Home / Informações / Macaco de Nariz Achatado: Características, Curiosidades e Fotos 

Macaco de Nariz Achatado: Características, Curiosidades e Fotos 

Trabalhar com a fauna e a flora provavelmente é um dos trabalhos mais interessantes que existem. Isso porque ambos são tão vastos, que a probabilidade de se descobrir uma nova espécie, seja de animal ou de planta, é muito grande. 

Como é o caso do Rhinopithecus strykeri ou macaco-de-nariz-empinado-birmanês. Descoberto em 2010, esse primata faz parte da família Cercopithecidae, endêmica de Mianmar.

Características do macaco de nariz achatado 

Por ser uma descoberta relativamente nova, apenas 10 anos, pouco se sabe sobre ele. É sabido que existem cerca de 260 a 330 exemplares vivos. 

Tem pelos pretos e uma longa cauda, maior que seu próprio corpo. Sua barba e orelhas têm as pontas brancas. Sua boca é carnuda. 

Ele gosta de viver em áreas de florestas tropicais temperadas, mistas ou frescas. Já no inverno ele sai dos locais altos e vai para os mais baixos, à medida que o frio vai chegando.

Apesar de existir outros parecido com ele, o animal vive separado das outras espécies de macacos de nariz arrebitado. 

Macaco de Nariz Achatado
Macaco de Nariz Achatado 

7 Curiosidades 

  1. Um fato interessante é que ele é conhecido como o “macaco que espirra”. Por causa do formato do seu nariz, toda vez que chove, água entra nas suas narinas. Para eliminar o líquido, ele espirra. Como não é uma situação nada agradável, ele coloca a cabeça entre as pernas para impedir a entrada da substância. 
  2. Os locais chamam o bicho de “mey nowoah”, que significa macaco com o rosto virado para cima. 
  3. Quando foi descoberto, os cientistas usaram uma carcaça achada para reconstituir a face do animal, já que até então não existia fotos dele. 
  4. Por causa dos espirros, acaba revelando a sua localização para os caçadores. 
  5. Todas as espécies desse grupo estão em risco de extinção devido a caçar e também a destruição do seu habitat. 
  6. Mianmar é considerado um local de prioridade quando o assunto é conservação da fauna. Segundo o especialista responsável pela descrição do novo bicho, Thomas Geissmann, a área possui uma grande variedade de espécies que ainda não foram descobertas. 
  7. Por viver no estado de Kachin, no nordeste de Mianmar, uma parte isolada da região – ela é protegida por duas barreiras: o rio Salween e Mekong -, é motivo pelo qual o animal não foi descoberto antes, a não ser pelo caçadores. 

Animais exóticos que correm risco de extinção 

É tão comum que parece até regra: já reparou que a maioria dos animais presentes na lista de risco de extinção normalmente são os mais exóticos? Ninguém quer caçar um burro ou uma lagartixa, apenas bichos com características peculiares, como o macaco de nariz arrebitado. Por causa desse “hábito”, muitos estão em perigo junto com este primata. 

1 – Gorila da planície ocidental 

E falando em primata, o gorila da planície ocidental também pode sumir da natureza. Existe uma espécie em um zoológico de Barcelona chamado de Floco de neve. 

Está em extinção por causa do desmatamento do seu habitat e do pastoreio de outros indivíduos. 

2 – Peixe-lua 

Conhecido cientificamente como mola-mola, a criatura parece uma bolha gigante. Ele é considerado o maior peixe ósseo do mundo. Como nasce com uma barbatana traseira que nunca cresce ou não se desenvolve de maneira correta, parece que que ele não tem uma cauda. 

3 – Foca-de-capuz 

Este mamífero é conhecido por ter uma cavidade nasal bem elástica, que quando inflada fecha um dos orifício e “abre” outro. Não é uma cena muito agradável de se ver, parece que ele tá ponto os órgãos internos para fora. 

Apesar disso, essa exibição é usada quando um macho concorrente se aproxima de uma fêmea já comprometida. 

4 – Celacanto 

O Celacanto, uma espécie de peixe, pode ser considerado um fóssil vivo, isso porque ele mudou quase nada desde o seu aparecimento. Os cientistas acreditavam, inclusive, que o animal estava extinto há cerca de 70 milhões de anos. Mas uma exemplar desse morador de águas profundas apareceu em 2001, pesando cerca de 85 quilos. 

5 – Rinoceronte-de-Sumatra

 Essa espécie de rinoceronte é a menor e a mais peluda que existe, ele até parece um bichinho de pelúcia. O animal mede de 1 a 1,5 metros de altura. Adora tomar um banho de lama e passar a maior parte do seu tempo apenas descansando. Atualmente, existem apenas 100 exemplares em liberdade. Nos últimos 20 anos, sua população diminuiu cerca de 70%. 

6 – Tuatara 

O Tuatara é o único réptil descendente dos dinossauros. Na verdade, ele até parece um. Suas características são mistas, ele tem traços de lagartos, tartarugas e aves. 

O bicho apresenta uma órgão sensível a luz no topo de sua cabeça, que é considerado um terceiro olho, parecendo exatamente com um espécie encontrada a 200 milhões de anos atrás. 

7 – Toupeira-da-água-dos-pireneus 

Assim como o animal de cima, essa toupeira é uma mistura de várias criaturas: tem características de rato, ornitorrinco e até elefante. Apresenta olhos minúsculos, no tamanho de alfinetes, mas estes são compensados por seu nariz super desenvolvido que se parece com um tronco. Este indivíduo detém 44 dentes e seu pelo é diferente de outros bichos, com a base fina e as pontas mais grossas. 

8 – Wallaby 

Original da Austrália, essa espécie é chamada de Mala. De hábitos noturnos, o Wallaby só se reproduz se tiver chovido em excesso. Isso acontece porque os animais ficam com medo de que não haja capim o suficiente para se alimentarem e por causa disso os filhotes morrerão ao nascer. 

9 – Takahe 

Um fato interessante sobre o Takahe é que ele é uma ave, mas não consegue voar. Endêmico da Nova Zelândia, essa criatura não desenvolveu esse traço, além de ser muito pesado para realizar tal atividade. Por causa das suas penas que são usadas como acessório, o número da sua população diminuiu bastante. 

10 – Numbat 

O Numbat faz parte da família dos tamanduás e, assim como seus parentes, se alimenta de cupins, podendo comer cerca de 20 mil deles por dia. Os bebês passam cerca de 5 meses agarrados em um dos mamilos na mãe, localizado em seu ventre. Com certeza não deve ser das sensações mais agradáveis. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *