Home / Informações / Quais São as Espécies de Patos Brasileiros?

Quais São as Espécies de Patos Brasileiros?

Os patos fazem parte da classe de aves, ordem dos anseriformes e da família anatídeos. Normalmente as aves que fazem parte dessa família são menores que os anserídeos (cisnes e gansos) e são encontrados tanto em água doce como em salgada. 

Sua alimentação é baseada em vegetais, pequenos invertebrados e moluscos. Possuem o hábito de migração e são ovíparos, como todos as aves. Os patos machos possuem um tom de pena mais vistosa, na maioria das espécies.

Detêm um tempo de vida de cinco a dez anos de idade. Cada gestação desse animal pode gerar de oito a treze ovos. Seu comprimento e peso variam de espécie para espécie, mas podem chegar até sessenta e cinco centímetros e pesar até um quilo e seiscentos gramas.  

Uma curiosidade sobre o pato é que ele é o único espécime que consegue dormir com metade do cérebro acordada e a outra, dormindo. No mínimo, uma habilidade bem interessante. É dotado de bom senso direção e comunidade. 

Abaixo, vamos conhecer mais sobre as espécies de patos brasileiros. 

Patos
Patos

Espécies de patos brasileiros 

  • Pato-bravo 

O pato-bravo pode medir até oitenta centímetros de comprimento. Ele gosta de ficar em cima de árvores e faz seu ninho ali mesmo, em um oco, normalmente no lugar mais alto. 

Essa espécie é lenta, mas tem habilidades de voo muito boas, seja em grupos ou em casais. Também não gosta de ficar no chão. Ele come de tudo e em grandes quantidades. Inclusive, se tiver comendo próximo a ele e derrubar alguma migalha no chão, de certo ele irá comer. 

Quando é ameaçado, o pato-bravo ataca, soprando e baixando a cabeça, batendo as asas e seus pés, de unhas afiadas. Por outro lado, é bem paciente com seus filhotes. Quando estes já estão prontos para deixarem o ninho, os patos-bravos carregam um por um, até o chão. 

O pato-selvagem ou pato-do-mato é nativo do Brasil, mas também pode ser encontrado em locais da América Central e América do Sul, do Mexico até os Pampas, no Rio Grande do Sul. 

  • Pato do mato 

O pato do mato é uma ave de grande porte do tipo arborícola, que costuma fazer seu ninho no alto das árvores. Ela é típica da América tropical. 

Essa ave foi domesticada pelos índios muito antes da chegada dos colonizadores e posteriormente, levada a Europa pelos espanhóis. 

Atualmente, essa espécie é vista como patos d’água ornamentais e também bichos de estimação. Sua aparência é constituída de carúnculas nodosas em vermelho, que tomam conta de sua cara, e uma crista muito parecida com uma juba. 

  • Pato-mudo  

O pato-mudo é o pato-selvagem do Brasil. Ele foi domesticado pelos indígenas da América do Sul. Não existe uma raça definida para esse animal, porém, existe uma linhagem comercial de cor branca, desenvolvida na França, que tem rápido crescimento e é utilizado na produção de carne. 

  • Pato de crista 

Pato de crista, também conhecido como pato do mato é uma espécie muito difícil de ser domesticada, isso porque esse animal é muito desconfiado e rápido. Em relação ao seu tamanho, ele pode alcançar os noventa centímetros ou muito mais. 

O macho dessa espécime apresenta uma saliência, um tipo de crista, na testa. Já as fêmeas não possuem essa característica. 

O pato de crista vive no Amazonas, Bahia, Rio de Janeiro, Maranhão, Mato Grosso e em alguns outros lugares da América do Sul. 

  • Pato mergulhão 

Outra espécie brasileira, o pato mergulhão, vive em São Paulo, Goiânia, Minas gerais, Paraná e Santa Catarina, além de algumas regiões do Paraguai e Argentina. 

Perto dos cinquenta e cinco centímetros, o bico do pato mergulhão é longo, serrilhado e fino, perfeito para captura peixes enquanto mergulha.

Essa espécie vive em ribeirões com corredeiras e cachoeiras, além de rios e locais de águas claras, normalmente localizadas em regiões serranas.  Para comer, desce e sobe os rios com cachoeiras a procura de peixes. 

E o motivo desse animal viver em águas claras e limpas é porque o pato mergulhão é do tipo exigente e só gosta de viver nesse tipo de água. Monta seu ninho no oco da árvore, principalmente naquelas localizadas na beira do rio. É do tipo que tem voo baixo e faz seus pousos em rochas e troncos em meio a água. 

Ao contrário dos seus outros parentes brasileiros, o pato mergulhão é uma espécie rara e ameaçada, principalmente pelos problemas que tem atingido seu habitat natural, como a redução das matas ciliares e a poluição dos rios por garimpeiros, além da construção de hidrelétricas, que transformam os rios de correnteza em lagos artificiais. 

Pato ou marreco? 

Algumas aves são bem parecidas e isso pode causar certa confusão na hora de identificá-las, como acontece em alguns casos quando temos que diferenciar o pato do marreco, por exemplo. 

Para que isso não mais aconteça, preste atenção nos detalhes dos corpos desses animais. No caso do pato ele possui um torso mais achatado e posiciona-se numa posição mais horizontal. Já os marrecos detêm um corpo mais cilíndrico e ficam mais empinados. 

Os patos não emitem nenhum som, já os marrecos transmitem sons altos. Os patos têm verrugas ou manchas vermelhas em sua cabeça e também nos olhos, e seu bico é comprido e fino. Já os marrecos tem a cabeça lisa e o bico é chato e largo, com uma tonalidade mais próxima do amarelo. 

A cauda do do pato é comprida e parece um tipo de leque. A do marreco e pequena e se assemelha a um pom-pom. 

Pronto, agora você nunca mais vai confundir um pato com um marreco, ou vice e versa. Apesar de talvez um pouco controverso, o pato faz parte da cultura alimentar brasileira, como o pato no tucupi. Além de ser servido em certas regiões do Brasil, essa é uma iguaria muito presente em restaurantes de alto escalão, muito adorado pelos frequentadores e pelos próprios chefs. 

Mas e você, é do tipo que o pato está presente na sua mesa no dia a dia ou prefere apenas ter esses bichinhos como animais de estimação?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *