Home / Informações / Habitat do Monstro de Gila

Habitat do Monstro de Gila

O monstro de gila é um réptil pertencente à classe dos répteis, à ordem dos escamados, à família dos helodermatídeos e a espécie heloderma suspectum.

Distribuição Geográfica e Nome Científico

O monstro de gila (Heloderma suspectum) é encontrado no sudoeste dos Estados Unidos e noroeste do México. É um dos três lagartos venenosos do mundo, os outros dois são o Lagarto de contas (Heloderma horridum) e o Dragão de komodo (Varanus komodoensis). O seu habitat natural são as zonas áridas e semiáridas, desertos arbustivos e sopés de montanhas rochosas.

Venenoso Monstro-de-gila
Venenoso Monstro-de-gila

Reprodução

O monstro de gila é uma espécie ovípara, na época de reprodução a fêmea deposita até 12 ovos numa cavidade do solo, entre o final de junho a agosto. O período gestacional é de 10 meses. A cópula demora entre 30 minutos a 1 hora. A época de acasalamento normalmente acontece entre abril e junho, a fêmea receptiva levanta a sua cauda para aceitar o macho que segura os membros posteriores e se esfrega sobre as suas costas e pescoço.

Os ciclos reprodutivos das fêmeas têm relação com a quantidade de alimentos e minerais armazenados em seu organismo.  Quando as suas reservas estão baixas, elas não atraem os machos para acasalar, que normalmente acontece 1 vez por ano. Após a cópula, as fêmeas demoram de 3 semanas a 2 meses para botar os ovos, estes são protegidos por uma membrana fina e, dependendo das suas reservas genéticas, podem ser botados entre 3 a 15 ovos. Os filhotes nascem por volta de 4 semanas após serem chocados e medem cerca de 10 cm.

Dieta

Monstro-de-gila Alimentação
Monstro-de-gila Alimentação

Alimenta-se de pequenos mamíferos, roedores, lagartos, ovos (de aves e répteis) e pequenas aves. Em uma só refeição é capaz de consumir uma grande quantidade de alimentos. Os mais jovens podem consumir 50 % do seu peso corporal em uma única alimentação. Porém, mesmo ingerindo grandes quantidades de comida, é capaz de sobreviver durante meses sem se alimentar, uma vez que acumula reservas de gordura na cauda.

Hábitos

O monstro de gila é uma espécie diurna, em seu habitat natural hiberna do final de novembro a fevereiro. A maior parte do seu tempo passa em abrigos subterrâneos. Os machos são dominadores e lutam por isso, quando são ameaçados afastam-se com a boca aberta sibilando. Caso sejam provocados, atacam rapidamente aplicando uma mordida venenosa. Esta é muito dolorosa para o ser humano, mas raramente fatal. Só atacam os animais maiores quando se sentem ameaçados ou estão feridos.

Monstro de Gila
Monstro de Gila

De hábitos gregários vivem em bandos organizados hierarquicamente, sempre há um macho dominante e uma fêmea dominante. Essa espécie dificilmente briga por território, isso porque estes animais não são caçadores por excelência. Ao identificarem uma refeição com seu sensível olfato ficam a espreita aguardando a presa indefesa se aproximar.

Identificação

O seu comprimento total é de 38 a 58 cm. Seu corpo é maciço, a cabeça é grande e a cauda é curta e larga. Possui escamas ósseas redondas, uma característica típica dos dinossauros, com contorno de cor amarela, rosa e prata. A cabeça, membros e pescoço são de cor preta. Sua língua é bifurcada, os olhos têm a pupila redonda e os membros são robustos com garras pesadas e fortes.

Conservação da espécie

Monstro-de-gila Filhote
Monstro-de-gila Filhote

O monstro de gila já é considerado uma espécie quase ameaçada, de acordo com a União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN). As principais ameaças são: perda do habitat para o desenvolvimento de áreas urbanas e agrícolas e captura para o comércio ilegal.

Veneno

O veneno deste lagarto é produzido pelas glândulas salivares no maxilar inferior, em oposição as cobras, cujo veneno é produzido na mandíbula superior. Esse lagarto não possui musculatura para injetar o veneno, deste modo, fica preso na pele da vítima e mastiga para que este entre na corrente sanguínea da vítima. O seu veneno é composto por diversas enzimas e 30 componentes diferentes, porém, a maioria deles não foi analisada. É neurotóxico e seus efeitos são imediatos e bastantes dolorosos e, às vezes, fatais para algumas espécies.

Monstro-de-gila Veneno
Monstro-de-gila Veneno

Afeta o sistema nervoso central, gera paralisia cardiopulmonar e é citolítico (destrói as células com as quais a saliva entra em contato). Além disso, provoca dor excruciante, fraqueza associado com uma rápida queda na pressão arterial e manchas no tecido mordido. Tenso! Enquanto está mordendo a “presa”, observou-se que o monstro de gila se vira, eventualmente para auxiliar no fluxo do veneno na ferida. Estima-se que o seu veneno seja produzido com a única finalidade de defesa, pois as presas que esse lagarto escolhe são basicamente pequenas ou “frágeis”.

Apesar de seu veneno ser uma neurotoxina muito tóxica, como a de uma cobra Coral, ele produz apenas pequenas quantidades. Um ser humano adulto mordido por um monstro de gila normalmente não morrerá.

Monstro de Gila Venenoso
Monstro de Gila Venenoso

Desde 1939, não há relatos que confirmem mortes em decorrência de sua mordida que costuma ser realizada com rapidez, ao fazê-la o lagarto balança a cabeça para os lados. Em decorrência da mordida, a vítima pode  necessitar submergir totalmente o lagarto atacante na água para se libertar.

Não há atualmente nenhum medicamento destinado a combater o veneno deste lagarto, mas um grupo de acadêmicos do herpetário (viveiro para répteis) da Universidade de Guadalajara (UdeG) realizam estudos para encontrar o antídoto que neutralizará as consequências do monstro de gila e, em breve, desenvolver um medicamento. Eduardo Fanti Echegoyen, encarregado do herpetário do Centro Universitário de Ciências Biológicas e Agropecuárias (Cucba) da instituição, ressalta que o antídoto é necessário e precisa ser disponibilizado no país. Contudo, Eduardo considera que o desenvolvimento do mesmo não será complicado, há três décadas pesquisadores do Instituto Nacional de Higiene já o produziram.

Fotos do Monstro de Gila 

E aí, gostou desse artigo sobre o monstro de gila? Sugiro que você deixe sua opinião, sugestão ou exponha alguma dúvida logo abaixo, nós com certeza leremos todos os comentários e responderemos. Saiba também que aqui no blog todo o dia tem conteúdo atualizado sobre o mundo animal. Se quiser receber artigos exclusivos no seu e-mail como este post, é só se inscrever em um campo que fica à sua direita na tela. Quero pedir uma última coisa, tá bom? Compartilhe esse conteúdo com os seus amigos! Combinado?

Aproveite! Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *