Home / Informações / Lontra Marinha: Características e Nome Científico

Lontra Marinha: Características e Nome Científico

A lontra é um animal que possui 13 subespécies e hoje nós focaremos em uma delas: a lontra-marinha. Discutiremos aqui sobre seu nome científico, sua alimentação, reprodução, onde vive e algumas outras curiosidades.

Quais as principais características da lontra-marinha?

A respeito de seu nome, o mamífero o recebeu por passar boa parte do seu tempo em ambientes com grande profundidade marinha – apesar de também andar pela terra. Ele possui o quinto dedo um pouco mais alongado para ajudar na natação, mas isso acaba sendo um pequeno empecilho em seu tempo no ambiente terrestre, deixando-o desequilibrado.

O nome científico da lontra-marinha é Enhydra lutis, da família Mustelidae.

Ela não existe no Brasil, mas está presente desde o México, na América do Norte, até o Japão, alcançando uma vasta faixa territorial.

Lontra Marinha
Lontra Marinha

Entre seus parentes no grupo, essa espécie a maior. O macho adulto, por exemplo, é capaz de atingir até 45 quilos e 1,5 metros. A fêmea, apesar de ser um pouco menor, ainda tem proporções que surpreendem para uma lontra – chega a atingir 33 quilos e pouco mais de um metro.

A coloração do animal varia no decorrer da sua vida: quando pequeno, possui tons de marrom-escuro e algumas manchas que alternam entre cinza e prateado. Conforme vão ficando adultas, no entanto, a cor dos pelos vai se tornando continuamente mais clara, principalmente no peito e no pescoço.

Os pelos da lontra-marinha devem ser destacados pela sua grande funcionalidade. Diferente de outros mamíferos, essa espécie não possui uma camada de gordura para aliviar o frio que faz no habitat aquático. Como forma de se manter viva em meio aos oceanos, a lontra-marinha possui longos pelos que conseguem reter bastante ar quente, ajudando a manter a temperatura corporal agradável. Essa pelagem é considerada como a mais densa não apenas entre as lontras, mas entre todos os indivíduos do reino animal.

O problema é que essa pelagem exige muito cuidado para não ser invadido por parasitas e continuar seco o máximo possível. A limpeza profunda de seus pelos exige bastante tempo, principalmente para as mães, que verificam a própria pelagem e a dos filhotes. O que auxilia nessa tarefa é a flexibilidade que o animal possui, permitindo que verifiquem criteriosamente cada parte do seu corpo em busca de intrusos.

Lontra Marinha
Lontra Marinha

Uma outra característica importante da lontra-marinha é o seu bigode supersensível. É muito importante para casos de água turva, por exemplo, que dificulta a visão do animal em sua busca por alimento. A sensibilidade aguçada permite que ele localize as presas mesmo sem enxerga-las completamente. Nessa tarefa de mergulho, essa espécie é capaz também de selar seus ouvidos e nariz para que não sejam prejudicados pelo tempo que permanecem submersas. Sem respirar, a lontra-marinha consegue passar, aproximadamente, cinco minutos sob a água.

O mamífero também passa boa parte do tempo na superfície da água, apenas flutuando. Uma tática que ele usa para não se dispersar de seu grupo é usar pontos de apoio, como outros indivíduos da espécie ou plantas: não é incomum que as lontras-marinhas sejam fotografadas dando as mãos umas às outras ou segurando algas, por exemplo, que é uma outra estratégia. Esses métodos são usados para que o animal possa se sentir seguro quando dormir, sem o perigo de se afastar muito em pleno alto mar.

Além disso, manter as patas fora da água enquanto flutuam é uma maneira de conservar o calor corporal, já que essa região é desprovida de pelos e qualquer contato com a água gélida pode ser danoso a lontra-marinha, dando-lhe muito frio.

Como a lontra-marinha nasce?

Durante o período de acasalamento, é comum que o macho copule com várias fêmeas. Não há um período específico para que esse processo aconteça. Tanto o cortejo quanto o acasalamento propriamente dito podem ocorrer em diferentes épocas do ano.

O filhote, quando nasce, pesa em média 2,5 quilos e tem uma baixa taxa de sobrevivência: na melhor das possibilidades, só um quarto dos bebês consegue viver mais de um ano de vida.

Eles são amamentados pela mãe e, após essa fase, são alimentados com pequenos pedaços de comida enquanto não conseguem caçar sozinhos. Essa fase de dependência varia bastante de acordo com a localização geográfica. Por exemplo, pode ir do extremo de apenas oito semanas, para os que vivem na Califórnia, até 20 meses, como é característico da lontra-marinha que vive no Alasca.

Lontra Marinha
Lontra Marinha

O que a lontra-marinha come?

A dieta desse mamífero inclui ameijoa, mexilhão, caranguejo e uma diversidade de peixes. Se prova como um animal muito inteligente pois, ao se deparar com uma presa que tenha concha ou carapaça, faz o seguinte: flutua pelo mar de costas e usa o seu peito como uma espécie de superfície para quebrar a proteção dura com o auxílio de pedras. Além disso, a lontra-marinha tem uma tática específica também para lidar com os alimentos com espinhos: ela morde e a barriga e suga o máximo possível do restante do corpo, alimentando-se por uma via e evitando se furar.

Essa espécie é uma controladora de populações de ouriço-do-mar, uma de suas presas. Em grandes quantidades, o ouriço em questão pode ser prejudicial às populações de algas. A partir do momento em que as lontras-marinhas comem o predador, elas ajudam a preservar as florestas de algas, gerando equilíbrio ao ecossistema.

A lontra-marinha está em extinção?

A situação de vulnerabilidade do animal tem avançado continuamente, principalmente nos últimos anos. Os principais fatores para essa classificação são o desmatamento, a poluição das algas e a caça ilegal, já que o ser humano o procura por sua carne e pelagem.

Segundo pesquisadores, a população total da lontra-marinha está em torno de dois mil exemplares, um número baixo para toda uma espécie. Atualmente, é classificada como “Em perigo” pela IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza).

É importante lutar pela preservação do animal, pois seu desaparecimento pode afetar todo o mundo, de alguma forma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *