Home / Informações / Mosquito da Dengue: Características

Mosquito da Dengue: Características

O Aedes aegypti é uma espécie de mosquito da família Culicidae, sendo um importante vetor de doenças causadas por vírus, como a febre amarela, dengue, chikungunya e zika. A espécie originou-se na África e se espalhou para outros continentes através do comércio e devido à excelente capacidade de colonizar novos ambientes.  Agora o mosquito encontra-se distribuído mundialmente, principalmente em regiões tropicais e subtropicais.

Mosquito da Dengue 
Mosquito da Dengue

Habitat do Mosquito da Dengue 

O mosquito se adaptou às zonas urbanas e ao ambiente doméstico, muitas vezes se reproduzindo em torno de habitações, em pequenas quantidades de água estagnada e, inclusive, as larvas do mosquito da dengue se adaptaram e são capazes de se desenvolver em recipientes feitos pelo homem no ambiente urbano, como pneus velhos ou outros pequenos recipientes descartados. Este mosquito desenvolveu uma baixa especificidade de hospedeiro e, portanto, não tem dificuldade em encontrar alimento na maioria dos ambientes. O mosquito da dengue normalmente escolhe seu habitat com base na disponibilidade de recursos alimentares e de locais para reprodução e desenvolvimento, sendo capaz de utilizar como habitats contêineres naturais e artificiais. Assim, a dispersão de fêmeas é determinada principalmente pela disponibilidade de locais de oviposição. Na maioria dos casos, os mosquitos de A. aegypti não saem das casas onde nasceram ou dos arredores, permanecendo no mesmo habitat durante toda a vida. Assim, suas distâncias de dispersão não excedem 200 metros.

Características e Hábitos Alimentares do Mosquito da Dengue

O mosquito da dengue mantém seu corpo paralelo à superfície com a tromba curvada para baixo. As asas são uniformemente coloridas e a espécie apresenta abdômen e tórax prateados, com manchas brancas no abdômen e padrão distinto de listras brancas e pretas ao longo das pernas e cerdas espiraculares posteriores. A ponta do abdômen da fêmea é pontiaguda e tem cerdas salientes. Os machos são ligeiramente menores que as fêmeas, mas são muito semelhantes morfologicamente. Nas fêmeas do mosquito da dengue, os palpos são muito menores do que a probóscide, sendo crucial para o hábito alimentar hematófago.

Características do Mosquito da Dengue 
Características do Mosquito da Dengue

A fêmea do mosquito da dengue é hematófaga, se alimentando preferencialmente e mais frequentemente do sangue humano. A espécie apresenta hábitos diurnos, se alimentando durante o dia. Os adultos se alimentam com frequência e alimentações múltiplas são comuns. As fêmeas produzem uma picada inócua, geralmente na parte de trás do pescoço e dos tornozelos, e são facilmente perturbados durante a refeição, fazendo com que eles terminem a refeição em outro indivíduo. Ao procurar por um hospedeiro, a fêmea primeiramente exibe um comportamento de busca inespecífica até a percepção dos estimulantes do hospedeiro. Ao encontrar o hospedeiro, a fêmea inicia uma aproximação, pousando e empurrando sua probóscide através da pele em busca de um vaso sanguíneo. Os machos do mosquito da dengue não são parasitas, se alimentando de néctares e fluidos de plantas. As fêmeas também ingerem a mesma fonte vegetal de alimento, mas precisam de uma refeição de sangue para que os ovos possam se desenvolver. A fêmea do mosquito da dengue infecta-se com o vírus da doença apenas quando suga o sangue de alguém que é portador do vírus. Apenas entre 10 e 12 dias depois da ingestão do vírus é que as partículas virais se multiplicam no organismo do mosquito, invadindo suas glândulas salivares. Somente a partir deste momento é que a fêmea do mosquito é capaz de transmitir o vírus ao picar outra pessoa.

Reprodução do Mosquito da Dengue 

As fêmeas do mosquito da dengue colocam seus ovos em áreas em que haja uma disponibilidade de água parada, podendo ser uma mínima quantidade, desde uma poça d’água até um recipiente contendo um filete de água. Os ovos do mosquito da dengue são postos próximos à superfície da água, são minúsculos e medem, aproximadamente, 1 mm de comprimento e não são postos somente em água limpa e parada, mas também em águas extremamente poluídas, como o esgoto.  Vários fatores são levados em conta pela fêmea para a escolha do local de deposição dos ovos e crescimento das larvas, como temperatura, luminosidade e matéria orgânica. O desenvolvimento embrionário dura 48 horas, em condições adequadas de umidade e temperatura e, após isso, os ovos podem sobreviver a longos períodos de seca e eclodir quando expostos à água novamente.

Reprodução do Mosquito da Dengue 
Reprodução do Mosquito da Dengue

As larvas que saem dos ovos são curtas e robustas e têm um tubo de respiração.  Durante cerca de uma semana, a larva vive na água e passa por um período de alimentação e crescimento e quatro estágios evolutivos. Após as quatro fases, ocorre o empupamento e, nesta fase, as pupas não se alimentam e é o período no qual ocorre a metamorfose do estágio larval para o adulto. Após cerca de três dias, o adulto alado emerge da pupa. O adulto é fase de reprodução da espécie e uma importante fase de dispersão. A partir do momento em que deixam a pupa, os adultos iniciam a busca por um hospedeiro para se alimentar e já podem se acasalar. O acasalamento geralmente ocorre durante o voo. Quando não se alimentam ou não acasalam, os adultos permanecem descansando em clareiras abertas ou áreas onde há espaço amplo e recipientes para postura de ovos. O ciclo de vida é bastante variado, dependendo das condições climáticas, podendo durar de 10 dias até vários meses.

Combate ao Mosquito da Dengue

O controle do mosquito da dengue é extremamente difícil, por diversos fatores. Primeiramente, a espécie é muito versátil na escolha dos locais de deposição dos ovos. Além disso, a capacidade de resistência dos ovos à dessecação é também um obstáculo ao combate, pois os ovos podem ser transportados a grandes distâncias, como uma forma de dispersão passiva do mosquito. Como são espécies vetores de doenças, impedi-los de se alimentar de seres humanos é considerada uma importante estratégia de combate. O combate à picada pode ser desenvolvido por meio do uso de repelente de mosquitos, roupas longas que cubram os braços e pernas, telas em portas e janelas e mosquiteiros tratados com inseticida. As populações e novas gerações de mosquito da dengue podem ser controladas através da eliminação de fontes de água parada, ou por meio de medidas que tornem as fontes de água inapropriadas para o desenvolvimento das larvas, como, por exemplo, a aplicação de um filme de óleo que irá entupir os tubos de respiração das larvas. O uso de inseticidas também pode ser útil no combate às larvas e aos adultos. Como forma de controle biológico, podemos incluir a manutenção das populações de predadores naturais, como outras espécies de mosquitos, aranhas, morcegos e pássaros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.