Home / Informações / Filhotes de Siri: Reprodução e Tempo de Vida

Filhotes de Siri: Reprodução e Tempo de Vida

Como forma de preservar a espécie, o animais tem a habilidade de se reproduzirem, a única coisa que muda nesta questão é como esse processo acontece, podendo ser sexuado ou assexuada, interno ou externo, por meio de ovos ou gestação do bebê em úteros.

Em decorrência desse ato, nascem os filhotes do bicho, que dará continuidade a espécie no futuro e, assim, sucessivamente. 

Hoje vamos falar sobre as crias dos siris, como eles se reproduzem e qual é o sua expectativa de vida. Em seguida, saberemos de outras características do indivíduo. 

Reprodução do siri e desenvolvimento do filhote 

Como um crustáceo, a reprodução desse animal depende da água. Após a cópula, os ovos ficam presos no corpo da fêmea ou ela os deposita em algum local seguro. Algumas espécies chegam a carregar cerca de dois milhões de filhotes, como é o caso do siri-azul. 

Depois de depositados em uma fonte de água, os bebês nascem em forma de larva, o que difere bastante do visual do adulto. Este estado larval é chamado de zoea. Aqui, o bebê detém um corpo transparente e come plâncton. 

Antes do ovo eclodir, o estágio recebe o nome de pelágica.

Filhotes de Siri
Filhotes de Siri

Para ficaram do jeito que nós conhecemos, a criatura passa pela metamorfose, onde troca o seu revestimento externo. É só depois da quarta mudança que ele finalmente terá uma aparência mais “siri”. Porém, algumas espécies já nascem com esses traços. 

Após 18 dias, ele passa ao período de megalopa. Essa transição é intitulado de bentônica, quando a criatura muda da zoea para a megalopa. Para passar por esta parte, eles precisam migrar de águas marinhas para estuarinas, isso porque o nível de salinidade é muito importante para a vida do bebê siri. Aqui, a quantidade de sal deve ser bem baixa, por isso acontece a troca de ambiente. 

Todo essa mudança dura cerca de 46 dias. Logo após isso, ele está pronto para sair da água e viver sua vida no ambiente terrestre e marinho, hábito característico do bicho. 

Sua expectativa varia muito de acordo com a espécie. O siri-azul, já citado anteriormente, chega aos 10 anos de idade. Já um indivíduo de origem japonesa vive entre 50 a 100 anos. 

Agora que já sabemos como as mães siris dão vida aos seus bebês, vamos saber mais sobre essa criatura.

Sobre o siri 

Ao contrário do que muitos acreditam, o siri não é o personagem famoso do Bob Esponja. Na verdade, o Sr. Sirigueijo é um caranguejo e você pode saber mais sobre isso aqui. Dúvida existencial respondida, sigamos para conhecer esse indivíduo.

A criatura pertence ao filo dos artrópodes, são crustáceos do grupo Decápodes, o que quer dizer que ele tem dez patas. Também faz parte do grupo dos caranguejos, sendo assim membros da família Portunidae. E mesmo fazendo estando no mesmo conjunto, os bichos apresentam diferenças entre si. Com o primeiro apresentando pernas modificadas para o nado, além do fato dele andar de lado. 

Este indivíduo tem a capacidade de viver em diversos ambientes. Existem, ao todo, cerca de 10 mil espécies de siris. 

Filhotes de Siri
Filhotes de Siri

Características

O bicho apresenta uma carapaça dura chamada de exoesqueleto, formado por uma substância denominada quitina. Aliás, esse elemento é achado nós seres humanos, em nossos cabelos e unhas. Ela é a responsável por proteger o corpo do animal. 

Seu tamanho varia de espécie para espécie, com ele podendo ter apenas alguns centímetros de comprimento ou chegando aos 4 metros de envergadura. Neste caso podemos citar o Macrocheira kaempferi, original do Japão, que realmente chega aos 4 metros. Já o Pseudocarcinus gigas, da Tasmânia, pesa incríveis nove quilogramas. 

Todos apresentam cinco pares de patas, com a primeira modificada para se parecer com pinças. Está ajuda a criatura a se alimentar e também a entrar em brigas. As duas últimas patas possuem características que contribuem com o nado. Tem uma aparência achatada e larga, como remos. No fim do seu torso encontra-se uma cauda que fica enrolada. 

Como existe uma infinidade de espécimes, algumas apresentam dimorfismo sexual, ou seja, traços que nos ajudam a identificar o macho e a fêmea. No caso do siri, a maioria apresenta essa diferenciação. Para saber o sexo do animal basta dar uma olhada mais atenta a parte debaixo do seu tórax. Se este tiver um formato mais pontudo e comprido, então você está segurando um macho. A fêmea vai apresentar um desenho largo, ideal para carregar seus ovos. 

Comportamento do siri 

Quer saber como diferenciar um siri de um caranguejo? Basta observar a forma como ele se locomove. O primeiro anda de lado. O segundo para frente e para trás – apesar dele imitar este andar quando está em situações de estresse. 

Habitat  

Mais uma vez batemos na tecla de que isso vai depender da espécie do siri, mas a grande maioria habita o mar, ou regiões próximas a ele. Ainda existem os moradores dos manguezais – podemos observar estes aqui no Brasil -, que são predominantes em países de climas tropicais. Contudo, como é o caso do Potamon fluviatile, este mora nos rios da Europa. 

E quando falamos desse bicho também podemos citar os chamados ermitões, aqueles que escolhem o casco de outros moluscos para viver. Ele pode tanto morar sozinho neste local ou dividi-lo com outro indivíduo – eles também compartilham a comida -. Existe igualmente espécimes parasitas ou que encontram-se grudadas em outras criaturas. 

O grupo Hapalocarcinidae vive associado aos corais. 

Aqueles que moram em locais deixados por outros animais precisam sempre mudar de moradia, isso ocorre devido ao seu crescimento. Ele cresce e o espaço fica menor. Ou seja, hora de procurar outra “casa”. 

Alimentação do siri 

Esse crustáceo tem alimentação do tipo onívora, mas também pode consumir materiais em composição. Por isso ele é chamado de urubu-do-mar. Porém, algumas espécies apresentam uma dieta carnívora ou mesmo herbívora. 

E não esqueça, por mais parecidos que sejam, siri e caranguejos são animais diferentes, e agora você saberá diferenciá-los após as características que apresentamos aqui. 

Gostou de saber mais sobre o siri? Compartilhe! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *