Home / Informações / Habitat do Peixe Boi

Habitat do Peixe Boi

Na natureza existem ainda muitos animais no qual nós desconhecemos ainda, e outros em que já se conhece no entanto não são tão falados, é o caso do Peixe Boi.

Suas características são peculiares e diferentes da grande maioria dos peixes que conhecemos, principalmente em relação a seu tamanho e habitat.

Por isso, se você quer saber um pouco mais sobre o peixe boi, leia este artigo e descubra sobre ele.

Classificação

O peixe boi é um mamífero aquático pouco conhecido, e muitas das vezes confundido com as morsas que possuem aspectos característicos semelhantes a ele. 

Sua classificação taxonômica é:

  • Reino – Animalia
  • Filo – Chordata
  • Classe – Mammalia
  • Ordem – Sirenia
  • Família – Trichechidae
  • Gênero: Trichechus
Peixe Boi
Peixe Boi

Sobre as espécies, existem três espécies conhecidas de peixe boi. A primeira delas é o peixe boi Marinho, conhecido também como Manati (T. manatus), que vive no oceano atlântico, e portanto é distribuído desde a América do Norte, América Central e América do Sul, estando presente sempre nos mares e portanto nos litorais dos países em que pode aparecer.

O peixe boi africano (T. senegalensis), é localizado no oceano atlântico também, mas habita principalmente as águas doces e costeiras do oeste africano. 

E por fim, o peixe boi da amazônia (T. inunguis), são naturais de água doce e podem ser encontrados nas bacias dos rios Amazonas e Orinoco no norte do Brasil.

Características gerais

O peixe boi é um animal de grande porte, que pesa cerca de 500 quilogramas e possui tamanho variado entre 2 a 3 metros de comprimento. 

Seu corpo é alongado, com a cauda achatada e larga, sua tez no entanto, é rugosa e varia a cor entre o cinza e o marrom-acinzentado. 

Em alguns livros pode-se encontrar que o animal não possui pescoço em razão da proximidade da cabeça com seu tronco, porém, ele consegue movimentar sua cabeça em todas as direções.

Características do Peixe Boi
Características do Peixe Boi

Uma característica peculiar do peixe boi é que seus olhos são pequenos mas conseguem reconhecer cores, o que é um passo e tanto na evolução.

Outra característica pelo qual é conhecido é sua vocalização, isto é, quando deseja se comunicar, principalmente a fêmea com os filhotes, ela emite uma espécie de “grito”, assim como, o filhote também emite e assim a mãe consegue identificar onde o filhote está. 

Um dos motivos para ser confundido com a morsa, é o fato de que sua boca é bem grande e sua aparência também. Além disso, existe um fenômeno que acontece com a dentição dos peixes bois. Como sua base dietética, é prioritariamente, vegetais aquáticos, a sílica contida neles desgasta os dentes com facilidade, no entanto, há um mecanismo natural de substituição dos molares que se movimentam 1mm por mês e quando estão desgastados são desprendidos da gengiva e substituídos por novos.

Habitat do peixe boi

Uma característica muito importante do peixe boi é que ele tem hábitos solitários e raramente é visto em conjunto com outros da mesma espécie. A não ser, quando se está em época de acasalamento.

Em razão disto, todas as três espécies estão ameaçadas de extinção, e em vários locais do mundo estão protegidas por leis rigorosas que garantes a pena em forma de prisão para aqueles que comercializarem ou caçarem o peixe boi e suas partes.

Seu habitat, principalmente dos peixe bois marinhos, são as águas mais rasas e lentas, e por isso, geralmente são encontrados em canais e áreas costeiras. 

A diferença entre viver em água doce e salgada é mínima, pois ele pode se mover de um para o outro com facilidade e sem muitos problemas. 

Seus habitats são conhecidos também em razão de seu grande tamanho e porque esta característica lhes dá a possibilidade de não possuírem predadores naturais. 

Alimentação do peixe boi

A principal fonte de alimentação dos peixes boi, independente da espécie, são as algas, capins aquáticos e outras macrófitas. 

Geralmente, é consumido em torno de 8% a 10% de seu peso corpóreo em plantas por dia, equivalente a 15 Kg, e por isso, ficam boa parte da sua rotina se alimentando ou buscando alimento.

No caso de não encontrar alimento na vegetação, a outra opção é se alimentar de pequenos peixes e invertebrados, mas isto é mais comum dos peixes boi marinhos, pois conseguem ter uma gama maior de opções.

Alimentação do Peixe Boi
Alimentação do Peixe Boi

Reprodução 

Os animais do gênero não possuem uma estação própria ou propícia para o acasalamento, então, a qualquer momento do ano podem se reproduzir. No entanto, a taxa de cópula é relativamente baixa e a quantidade de nativivos é baixa.

Após atingir a maturidade sexual, que ocorre entre os 3 e 10 anos de vida, ao se reproduzirem as fêmeas ficam em gestação por 12 meses, e na maioria dos casos nasce apenas um filhote, ou no máximo dois.

Um ponto importante sobre sua reprodução, é que o intervalo entre cada reprodução é de aproximadamente 3 anos, o que dificulta a proliferação da espécie.

Filhote de Peixe Boi
Filhote de Peixe Boi

Aprendendo a conservar

O peixe boi, assim como muitos outros animais aquáticos, estão avaliados com o perigo eminente de extinção. Principalmente em razão de acidentes que ocorrem com os animais contra barcos e suas hélices, que podem não só machucar o animal, como também ser um acidente fatal.

Além do mais, existe um fenômeno crescente de assoreamento dos estuários, que é o local onde as fêmeas dão à luz à prole, e portanto, a taxa de nativivos é ainda menor. 

Em razão disso, é importante que estejamos sempre atentos a poluição dos mares, que acaba sendo também um fator crucial para a existência de não só este, como de muitos outros animais aquáticos. 

E aí, gostou de conhecer um pouco mais o peixe boi? Nos conte o que achou e não se esqueça de compartilhar com seus amigos também 🙂

 

 

Fontes:

Aquário de SP

Brito, Cristina. (2019). Pessoas, manatins e o ambiente aquático na América moderna: confluência e divergência nas interações históricas entre humanos e animais. Revista Brasileira de História

Bezerra, Arielle R., Salmito-Vanderley, Carminda S.B., Bersano, Paulo R.O., Carvalho, Vitor L., Meirelles, Ana C.O., Attademo, Fernanda L.N., Luna, Fábia O., & Silva, Lúcia D.M.. (2018). Histological characterization of reproductive tract and fetal annexes of the West Indian Manatee (Trichechus manatus) from Brazil

Hickman, C.P.; Roberts, L.S. & Larson, A. 2004 Princípios Integrados de Zoologia. Editora Guanabara Koogan S.A., Rio de Janeiro. 846 p

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *