Home / Informações / Pulgões: Curiosidades, Fotos, Inseticida e Habitat

Pulgões: Curiosidades, Fotos, Inseticida e Habitat

Os amantes de pequenas hortas ou até grandes plantações sabem muito bem de quem se trata o artigo de hoje. Os pulgões ou afídeos são insetos sugadores conhecidos por destruírem tanto um jardim doméstico quanto hectares e hectares de plantações. 

Características e comportamento dos pulgões 

Apesar de pequeno, o indivíduo mede de 1,5 a 3 milímetros de comprimento, ele pode causar um belo de um estrago. O bicho apresenta duas antenas longas no topo da sua cabeça, corpo mole e piriforme.
Seu aparelho bucal não só suga a seiva das plantas, como as perfura. Esta região é conhecida como estilete.
A coloração é variada, podendo ser visto em tons de verde, castanho, cinza, amarelo, verde, preto e até vermelho.
Exibe olhos pequenos, que são compostos por três lentes, e estes ficam localizados acima e atrás desta região.
Dentro da família, é possível observar espécies com ou sem asas, com esse traço aparecendo em ambos os sexos. Estas são transparentes. 

Os animais vivem em colônias formadas por fêmeas adultas aladas e ápteras – umas são responsáveis pela reprodução e a outras por espalharem a espécie – e por ninfas de diversos tamanhos.
Aquelas que espalham os espécimes por aí podem voar centenas de quilômetros com a ajuda do vento e também por seu tamanho.
Tem uma expectativa de vida curta, sendo capaz de conceber um geração por semana e dar a luz até 10 fêmeas por dia. Esse indivíduo se multiplica melhor em temperaturas consideradas amenas,  entre 18 a 25 graus, e preferencialmente em períodos com pouca chuva. 

Pulgões
Pulgões 

Aparecimento dos pulgões 

Os pulgões que atacam cereais e aveia aparecem logo após a cultura, conforme a planta vai crescendo. As criaturas se acomodam principalmente no colmo e nas folhas mais baixas. Já o espiga se agrupa em maior número nas folhas, apesar de também se acomodar no afilhamento. O pulgão-da-folha prefere ocupar as espigas. 

Já pulgão-verde-dos-cereais aparece em maior número em temperaturas mais altas. No sul ele e o da aveia tem aparecido bastante durante o outono, em plantios novos e em cultura de aveia. Já o de folha e o espiga surgem mais tarde, normalmente em clima mais seco e com um calor mais ameno, comum na primavera. 

Danos

Por se alimentar da seiva das plantas, os pulgões podem afetar o rendimento do grão, assim como a diminuição do seu tamanho e peso. Além de causar uma outro dano indireto. Quando perfura o local para se alimentar, ele acaba abrindo espaço para o surgimento de fungos, que reduz a produção do trigo, causando o Vírus do Nanismo Amarelo da Cevada (VNAC). Como este consegue sobreviver em diversas espécies, este é passada de plantas infectadas para as sadias por meio da saliva do hospedeiro, fazendo a planta sofrer com nanismo e folhas amarelas com bordas roxas, eretas e mais curtas. 

Alimentação

Muitos afídeos são monófagos, ou seja, se alimentam de apenas um tipo de planta, como é o caso do piolho-do-morangueiro. Mas a maioria é polífaga, comendo várias espécies de folhagem. Como já dito, ele se alimenta da seiva destas. 

Reprodução 

A postura dos ovos fertilizados acontecem no outono. Com estes ficando nas plantas até a primavera, quando eclodem. Esta ninhada será composta exclusivamente de fêmeas fundadoras. Estas, que podem ter asas ou não, darão origem a bebês de forma partenogeneticamente, ou seja, sem a necessidade de um parceiro para fecundá-la. 

21 Curiosidades sobre pulgões 

  1. Os pulgões ficaram famosos quando atingiram grandes populações na década de 1970, onde se encontrou infestações de duas espécies: pulgão-da-folha e pulgão-da-espiga. 
  2. A primeira espécime registrada no Brasil foi pulgão-verde-dos-cereais.  
  3. Quando em repouso, as asas desse bicho ficam eretas ou na horizontal. 
  4. O frio aumenta seu tempo de vida, mas diminui a rapidez de sua multiplicação. 
  5. É chamado também de piolho-das-plantas. 
  6. Existem cerca de 250 espécies que são consideradas pragas em plantações.  
  7. Ele pode afetar tanto a agricultura, quanto florestas e jardins. 
  8. A joaninha é o principal caçador do pulgão. Sendo assim, o uso de inseticida pode até ser dispensável.
  9. É visto por todo mundo, mas prefere regiões temperadas.
  10. Consegue migrar por grandes distâncias por meio da dispersão passiva – vento. Por causa disso, acredita-se que o piolho-de-alface migrou da Nova Zelândia para a Tanzânia. Essa viagem também é feita pelos humanos por meio do transporte de vegetais infectados. 
  11. A família é constituído por 4 mil espécies. 
  12. Ao se alimentar, gera uma substância açucarada chamada de honeydew – orvalho-de-mel – que é consumido pelas formigas. 
  13. A postura de ovos sem um parceiro acontece em grande escala durante o verão, com as fêmeas dando a luz até 16 gerações, mas a maioria consegue gerar apenas duas. No outono, a espécie que predomina são aquelas com asas. É neste período que acontece o acasalamento com o macho. 
  14. Uma ninfa se desenvolve de filhote até a fase adulta em apenas oito dias. 
  15. Por causa dessa característica, a espécie é tanto ovípara quanto vivípara. 
  16. Essa reprodução sem a necessidade de um parceiro é uma consequência ao clima onde os animais vivem. Ou seja, mesmo em um ambiente artificial ela continuaria com esse estilo assexuado, sob a temperatura correta. 
  17. Acredita-se que os afídeos apareceram há 280 milhões de anos atrás, no Carbonífero.
  18. O fóssil mais antigo do indivíduo pertence a espécie Triassoaphis cubitus. 
  19. As formigas não só consomem o honeydew dos pulgões, existe uma relação entre eles. O bicho chega a montar colônias de afídeos, as conduzindo como ovelhas para partes específicas das plantas como uma forma de protegê-las mais eficientemente. Algumas chegam a carregar esses insetos na boca e até levá-los para dentro do formigueiro no fim do dia. Já foi visto também a formiga estimulando o pulgão, acariciando suas antenas. É um relacionamento conveniente. Enquanto este alimenta a formiga, esse bicho protege a praga de ser caçada por seus predadores, como as joaninhas, por exemplo. Por causa disso, os piolhos também são chamados de vacas-das-formigas. 
  20. Em alguns casos, formigas rainhas levam sempre um ovo de pulgão quando vai construir um novo formigueiro, para assim criar uma população da criatura no lugar para onde está se mudando. 
  21. Alguns indivíduos conseguem mudar de cor ao sintetizar a luz. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *