Home / Informações / Pinguim Rei Com Fotos

Pinguim Rei Com Fotos

O pinguim rei como toda espécie de pinguim é uma ave marinha e aquática, sendo assim, habita maior parte do tempo nas águas da Antártida, região de onde é natural e onde se encontra todas as dezoito espécies de pinguins, que migram para algumas outras regiões atrás de caça para a sua alimentação ou por conta de mudanças climáticas, entre elas o oposto do clima da sua região de origem.

Na Costa do Sudeste do nosso país podem ser avistados especialmente de dezembro a janeiro -por conta da migração-, mais especificamente no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Rio de janeiro.

Sua espécie é a aptenodytes patagonicus. Dentre suas classificações que o caracterizam, é da família spheniscidae e da ordem sphenisciformes, com sua adaptação ao seu habitat, com sua camada isolante a água de temperaturas muito baixas e impermeabilizantes na pele através de secreção de óleos.

Monogâmico Até Morrer, Assim é o Pinguim Rei

Como característica curiosa de algumas aves, o pinguim rei é monogâmico e se reproduz com um único par por toda a sua vida, entretanto alguns casais de pinguins reis podem se separar ou se divorciar pela reprodução não estar acontecendo.

Quando se reproduzem no período de reprodução anual, que acontece por um período longo de novembro a abril, não só a fêmea é dedicada aos filhotes como algumas espécies de animais, mas o pai também, tanto é que revezam o trabalho de forma justa. Assim sendo, depois do nascimento, os filhotes são totalmente dependentes dos pais por um período de um mês a até quarenta dias.

Nesta fase a fêmea pode ficar cuidando e protegendo os filhos do frio que ainda não são capazes de suportar sozinho as baixas temperaturas e de predadores, enquanto o macho vai à caça de alimentos para a família ou vice versa.

A incubação antes de o ovo eclodir e o filhote nascer, também é feita por ambos os progenitores e dura cerca de cinquenta e cinco dias. São postos somente um ovo por ninhada e muito raramente no máximo dois.

Depois deste tempo mais dependente, o filhote se torna mais independente com cerca de treze a dezesseis meses e passam a viver em uma espécie de creche só com filhotes de casais de pinguins reis organizadas pelos adultos em sua espécie de colônia, como se fosse uma sociedade que formam e convivem entre si, também como uma forma de esquentarem a temperatura do ambiente tão frio em que habitam.

São animais que vivem em grandes grupos. Os ninhos são postos nestas mesmas colônias, feitos com pedras encontradas no habitat sob a terra ou o gelo. Nesta fase de proteção aos ovos, apesar de serem animais amigáveis, podem chegar a se comportar de forma agressiva para garantir o nascimento do seu filhote.

Ainda sobre seu habitat, é possível distinguir facilmente os pinguins adultos dos filhotes, que geralmente se igualam em quantidade. Os filhotes tem quase o mesmo porte, mas enquanto os adultos têm o peito branco, as costas, asas e os pés pretos, a face, cabeça, olhos e a parte de cima do bico em um tom de preto ainda mais escuro com a parte de baixo do bico, lados da cabeça e começo do peito laranja vivo, os filhotes são inteiramente marrons, somente com os pés, bicos e olhos pretos e ganham as cores das penas dos adultos conforme vão amadurecendo.

Suas penas mais fofas e sua gordura mais presente -comparado aos adultos- são adaptadas ao seu habitat, de tal forma que eles consigam se aquecer sozinhos com o tempo.

Pinguim Rei Aparência do Macho e da Fêmea

Não tem dimorfismo sexual, ou seja, não há distinção na aparência do macho comparado a fêmea por conta do sexo. A única diferença entre os sexos é que a fêmea é um pouco menor que o macho, o que chega a ser visível aos olhos e é possível distinguir os sexos somente assim, como a maioria das espécies de animais.

Ambos os sexos podem chegar a medir de oitenta e cinco a noventa e cinco centímetros de altura e pesar de nove a dezessete quilos. Tais medidas não só parecem muito para uma espécie de pinguim como de fato são. Os pinguins reis são a segunda maior espécie de pinguim, perdendo somente para outra espécie de pinguim que é pertencente ao mesmo gênero que ele, o gênero aptenodytes, o pinguim imperador. Além deles dois, o terceiro e último presente na mesma classificação de gênero é o

Pinguim de ridgen, ou aptenodytes ridgeni, como é seu nome científico, mas atualmente já se encontra infelizmente extinto, sendo assim, só é possível ver um fóssil seu.

Como Estes Animais se Alimentam

Pinguim Rei Saindo da Água
Pinguim Rei Saindo da Água

É das mesmas águas que passam a maior parte do tempo em seu habitat aquático e marinho que caça a sua alimentação, onde podem chegar a atingir a velocidade de um veículo, com cerca de quarenta e cinco quilômetros por horas, nadando com suas asas que apesar de não permitir que eles voem, se adaptaram muito bem para a função de nadadeiras.

Seu bico é comprido e pontiagudo, com estas características caçam facilmente crustáceos, moluscos e pequenos peixes de que é baseada a sua alimentação.

Por outro lado, seus predadores são as orcas, as focas e os leopardos, suas penas brancas e pretas ajudam na sua camuflagem para se proteger da caça destes animais.

São Desajeitados no Gelo

População de Pinguim Rei
População de Pinguim Rei

Da mesma forma que podem e devem se proteger de predadores, são totalmente amigáveis com outras espécies que vivem no mesmo habitat, como os gigantes leões e elefantes marinhos.

Geralmente, inclusive, têm a mesma reação ao ver seres humanos em seu habitat, desde que haja limite, claro e podem chegar a ser até curiosos.

Apesar de serem espertos na água, no gelo caracteristicamente são desajeitados, e com as asas e com as caudas que conseguem se equilibrar e andar com suas pernas curtas. Com tanta dificuldade também escolhem escorregar no gelo de barriga para baixo ao invés de andar.

Em suas colônias, se comunicam entre eles em uma espécie de barulho, é desta forma que o nada paciente filhote comunica aos seus pais que está com fome, é assim também que o casal se comunica, e que os pinguins machos que ainda não formaram par, cortejam a fêmea, neste ato, soltam um alto grito e se exibem para conquistar a fêmea desejada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *