Home / Informações / Esquilo da Mongólia, Australiano e Vermelho

Esquilo da Mongólia, Australiano e Vermelho

Estes esquilos não têm nada em comum além de serem pequenos roedores. Nem ao menos são da mesma família. Um deles são esquilos selvagens que dificilmente se habituariam saudavelmente a uma criação domesticada, já o outro restante acabou ganhando este espaço de animal de estimação sem grandes problemas desde que o cuidador se atente em atender suas necessidades básicas para uma vida saudável, claro, como todo animal. Os esquilos selvagens são o australiano e o vermelho. Já o que se adapta facilmente a domesticação é o esquilo da Mongólia.

Esquilo da Mongólia - Gerbil
Esquilo da Mongólia – Gerbil

Esquilo: Seus Habitats E Ciclo Na Natureza Selvagem

Como o previsível, dois deles com seus nomes entregam suas origens e seus habitats. Por serem pequenos roedores, se assemelham muito aos queridos como pets hamsters ou porquinhos da índia, com quem nas suas linhagens têm parentesco. Imaginável, já que tais pequenos animais citados também são roedores.

Dentre estas espécies a que tem a característica mais peculiar é o esquilo vermelho por ter duas pequenas espécies de asas em seu corpo que lhe permite alçar pequenos voos, seja para fugir mais rapidamente de predadores ou simplesmente por voar mesmo. Já dentre estas três espécies, a que temos mais informações acessíveis é o esquilo australiano. Também é nomeado como esquilo eurásico, mais uma vez pela região que se originou é que habita, ou seja, toda a Eurásia. De nome científico sciurus vulgaris, mais especificamente habita árvores de florestas coníferas de clima temperado, em que suas garras dão conta de escalar ou pular as árvores.

Como roedores onívoros que são, compatível com o seu habitat, se alimentam de sementes de árvores coníferas, cascas de árvores, folhas, musgos, ervas, cogumelos e ovos de algumas espécies de pássaros. Também usam as árvores para se protegerem de seus predadores que são as aves de rapina, como as corujas e os gaviões, entre outros animais como as raposas vermelhas, o gato bravo e até mesmo gatos e cães domésticos.

Reprodução Abundante De Esquilos

Também são nas árvores coníferas que constroem seus ninhos e protegem seus filhotes quando se reproduzem. Estes pequenos roedores, mais uma vez parecidos com seus parentes distantes, os hamsters e porquinhos da Índia, têm caracteristicamente a capacidade de se reproduzirem muito.

No caso dos esquilos australianos, esta capacidade se dá no verão e no inverno, em que o primeiro período reprodutivo é de junho a julho e o segundo de fevereiro a março em que podem se reproduzir até duas vezes ao ano já que a gestação dura até um mês e nove dias e gerar até seis filhotes por reprodução.

Esquilo da Mongólia - Gerbil
Esquilo da Mongólia – Gerbil

Se os esquilos vermelhos adultos medem somente de dezenove a vinte e três centímetros de comprimento, sua cauda de quinze a vinte centímetros e pesam de duzentos e cinquenta a trezentos e quarenta gramas, imaginem seus pequeninos filhotes, eles nascem totalmente vulneráveis e indefesos, pesando somente de dez a quinze gramas, além de cegos, surdos e pelados e são protegidos pela sua mãe durante seu desenvolvimento, sem a presença do progenitor.

Sobre o seu desenvolvimento, nas primeiras três a quatro semanas, começam a abrir os olhos e os ouvidos, com cerca de vinte e um dias começam a aparecer pelos pelo seu corpo para lidar sozinho com as épocas frias, com aproximadamente quarenta e dois dias, seus dentes já estão desenvolvidos para poderem triturar independentemente o seu alimento. Como mamíferos que são, sua amamentação dura de oito a dez semanas. Após seu desenvolvimento total e capacidade de independência, com cerca de quarenta dias, abandonam seus ninhos.

Desenvolvimento E Sobrevivência Selvagem

A princípio seu desenvolvimento parece muito rápido, mas se torna compatível com a sua pequena expectativa de vida quando tomamos conhecimento dela, que é de somente três anos, mais uma vez parecidos com os conhecidos hamsters e porquinhos da Índia por também terem esta característica de vida curta.

Esta expectativa está totalmente correlacionada a disponibilidade de alimentação na natureza para a sua sobrevivência, especialmente no inverno, período em que têm que se proteger e não têm a mesma energia que no verão para caçarem e em que caracteristicamente estocam seus alimentos caçados para consumirem quando a fome bater.

Esquilo Selvagem
Esquilo Selvagem

Para lhes ajudarem nesta proteção ao frio, seu organismo se adapta com pelos mais grossos e escuros, enquanto que no verão ao contrário, são mais finos e claros. Também ganham tufos de pelos grossos nas duas orelhas. Esta mudança se dá no inverno, entre agosto e novembro. Fora este acontecimento, a cor da sua pelagem se diversifica entre preto e vermelho conforme às suas subespécies, que inclusive é muito variada, com cerca de quarenta, número que comumente pode mudar conforme estudos sobre a sua genética vão avançando.

Mas em comum, independente da sua cor, seu peito sempre é branco. Os esquilos vermelhos não possuem dimorfismo sexual.

Sobre o seu comportamento, são animais solitários mas que podem viver entre mais indivíduos, especialmente no inverno em que se unem para se aquecerem em seus ninhos e que convivem de forma hierárquica, em que o maior e mais velho comanda independente do seu sexo. Nós períodos reprodutivos, seu acasalamento se dá pela identificação do macho pela fêmea no cio através de um odor liberado pela mesmo. Pode acontecer de mais de um macho se interessar por uma mesmo fêmea, o que não gera disputas, o que é incomum no mundo animal.

O Querido Como Pet

Conhecido também como gerbo, de nome científico, meriones unguiculatus, vamos falar agora um pouco sobre o esquilo da Mongólia. Este querido roedor doméstico, quando vivendo na natureza, se encontra em habitats secos e desérticos.

Se o esquilo australiano e vermelho são parecidos com hamsters e porquinhos da Índia, este é idêntico. Curiosamente como algumas espécies de roedores, já foi usado como cobaia em testes de laboratórios, mas ganhou o coração mesmo é nas casas com seus donos, especialmente na América do norte onde são encontrados.

Esquilo da Mongólia - Gerbil
Esquilo da Mongólia – Gerbil

Forma de vida está que requer alguns cuidados. Por serem animais que gostam de escavar, o mais indicado são terráqueos ao invés de gaiolas que são mais abertas. Quanto a forragem, o mais indicado é areia de gato sem cheiro por terem propensão em adquirir problema respiratório, propensão esta que o impede também de receber banhos, evitando problemas mais sérios como a pneumonia.

Quanto a sua alimentação, requerem ração especial, sementes, frutas e proteínas animais, de tenebrios e besouros.

Sobre o seu comportamento, a disponibilidade de materiais como madeiras e papelão é indispensável para o gasto de seus dentes que nunca param de crescer como roedores que são. É indicada a adoção de mais de um animal do mesmo sexo, já que não são solitários e tem a reprodução exacerbada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.