Home / Informações / Pato Animal: Curiosidades, Nome Científico e Habitat

Pato Animal: Curiosidades, Nome Científico e Habitat

Animal bem comum no nosso dia a dia, o pato é uma ave aquática que faz parte da família anatidae, juntamente com o cisne e o ganso. E o fato deles serem comuns em nosso cotidiano é porque eles podem ser encontrados em quase todo o planeta. Algumas aves dessa espécie são migratórios, percorrendo longas distâncias para passarem as diferentes estações do ano em diversos lugares. 

O pato além de ser criado como animal de estimação, também serve como alimento em muitas regiões do mundo, sendo consumido sua carne e seus ovos. Há ainda que utilize suas penas. Em outros lugares o bicho é caçado como uma espécie de esporte. 

Esse animal é muito parecido com o marreco, inclusive existem algumas pessoas que usam a palavra marreco para se referir ao pato, mas é possível encontrar algumas características que separam essas aves uma da outras. 

Pato
Pato

Características físicas do pato 

Com um corpo robusto, o pato possui um pé com membranas natatórias. Suas penas internas são macias, chamadas de penugem, e ajudam a bicho a se manter aquecido. Eles possuem uma glândula próxima a sua cauda responsável por produzir um óleo que protege suas penas externas da água. 

E eis uma das características que o diferencia dos marrecos, gansos e cisnes. No caso do primeiro, eles costumam ser maiores, já comparado as outras duas aves, o pato é menor. O bicho costumam medir cerca de 85 centímetros e suas patas ficam bem na parte traseira de seu torso. Essa posição auxilia esse  animal a nadar bem quando está na água, mas fazem seu corpo oscilar de um lado para o outro quando estão na terra, é por isso que eles têm um andar engraçado. 

Machos e fêmeas têm uma aparência bem parecida, menos durante o período de acasalamento. Nesta época do ano os patos adotam penas mais coloridas. 

Comportamento

Sua dieta é composta de plantas aquáticas e gramíneas que ficam nas margens dos lagos. Eles também comem invertebrados aquáticos, como girinos e peixes pequenos. 

O ninho do pato é construído no chão. A fêmea bota de 8 a 14 ovos por gestação e, apesar de normalmente ser uma tarefa das patas, os machos ajudam a chocar os ovos e, quando estes nascem, o macho também ajuda a cuidar dos filhotes. 

Apesar do ninho ser mais comumente construído no chão, algumas espécies botam seus ovos no oco das árvores, como é o caso do pato-mandarim. 

No Brasil e em outros lugares do mundo é muito comum encontrarmos esses animais em parques ou lagos públicos. A diversidade de espécie também é recorrente no país, por isso é muito comum encontramos diferentes aves dessa família, como o pato-de-crista, pato-do mato e pato-mergulhão, que infelizmente está ameaçado de extinção. 

O irerê também é muito comum no Brasil, mas ao contrário do que a grande maioria pensa, ele é um marreco, não um pato. Em alguns lugares é possível ouvir esse animal, a noite, voando com o seu bando. Aliás, seu nome é uma onomatopeia do som emitido pelas fêmeas irerê. 

Habitat 

Esses animais vivem nas margens de rios, lagos, pantanais e áreas alagadas. Algumas espécies, como o pato-do-mato habita em rios próximos a orla do mar. 

Espécies brasileiras e suas curiosidades

  • Pato-mergulhão (Mergus octosetaceus): espécie comum não só no Brasil, mas na América Latina, é possível encontrá-los também na Argentina e no Paraguai. Medem de 48 a 55 centímetros, possui a cabeça e o pescoço em tom preto, asas, cauda e torso cinza, ventre e peito cinza-acastanhado, bico preto e pés vermelhos. Costumam morar em cerrados e florestas subtropicais, como rios e córregos de águas claras. Gostam de nascentes, com pelo menos 1 metro de profundidade. E do tipo sedentária e monogâmica. E, apesar de viverem na água, também são ágeis em terra e são capazes de escalar cachoeiras, saltando de uma pedra a outra. Usam do mergulho para poderem se alimentar e comem peixes e macro invertebrados aquáticos. Botam seus ovos entre os meses de junho a outubro, normalmente em ocos de árvores e/ ou cavidades nas rochas. A fêmea desta espécie coloca 8 ovos, que são chocados por cerca de 30 dias.
  • Pato-do-mato (cairina moschata): outra espécie encontrada na América latina e central, em todos os lugares do Brasil, México e Argentina. Os machos dessa espécie medem 85 centímetros de comprimento e pesam até 2,2 quilos. As fêmeas costumam ter a metade do tamanho do macho. Seu corpo é preto com uma faixa branca nas asas e uma região vermelho em torno dos seus olhos (presente somente nos patos de sexo masculino). Se alimentam com o pescoço e a cabeça embaixo d’água e comem principalmente folhas de plantas aquáticas e sementes. Tem hábitos diurnos e vivem empoleirados nas árvores altas, onde também dormem com o auxílio de suas garras. Botam seus ovos entre os meses de outubro e março nos ocos das Árvores próximas a margem ou matas perto da água. Assim que os filhotes nascem, a mãe chama eles para entrarem na água. 
Pato
Pato

Importância econômica 

Além de sua importância ecológica, o pato também tem relevância no âmbito econômico, muito utilizado na gastronomia. O consumo no Brasil cresceu nos últimos anos, entre 5 a 10%, por ano. Apesar disso, a demanda de carne desse animal em território nacional não é muito comum, girando em torno de 20 gramas por pessoas. Já em outros países, como França e China esse consumo pode passar de 1 quilo por ano por pessoa. 

Um dos pratos mais comuns no Brasil com a carne desse animal é o pato no tucupi, prato paraense que é acompanhado de jambu – erva típica da região norte – e tucupi, líquido amarelo retirado da mandioca brava. Além de ser uma iguaria nos restaurantes de alto padrão. 

Para quem achou que o pato era apenas um animal comum de parques públicos, enganou-se. O que achou te conhecer mais sobre essa indivíduo extremamente comum no Brasil e no nosso dia a dia? Bem interessante, certo? Gostaria de saber algo mais sobre ele ou algum fato te chamou mais atenção? Venha nos contar nos comentários e não esqueça de compartilhar com seus amigos cibernéticos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *