com quatro espécies encontradas na África; Neoceratodus com uma espécie encontrada na Austrália; Lepidosiren com uma espécie encontrada na América do Sul.

Respiração Pulmonar dos Peixes
Respiração Pulmonar dos Peixes

A espécie americana Lepidosiren paradoxa é a única que pode sem encontrada no Brasil, vivendo nas bacias Amazônica e do Prata. Popularmente é conhecido por piramboia, que em tupi significado “peixe-cobra”.

Esses peixes são considerados verdadeiros “fósseis vivos”, explicando como ocorreu a evolução da respiração aquática para a aérea. Acredita-se que esse tipo de respiração passou a ser utilizada pelos ancestrais dos peixes ósseos que viviam em água doce com uma quantidade insuficiente de gás oxigênio. O desenvolvimento desse mecanismo passou a auxiliar a respiração branquial.

Como já mencionado, a principal característica desse grupo é a respiração através de uma estrutura expandida do trato digestivo que funciona como um pulmão primitivo. Essa espécie de pulmão, que possui paredes finas e é rica em vagos sanguíneos, é ligada à faringe. Ao encher a bolsa de ar através da captura do ambiente atmosférico, o oxigênio é distribuído pelo sangue e o gás carbônico é passado para dentro da bolsa.

Ao nascer, a respiração da piramboia é realizada exclusivamente por meio das brânquias. Com o passar do tempo, as brânquias ficam menores e a piramboia inicia sua respiração pulmonar. Para eficiência da respiração, é necessário que o animal coloque a cabeça constantemente para fora da água, a fim de absorver o ar atmosférico. Em períodos de seca, ela se enterra na lama esperando as próximas chuvas. Assim como a piramboia, as outras espécies também possuem essa capacidade de estivação.

Durante a época de chuva, esses peixes se alimentam em abundância e armazenam reservas de nutrientes que serão fundamentais para sobrevivência no período da seca, quando estiverem enterrados. Durante o período de estivação, o metabolismo é diminuído e os animais permanecem praticamente inativos. Com o corpo curvado, forma-se uma espécie de casulo em todo o corpo, exceto na boca para permitir a respiração. Esse casulo irá proteger o peixe que consegue permanecer nesse estado por até quatro anos, enquanto aguarda novamente o período chuvoso.

Todos os peixes pulmonados possuem brânquias e mesmo que a respiração pulmonar seja essencial, a dependência do meio aquoso também se faz necessário, principalmente para reprodução e alimentação.

Respiração Cutânea

Respiração Cutânea Peixes
Respiração Cutânea Peixes

Na fase larval, os alevinos, como são conhecidos, dependem da respiração cutânea para sobrevivência, uma vez que o sistema respiratório ainda não foi desenvolvido.

Na respiração cutânea, a troca de gases ocorre por toda superfície do corpo. As moléculas de oxigênio entram por meio de difusão através da epiderme, atingindo os vasos sanguíneos que serão responsáveis em transportar o sangue oxigenado para todo o corpo do animal. Ao mesmo tempo que ocorre a entrada do oxigênio, existe a eliminação de gás carbônico, pelo mesmo trajeto.

A pele fina e permeável dos alevinos, garantem a execução desse tipo de respiração com sucesso.

Caso tenha ficado alguma dúvida, basta deixar um comentário logo abaixo.

4 comentários

  1. Boa noite ! Tenho um peixe,conhecido como mussum.
    Pelo q vejo ele nao necessita de bomba p oxigenar,pois ele bosca fora dagua,como seria essa respiraçao?
    Desde ja ,muito obrigado!

    • Bom dia Henrique!
      A água que entra pela boca dos peixes, passa pelas brânquias (que capturam oxigênio para respiração) e sai pelas fendas branquiais.
      Espero ter ajudado. Abraços!

  2. joao de freitas souza

    adorei muito desse sait visitarei mais vezes esse sim responde nossas perguntas

  3. Gostei e me ajudou bastante saber sobre a respiração dos peixes avelinos pois comecei uma criação agora ,e me preocupo
    Pq desligo a bomba de oxigênio a noite !
    Não tem problema? O espaço deles é grande te pedaços de madeira própria pra aquario pedras e plantas aquáticas,
    Agora sei onde obter informações sobre peixes adorei!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *