Home / Informações / Leão: Comportamento e Reprodução

Leão: Comportamento e Reprodução

O leão é um felino, um mamífero carnívoro pertencente à família Felidae. Atualmente, o leão africano é encontrado na maior parte da África subsaariana, com exceção dos desertos e florestas tropicais úmidas, vivendo preferencialmente em planícies ou habitats de savana. O leão asiático, uma subespécie, pode ser encontrado na floresta de Gir, no noroeste da Índia, com uma única população restante, altamente correndo o risco de desaparecer. A espécie está classificada como “vulnerável” pela IUCN, tendo sofrido um grande declínio populacional nas últimas duas décadas na África, devido à perda de habitat e de conflitos com humanos.

O leão constitui o segundo maior felino conhecido e é um animal grande, de pelagem curta e castanha, partes inferiores brancas e caudas longas, com tufo de pelos na ponta. São sexualmente dimórficos e leões machos são os únicos felinos com jubas. Os machos adultos podem chegar a pesar quase 200 kg, enquanto as fêmeas pesam em média 120 kg. O leão tem um comprimento médio de 3 metros e vive cerca de 15 anos na natureza.

Como é A Estrutura De Um Bando de Leão

O leão vive em bandos, geralmente constituídos por um macho dominante, várias fêmeas e seus filhotes. Os bandos são considerados sociedades de fissão e fusão, pois os membros entram e saem constantemente e é muito raro que todos os leões estejam juntos ao mesmo tempo. Um número muito variável de leões constitui um bando, podendo haver de 2 até 40 leões em um único grupo. Os machos de um bando são, na verdade, imigrantes que conseguiram ganhar o controle por meio de uma disputa com membros anteriores. O leão pode formar coalizões com o fim de tomar o controle de um bando.

Leão Comportamento
Leão Comportamento

As fêmeas dos bandos são aparentadas e permanecem no território de suas progenitoras. Em geral, as fêmeas não competem ou brigam entre si e não demonstram nenhum tipo de comportamento dominante. As fêmeas em um bando de leão tendem a ter reprodução síncrona, e todas elas amamentam os filhotes do grupo. Por outro lado, os machos são muito agressivos com outros membros do bando, especialmente quando se alimentam.

São as fêmeas as responsáveis pela caça em grupo, enquanto os machos permanecem em seus territórios, defendendo-os. Um leão macho exibe comportamento territorial rugindo e produzindo marcas de cheiro enquanto patrulha. As exibições territoriais podem custar muito caro ao bando, porque separam os machos de suas fêmeas, aumentando o risco de infanticídio por outros machos invasores, além de sinalizar a localização dos machos para coalizões intrusivas.

A Comunicação do Leão

Os leões são capazes de reconhecer os indivíduos do grupo e interagir com outros leões para beneficiar sua própria sobrevivência. Muitas características visuais são utilizadas, como, por exemplo, a juba, que possivelmente sinaliza a presença de um leão do sexo masculino à distância e pode indicar a aptidão individual. O leão macho marca regularmente seu território pulverizando a vegetação com urina e com arranhões. O rugido do leão macho é mais alto e mais profundo que o da fêmea e o rugido anuncia territórios e está relacionado à comunicação entre outros membros do brando e a agressões contra os leões inimigos.

Comunicação do Leão
Comunicação do Leão

Hábitos do Leão e Sua Alimentação

O leão apresentam hábitos crepusculares e noturnos e é um carnívoro predatório, sendo um predador de topo e caçando em grupos, mas a matança real é feita por um único leão. O leão freqüentemente caça e mata presas muito maiores do que ele mesmo, podendo se alimentar de animais que chegam até 300 kg. Os machos têm mais dificuldade em caçar do que as fêmeas por causa de sua conspicuidade, portanto as fêmeas é que realizam a maior parte da caça e alimentação de um bando. Os leões africanos se alimentam frequentemente de impalas, girafas, gazelas, antílopes, búfalos, zebras, gnus e porcos selvagens. Os leões incapazes de capturar presas maiores se alimentam de aves, roedores, peixes, ovos de avestruz, anfíbios e répteis. Já o leão asiático se alimenta de presas geralmente menores que as do leão africano, como o chital, sambar, javali, porco-espinho-indiano, pavão, dentre outros. O leão é capaz de alcançar uma velocidade de cerca de 50 km/h durante a caça, fazendo desses animais excelentes caçadores. Além disso, possuem olfato, visão e audição muito apurados, mas a eficácia da caça é aumentada pela caça em grupos.

A Reprodução do Leão 

Os leões se reproduzem o ano todo, pois o cio das fêmeas dura de cerca de uma semana e ocorre em qualquer época do ano, atingindo o pico na estação chuvosa. Estima-se que os leões copulam 3.000 vezes ao longo de um ano para cada filhote que sobrevive e a cópula pode ocorrer até 50 vezes em um único dia. Um leão alcança a maturidade sexual aproximadamente aos quatro anos de idade: as fêmeas são capazes de se reproduzir aos quatro anos de idade e os machos, aos cinco anos. Os leões machos são visivelmente grandes e vistosos e controlam a reprodução de muitas fêmeas dentro de um bando. As disputas são muitas vezes violentas, resultando em ferimentos graves ou morte dos leões perdedores. A competição agressiva entre os machos e a estrutura social dos bandos leva ao infanticídio. O infantícidio corresponde à morte dos filhotes não desmamados dos machos derrotados. Ao matar os filhotes, o leão macho intruso garante que ele vá gerar filhotes das fêmeas do seu novo bando. As fêmeas defendem vigorosamente seus filhotes durante uma disputa e, às vezes, são mortas também.

Leão Filhote
Leão Filhote

As fêmeas tendem a ter filhotes a cada dois anos, com um intervalo de parto de aproximadamente vinte a trinta meses, mas caso haja um caso de infanticídio, então ela entra no cio mais cedo e está apta a ter mais filhotes. A gestação tem duração média de quatro meses, resultando em uma ninhada média de quatro filhotes que acompanharão a mãe e o bando até cerca dos dois anos de idade. As mães mantêm seus filhotes escondidos até chegarem a cerca de 8 semanas de idade. O desmame ocorre entre os 7 e 10 meses de idade. As fêmeas amamentam seus filhotes, mas também amamentam os filhotes que vivem em seu bando, se as ninhadas nascem juntas. A reprodução em sincronia e amamentação em cruz nos bandos reduz os índices de mortalidade dos recém-nascidos. Embora os machos não forneçam diretamente cuidados aos jovens, eles são importantes na proteção dos filhotes contra machos rivais, reduzindo os riscos de infanticídio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.