Home / Informações / Nicho Ecológico Do Macaco Aranha e De Cheiro

Nicho Ecológico Do Macaco Aranha e De Cheiro

O macaco aranha é um primata da família Atelidae e o nome é, na verdade, comum a algumas espécies do gênero Ateles. As espécies desse grupo possuem pelo brilhante que cobre todo o corpo, exceto o rosto, braços longos e esguios e cauda preênsil que permitem uma locomoção com facilidade entre as árvores. A presença dos membros esguios é que conferiu às espécies o nome popular. O macaco aranha não possui polegares, mas uma porção de pele exposta no final de sua cauda aumenta sua capacidade de preensão.

O macaco de cheiro também é um primata da família Cebidae e pertence à espécie Saimiri sciureus, uma das menores espécies de primata, com cerca de 30 cm de comprimento. É uma espécie pequena, com pelagem curta e densa, geralmente verde-oliva, cinza-acastanhada ou vermelho-ferrugem, apresentando coloração preta nos ombros, garganta e orelhas brancas. O macaco de cheiro possui uma máscara branca bem característica da espécie ao redor dos olhos. Diferentemente do macaco aranha, a cauda do macaco de cheiro não é preênsil.

Distribuição e Habitat do Macaco Aranha

O macaco aranha é encontrado em regiões de climas tropicais, em algumas regiões do México, mas especialmente nas florestas tropicais da América Central e do Sul. A espécie Ateles marginatus é a única endêmica do Brasil, sendo encontrada nos estados do Pará e Mato Grosso.

Dentro de seu nicho ecológico, as espécies de macaco aranha apresentam hábito arborícola, vivendo principalmente no dossel superior das árvores, movimentando-se com facilidade à procura de alimento. O macaco aranha ocorre, preferencialmente, em floresta tropical de terra firme, mas pode ser encontrado também habitando florestas semi-decíduas e de mangue, sendo mais restrito às regiões primárias das florestas. Em períodos de escassez alimentar, pode ocupar florestas alagadas. São espécies que apresentam alta sensibilidade aos distúrbios, como falta de alimento.

Alimentação do Macaco Aranha

O macaco aranha é um animal onívoro dentro de seu nicho ecológico, mas sua dieta compõe-se majoritariamente de frutas e sementes. Eles também se alimentam de folhas jovens quando há escassez alimentar, flores, raízes aéreas, ocasionalmente casca e madeira, mas os frutos maduros compreendem entre 73 a 92% de sua dieta. Os alimentos de origem animal compreendem mel, insetos adultos, larvas de insetos, ovos de aves e cupinzeiros. O macaco aranha come enquanto está pendurado nos galhos das árvores, subindo ou se movendo. Devido à sua dieta essencialmente frugífera e ao fato de que as sementes ingeridas saem intactas após a digestão, o macaco aranha apresenta um papel significativo na dispersão de sementes ao longo de sua extensão de ocorrência.

Comportamento e Hábitos do Macaco Aranha

O macaco aranha apresenta um hábito social, vivendo em grupos pequenos a médios com até 30 indivíduos e há estreita associação entre a mãe e a prole. Existem indivíduos que vivem de forma individual, mas sempre próximos ao seu grupo. Esse tipo de relação evoluiu como uma resposta aos seus padrões de alimentação, pois viver em grandes grupos não é favorável uma vez que o principal componente da dieta são frutos. Quando as fontes de alimento não são escassas, o macaco aranha é capaz de viver em grandes grupos. Os machos dos grupos lideram em rotas de forrageamento, enquanto as fêmeas são melhores em encontrar rotas alimentares mais variadas. O macaco aranha é um animal diurno, dormindo à noite geralmente acima do dossel, a fim de evitar predadores. Os predadores naturais do macaco aranha incluem felinos de grande porte, como a onça pintada.

Macaco Aranha
Macaco Aranha

Todas espécies de macaco aranha estão ameaçadas e se encontram em algum grau de risco de extinção, principalmente devido ao desmatamento e à perda de habitat para a agricultura, caça predatória e algumas espécies são usadas ​​como fonte de alimento para humanos em algumas regiões.

Distribuição e Habitat do Macaco de Cheiro

O macaco de cheiro pode ser encontrado em florestas tropicais da América Central e do Sul, principalmente no Brasil, Guiana, Guiana Francesa e Suriname. Dentro de seu nicho ecológico, é uma espécie muito adaptável ​​e pode viver em várias áreas da floresta, como as bordas, mas evitam clareiras. O macaco de cheiro apresenta hábito arborícola, vivendo, geralmente, na copa das árvores das florestas tropicais, em alturas médias que chegam a 30 metros, normalmente perto de uma fonte de água, como um rio. A espécie raramente desce até ao chão da floresta, percorrendo longas distâncias pelo dossel inferior da floresta. O macaco de cheiro habita preferencialmente a área da floresta sazonalmente inundada e apresenta certa tolerância a perturbações no ambiente, podendo ser encontrado em florestas próximas a ocupações humanas.

Alimentação do Macaco de Cheiro 

O macaco de cheiro é uma espécie onívora e se alimenta principalmente de frutas e insetos, às vezes ingerindo moluscos ou pequenos vertebrados, como morcegos e pássaros. A espécie também se alimenta de sementes, folhas, flores, botões e ovos de vertebrados. Os indivíduos forrageiam ou caçam na superfície de folhas vivas ou procurando em conjuntos de folhas mortas e, graças a seus corpos pequenos e ágeis, eles podem escalar com facilidade até as extremidades dos galhos para buscar frutos.

Comportamento e Hábitos do Macaco de Cheiro

O macaco de cheiro é uma espécie diurna dentro do seu nicho ecológico. São muito ativos e podem se movimentar entre as árvores com uma velocidade excepcional, sendo capazes de saltar longas distâncias horizontais. É uma espécie com ampla gama de vocalizações, principalmente vocalizações de alerta para predadores tanto aéreos, quanto de solo, como grandes felinos, cobras e aves de rapina. São animais sociais, vivendo em grupos muito grandes, que podem chegar a 100 indivíduos. Há subdivisões dentro dos grupos, incluindo o grupo dos animais adultos, o grupo das fêmeas com seus filhotes e o grupo dos animais mais jovens. Existe cuidado parental, sendo que os filhotes também são cuidados por outras fêmeas do grupo.

Macaco de Cheiro 
Macaco de Cheiro

Oficialmente, o macaco de cheiro não está incluído no rol de espécies que apresentam risco de extinção. No entanto, a espécie é comumente capturada para ser mantida como animal de estimação e para uso em pesquisas biomédicas. A longo prazo, algumas ameaças podem vir a ser um problema para a existência da espécie, como a perda de habitat ao longo de sua distribuição geográfica, devido ao desmatamento, à mineração e  à instalação de hidrelétricas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *