Home / Informações / Percevejo-marrom: Características, Curiosidades e Fotos

Percevejo-marrom: Características, Curiosidades e Fotos

Conhecido como percevejo-marrom-da-soja ou Euschistus heros, este inseto é uma das maiores pragas da cultura de soja, sendo uma espécie considerada agressiva por causa dos danos que provoca na lavoura. Isso ocorre devido a sua alimentação: ele consome a seiva das plantas, principalmente nas regiões dos ramos, hastes e vagens, neste último pode causar um prejuízo de até 30%, diminuindo a potência do produto. 

Características do percevejo-marrom 

Na fase adulta, o animal mede 11 milímetros de comprimento, tem um coloração marrom e exibe uma meia-lua branca no fim do seu torso, mais dois espinhos laterais no prototórax. A espécie possui uma coloração diferente no começo da vida. Quando nascem têm um tom mais claro. Na fase adulta, o abdômen apresenta uma cor de verde-claro, além de exibir duas manchas escuras em seu dorso. 

Percevejo-marrom
Percevejo-marrom 

Hábitos 

A postura dos ovos acontece em fileiras duplas.

Ele se alimenta de diversas plantas, o que inclui leguminosos e compostas. Na soja, é capaz de completar três gerações inteiras. No fim do verão e no início do inverno, uma quarta família é gerada, mas agora no feijão-guandu. 

Nas estações quentes, ele é visto se alimentando da erva daninha. Nesta situação ele é chamado de amendoim-bravo ou leiteiro. Porém, não se reproduz nessas duas espécies. Tal feito só foi observado em laboratório. 

Já no outono ele procura abrigo, principalmente na palhada, onde fica até o próximo verão. Durante este tempo, o percevejo não se alimenta, acumulando lipídios e parcialmente em hibernação. Fica neste “descanso” pelos próximos sete meses, normalmente em torno das lavouras e embaixo de folhas caídas dos cafés, feijão e mangueiras, e é aí que mora o perigo. Se o agricultor não limpar e tratar bem a terra antes do próximo plantio, a praga atacará a nova vegetação. Caso aconteça isso, o empresário pode utilizar produtos químicos de curta permanência, ou seja, que seja absorvido imediatamente pela plantas e não cause problemas ao ambiente e ao ser humano.

Espécies de percevejos e as vegetações que atacam 

Como dito anteriormente, ele é considerado uma das piores pragas entre os plantadores de soja. O animal pode causar a redução no rendimento do plantio e também na qualidade da semente. Assim como a sua picada pode abrir portas para fungos, como o Nematospora coryli que, por sua vez, resulta em necrose, menos vigor por parte do vegetal e a perda da germinação. Quanto ao percevejo em si, este provoca nos vegetais um aspecto enrugado, deixando as sementes menores, chocas e mais escuras. 

As plantas hospedeiras próximas a lavoura e restos da cultura anterior favorecem o aparecimento do percevejo, e não só do tipo marrom. Além disso, isso também pode influenciar na quantidade desses animais no próximo cultivo, como dito anteriormente. 

Um dos fatores que colaboram para impedir a invasão desses bichos na plantação é sua identificação. Isso permite ao agricultor saber quais medidas deve tomar e quando fazê-las. Abaixo, descreveremos as duas principais espécies – além do próprio percevejo-marrom-da-soja já descrito – dessa praga e como eliminá-las. 

Percevejo-verde 

Também conhecido como fede-fede ou Nezara viridula. É chamado pelo primeiro nome por causa do odor que libera quando se sente ameaçado. Possui um corpo verde, que mede cerca de 12 a 15 milímetros de comprimento, com duas antenas. A fêmea dessa espécie pode ser tanto esverdeada quanto preta, com manchas circulares brancas, além de pontos negros espalhados por seu corpo.

Quando ataca os vegetais, costuma se alojar nos grãos, folhas e vagens. 

Os ovos desse bicho tem uma coloração amarela e são depositados na folhagem das plantas, principalmente em sua parte inferior. Cada conjunto costuma ter de 50 a 100 recipientes com bebês. Quando as ninfas nascem, costumam ficam em cima desse aglomerado. Se passa 40 dias da fase inicial até o estágio adulto. 

Seu ataque ocorre durante a formação das vagens até o fim do desenvolvimento das sementes. Dentre todas as espécies, ele é o que causa mais danos a uma lavoura, isso por causa das áreas que ataca, causando a diminuição das folhas da planta. 

Uma das formas de matar o percevejo-verde é utilizando produtos químicos, mas para isso o agricultor deve identificar a espécie corretamente e a quantidade de animais presentes na lavoura. Outro ponto que pode evitar o seu aparecimento é o manejo integrado. 

Nezara viridula
Nezara viridula

Percevejo-verde-pequeno 

Cientificamente chamado de Piezodorus guildinü, o verdinho é encontrado em todas as regiões que possuem soja, seja no Brasil ou nos países vizinhos. Na fase adulta, exibe um corpo verde-amarelado com uma listra marrom transversal na parte de cima do seu corpo, próximo a cabeça. Uma das características físicas mais conhecidas da espécie. Mede até 10 milímetros de comprimento. Já as fêmeas, no começo da sua vida, tem uma coloração avermelhada, se esverdeando aos poucos. 

Do ovo até a fase adulta, o percevejo demora 28 dias para de desenvolver, bem mais rápido que o fede-fede.

As ninfas depositam os ovos, que são escuros, em ambos os lados das folhas, assim como no caule, ramos e nas vagens. Este se amontoa num grupo de 10 a 20 recipientes. 

Este bicho costuma se acomodar nas vagens e folhas, além dos grãos. E apesar de ser visto em toda a fase da soja, ele costuma ser uma dor de cabeça na fase do desenvolvimento do primeiro e no enchimento do terceiro item. 

Ele se alimenta nessas três regiões, o que acaba causando encurtamento foliar. Ela também provoca a perda do rendimento da produção, assim como na qualidade da semente. O bicho ainda pode incentivar o aparecimento de doenças. 

Uma das formas de acabar com essa praga é utilizando a pulverização de produtos químicos, assim como o monitoramento da lavoura. 

Piezodorus guildinü
Piezodorus guildinü

Curiosidades 

  • Existe uma espécie chamada de percevejo da cama. 
  • Apesar de ser considerado uma praga, ele também é um regulador destes. Aqueles que pertencem a ordem Asopinae fazem esse papel. Eles são identificados por um triângulo saliente na parte superior do seu corpo. 
  • Possuem grande instinto parental. A mãe guarda e protege seus ovos dos predadores, assim como serve de escudo caso aparece parasitas. Em duas espécies, os machos fazem essa vigia, e isto não é um comportamento comum entre eles. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *