Home / Informações / Estrelinha-de-poupa: O Rei dos Pássaros – Moicano Amarelo

Estrelinha-de-poupa: O Rei dos Pássaros – Moicano Amarelo

A estrelinha-de-poupa ou estrelinha, conhecido cientificamente como Regulus Regulus, é uma ave do grupo passeriforme, da família reguilidae que vive em grande número nas regiões euro-asiáticas e macaronésia. Dentro desse conjunto é possível achar diversas subespécies, sendo as nortenhas e as do leste indivíduos migratórios, indo para o sudoeste no inverno. 

Ele tem cerca de 5 gramas, e por causa disso é considerada uma das menores aves da Europa. 

Apesar da coloração – tem um tipo de moicano amarelo no topo da sua cabeça -, o bicho é do tipo discreto, se movimentando em meio às copas das árvores, o que torna sua observação uma tarefa bem difícil. Seu nome, regulo, significa “pequeno rei”. Por causa disso, no folclore europeu ele é considerado o rei das aves. 

Estrelinha-de-poupa
Estrelinha-de-poupa 

Características físicas do estrelinha-de-poupa

Como dito, o Estrelinha-de-poupa é pequeno em todos os sentidos. Com pouco mais de sete gramas, ele tem um comprimento que varia de 8,5 a 9,5 centímetros. 

Exibe um bico pequeno, fino e preto. Suas penas são escuras e castanho-alaranjadas. Àquelas localizadas na parte dorsal tem um tom de verde-oliva. No ventre, apresenta uma coloração cinza-amarelado, com as asas em cinza-esverdeado com duas listras brancas. 

Sua face é lisa e detém olhos negros. Já a cabeça é cinza-escura com um pequeno penacho em amarelo, o que acaba contrastando bem com o corpo em tons escuros do animal. Essa poupa é um pouco diferente nos machos, que exibem na região central um coloração alaranjada. Essa cor fica ainda mais em exibição quando este levanta o “moicano”. Sendo assim, existe dimorfismo sexual na espécie. Mas, fora isso, ambos os sexos têm corpos idênticos.

Isso só muda quando eles ainda são jovens, com a fêmea apresentando penas mais claras na parte central e mais escuras na região dorsal. 

Nesta idade, a penugem do ventre não são tão coloridas e eles não detém o moicano amarelo.

Comportamento

A criatura tem um voo muito característico, batendo suas asas de forma irregular e rápida, fazendo mudanças bruscas de direção durante essa atividade. Quando estão se alimentando, adotam voos mais curtos, movimentando-se de forma rápida e se mantendo por um bom tempo pairando no ar. 

Ela se locomove com frequência entre as folhas, sempre subindo e descendo o tronco da árvore. 

Habitat do estrelinha 

Em Portugal é visto principalmente durante o inverno. Mas existe alguns registros de machos cantando durante a primavera. 

Em Açores, é possível ver três espécies: regulus regulus sanctae-marie – restrito dentro da ilha de Santa Maria -, regulus regulus azoricus – moradora da ilha de São Miguel – e regulus regulus inermis, que ocorre nas ilhas de São Jorge, Flores, Terceira, Pico e Faial. 

Os pássaros mais comuns em Portugal 

Já que estamos falando de uma ave moradora de Portugal, vamos a outros animais comum na terra do bacalhau. 

1 – Rola-turca 

Chegou em Portugal no fim de 1970 e se espalhou em grande número por todo o país. Hoje, a Rola-turca está presente em quase todas as áreas habitadas da região, do norte ao sul, até a parte do litoral e no interior. 

Ela pode ser vista com frequência pousando em antenas, postes, cabos elétricos e edifícios. Tem um canto trissilábico e este é repetido inúmeras vezes. 

2 – Andorinha-das-chaminés

A andorinha-das-chaminés é comum em campos, principalmente em zonas agrícolas. Mas é igualmente avistada nos centros urbanos, talvez com menos frequência. A criatura é comum em todo o país de fevereiro a setembro, mas dá as caras em outras estações do ano, mas em menor número. 

3 – Andorinha-dos-beirais 

Assim como a ave anterior, as andorinhas-dos-beirais estão presentes em todo o território português, principalmente em março, na parte norte. Pode aparecer igualmente entre setembro e outubro. 

4 – Melro-preto 

É uma espécie bem característica de parques e jardins urbanos, muito avistado em relvados e locais com bastante verde. Inclusive, ele costuma ficar bem próximo dos humanos, o que nos dá um bom vislumbre da ave. 

Nos pomares e nas florestas ele também aparece, mas neste caso são mais ariscos nestas regiões. 

5 – Chapim-azul 

Também conhecido como megengra, esse é o animal florestal mais numeroso de Portugal. Voa por bosques de todos os tipos, assim como frequenta parques e jardins. Constrói seu ninho em cavidades. Só não está presente quando não existe a presença de coberto arbóreo. 

6 – Chapim-real 

Juntamente com o azul, é uma ave muito comum nos bosques portugueses. Não é um frequentador assíduo de jardins e parques urbanos. 

Na primavera, é muito fácil achá-lo por meio do seu canto “cha-pim”. Monta seu ninho em buracos. 

7 – Pardal-comum 

O Pardal-comum é visto com frequência em áreas habitacionais, estando presente em vilas, aldeias, cidades e até mesmo quintais. Pousa nos telhados, o que torna sua observação muito fácil.

Ele evita áreas com florestas muito densas. 

8 – Tentilhão 

Este indivíduo é uma ave florestal, sendo visto próximo a regiões com Pinheiros, azinheiras, carvalhos e sobreiros. Ele também dá as caras próximo de olivais e pomares. 

Não é muito fã de parques e jardins na cidade. Caso queira vê-lo, procure-o na parte sul e norte do país, durante, fevereiro a junho. Ele será facilmente localizado pelo seu canto durante esses meses. 

9 – Chamariz 

Conhecido como serzino ou milheirinha, o Chamariz é parente do canário e também uma das ave mais populosas da região. Em cor amarela, ele frequenta diversos habitats, desde florestas até regiões agrícolas, inclusive zonas urbanas. 

Seu canto pode ser ouvido ao longo de todo o ano.

10 – Verdilhão

Como seu nome dá a entender, o Verdilhão tem penas esverdeadas e mora hortas, pomares e sebes, sempre próximo às árvores.

É um dos poucos indivíduos que fica ativo durante todo o mês de julho. 

11 – Pintassilgo 

Um ave colorida – com penas marrons, vermelhas e amarelas -, o pintassilgo é comum por toda a Portugal, menos ao norte do Rio Douro. É muito fácil avistá-lo próximo a meios florestais não tão densos. 

No inverno, costuma se agrupar em grandes bandos para procurar alimentos nos campos. 

Gostou de saber sobre o Estrelinha-de-poupa e outras aves dos nossos colonizadores? Não esqueça de compartilhar! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *