Home / Informações / Moréia-verde: Características, Fotos, Habitat e Nome Científico

Moréia-verde: Características, Fotos, Habitat e Nome Científico

Ao contrário da sua fama, a moreia-verde (Gymnothorax funebris) é um indivíduo docil. Tem um corpo parecido com o da cobra, mas na verdade ela faz parte da família das enguias, grupo de peixes ósseos chamado de Anguilliformes.

Algumas são coloridas, como é o caso da moreia-verde e podem chegar a 3,5 metros de comprimento e um peso de 29 quilos. Tem uma aparência estranha e é conhecida como caramuru pelo povo indígena. 

É um peixe do tipo elétrico, com um corpo alongado e fino. 

Ao todo, existem cerca de 200 espécies desse animal, com 15 gêneros, com alguns ultrapassando os 4 metros de envergadura. O maior espécime registrado tinha 15 metros e 19 quilos, e foi capturada em 1997, na Flórida. 

Moréia-verde
Moréia-verde 

Características da moréia 

É um indivíduo com hábitos noturnos. É do tipo carnívoro e se alimenta de polvos, peixes e crustáceos. Tem uma boca grande com dentes bem afiados, o que a faz ter sucesso na captura das suas presas. 

É um bicho solitário e durante o dia se esconde em rochas, ficando apenas com a cabeça para fora, com a boca aberta. Normalmente fica numa região com um metro e quarenta de profundidade. 

Também é possível vê-la em meio a corais, mangues e rios costeiros, sendo este último o local menos comum para encontrá-la. 

Apesar do nome moreia-verde, na verdade o caramuru é amarelo. Juntando isso com as algas minúsculas que vivem no muco do seu corpo, ela adota esse tom amarelado. Mas, a sua verdadeira cor é uma mistura de azul-escuro com cinza, principalmente depois de morta. Os jovens costumam têm somente uma dessas duas cores porque eles ainda não desenvolverem a colônia de algas em seu torso. 

Ele não tem nadadeira peitoral e escamas. 

Exibe olhos pequenos, mas têm o olfato bem desenvolvido. 

Reprodução

Realiza fecundação externa e costuma ter um local para isso, o que faz ela ser um bicho migratório. Na área, milhões de ovos são liberados, mais só alguns chegam a ser fertilizados. Menor ainda é o número daqueles que chegam à fase adulta. 

Venenosas?

Por não ter nenhum tipo de proteção, como escamas ou couro, ela expele um muco com toxina. 

Outros peixes elétricos 

1 – Enguia elétrica 

Enguia elétrica
Enguia elétrica

Assim como a moréia, a enguia elétrica também dá choque. É um peixe grande e pode chegar aos 2,5 metros de comprimento e pesar 20 quilos. É encontrada na América do Sul, inclusive no Brasil. Exibe 3 pares de órgãos elétricos e gera dois tipos de correntes elétricas, uma de baixa voltagem (25 Hz) e outro de alta (500 volts), que é chamado de EOD. Essa potência é capaz de matar um cavalo e metade do valor pode facilmente levar a óbito um ser humano. Consegue produzir essas descargas, quando agitadas, por cerca de uma hora, sem parar. 

2 – Torpedo Sinus Persici 

Torpedo Sinus Persici
Torpedo Sinus Persici

O torpedo é um peixe de corpo achatado e redondo. Ele é capaz de dar choques de até 200 volts. 

Ele costuma medir 1,8 metros e pesar 90 quilos, podendo ser letal para os seres humanos. 

A energia é armazenada em seu tecido e ela age como uma bateria. Esse animal já era citado pelos gregos. 

3 – Peixe gato 

Peixe gato
Peixe gato

O peixe gato é um dos representes do grupo de bagres africanos de água doce. Sua voltagem gira em torno de 300 volts, um número mais que suficiente para matar uma pessoa. É comum suas presas ficarem paralisadas devido a esse choque elétrico. 

Ele vive no rio Nilo e também era conhecido e representado pelos gregos. 

A criatura mede em torno de 1,2 metros e pode pesar 20 quilos. 12 espécies são conhecidas e a grande maioria não chega aos 30 centímetros de comprimento. 

Curiosidades 

  • Apesar de solitária, a moréia tem um companheiro constante: o peixe-limpador. Ele é o responsável por limpar a pele do animal, impedindo que este fique com parasitas ou com comida presa nos dentes. 
  • A carne do bicho é comida em várias regiões do Brasil, assim como em Portugal. 
  • Costuma fugir das linhas dos pescadores se escondendo na sua toca, está se rompe devido ao contato com os corais. 
  • Caça por meio do seu olfato muito apurado. 
  • É encontrada em toda costa brasileira. 
  • Consegue se camuflar por causa de adaptações presentes na sua pele. 
  • Poucas espécies vivem fora de águas tropicais ou subtropicais. A maioria prefere água salgada. 
  • Seu corpo permite que ela entre em lugares estreitos para caçar. 
  • A boca de algumas espécies têm a mesma cor de seu corpo. 
  • Tem um par de mandíbulas em sua garganta que é usada para ajudar no consumo da comida. Estas são chamadas de mandíbulas faringeais. Ela também é usada para capturar as presas. Quando isso acontece, esta região se desloca para sua boca. 
  • Seus predadores naturais são as serpentes marinhas, barracudas e meros. 
Moréia-verde
Moréia-verde
  •  A espécie mais abundante é a Gymnothorax. 
  • É chamada de caramuru como uma homenagem ao português Diogo Álvares Correia, um náufrago português que viveu com os índios. 
  • É um peixe tímido e a maioria dos acidentes acontecem porque ela pode confundir o dedo de um mergulhador com tentáculo de polvo. 
  • Seu veneno é passado por meio da mordida.
  •  O bebê dessa espécie é chamada de alevinos e estes possuem uma aparência de folha vegetal transparente quando nascem. 
  • As pessoas que consomem o bicho podem sofrer de intoxicação por ciguatera, um tipo de veneno. 
  • A moreia também dá choques.
  • A coloração da moreia-verde passa de preta nos jovens até verde-escuro nos adultos. 
  • Abre sua boca para poder respirar, exibindo seus dentes grandes. É por isso que muitos temem o animal.
  • A espécie verde vive em locais mais rasos, não passando dos 30 metros. 
  • Sua expectativa de vida é de 30 anos. 
  • Seu status de conservação é pouco preocupante. 

E aí, gostou de saber da moreia-verde, que na verdade é amarela? Um animal bem interessante. Mas é melhor manter distância para não sofrer com o veneno ou com o choque produzido pelo bicho. Não esqueça de compartilhar com seus amigos.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *