Home / Informações / Curiosidades do Castor: Barragem, Toca e Alimentação

Curiosidades do Castor: Barragem, Toca e Alimentação

Alguns animais nos são amplamente familiares por diversos motivos, inclusive aqueles que não fazem parte da fauna brasileira e, isso se deve, principalmente, aos filmes e desenhos da terra do tio Sam. Como é o caso do Castor Fiber, também conhecido como simplesmente Castor. Visto, por muitos, como um bichinho fofo e simpático, o Castor é um roedor semi aquático encontrado (e nativo) na América do Norte e na Europa.

Características do Castor

Com um corpo maciço e forte, o Castor possui maior desenvolvimento na parte posterior do seu esqueleto. Seu focinho, uma característica marcante do roedor, é curto e possui um formato arredondado. Seus pêlos tem um tom de castanho escuro, sendo possível encontrar algumas espécies com reflexos cinzas. Porém, a região central do corpo desse animal costuma ser mais clara que o restante, adquirindo um tom de amarelado.

Apesar desses tons mais comuns, os castores podem ser encontrados em diversas tonalidades, inclusive em tons de branco com manchas escuras, mas está é uma espécie rara.

Sua cauda só é coberta de pelos, longos, em sua extremidade, sendo o restante nua, mas coberta com uma espécie de camada de escamas. Essa cauda funciona como um remo e leme para quando o Castor estiver na água. Além disso, também é uma forma do animal dar sinais de perigo, golpeando sua cauda no ar.

Castor
Castor

Ele também consegue se manter de pé, se apoiando somente em sua cauda e suas patas posteriores contam com membranas de nado, que facilita a locomoção do animal quando está na água.

Juntando todas essas qualidades, mais o fato dos ouvidos e o nariz se fecharam quando o Castor mergulho, isso torna-o um nadador exímio. Claro que não podemos esquecer de seus afiados e potentes dentes, com eles os castores conseguem derrubar troncos e árvores.

Suas orelhas são tão pequenas que quase não são vistas, num primeiro contato. Seus olhos também são pequenos e cobertos por uma membrana nictante.

Sua visão não é a sua melhor qualidade, sendo bem inferior se comparada aos seus outros sentidos mais apurados, como audição e olfato.

Esse animal simpático conta com 5 dedos e é um excelente escavador por contar com garras nesses cinco membros.

Outra característica do castor é que ele mantém seus pelos sempre limpos, penteando-os com as unhas das suas pastas posteriores. E é justamente por causa desses pelos macios e fartos, o roedor foi muito caçado, obrigando governos dos Estados Unidos e Canadá criaram leis para protegê-los.

E apesar de ser considerado um roedor de grande porte, chegando a medir 1,20 cm e pesar 30 quilos, o Castor é um animal inofensivo.

Barragem

Como dito, a sua cauda foi feita para facilitar sua vida aquática, por este motivo e para fugir mais facilmente de seus predadores (já que essa cauda torna-o uma presa fácil na terra), o castor constrói uma espécie de barragem – para prevenir inundações na sua outra casa, que é construída no meio das águas – e protegê-lo dos perigos externos, ou seja, seus predadores.

Essas barragens são feitas com madeira, pedras, lodo e plantas aquáticas. Por serem excelentes construtores, é muito comum ver suas barragens se tornarem grandes represas. E essa habilidade não para por aí, essas casas são usadas por anos por esses roedores, isso porque eles mesmos realizam as manutenções necessárias. Os reparos são feitos na primavera e pelas fêmeas ou em outubro, por toda a família, incluindo os filhotes.

Essa habilidade chega a tanto que eles já foram capazes de construir a maior barragem natural do mundo, vista do espaço. Isso aconteceu no Parque Nacional Wood Buffalo, no norte da província de Alberta. A barragem possui cerca de 850 metros.

Toca

A outra casa do castor é a sua toca, estas funcionam como diques e represas, como dito acima. Essas tocas são construídas em rios e riachos. A construção é feita a partir de troncos de árvores, cortadas pelos próprios animais. Com os troncos cortados, eles iniciam a criação da represa em um trecho específico do rio que, posteriormente, acaba virando um lago artificial.

Essas tocas tem paredes revestidas de barro, com 30 cm de espessura, realizada com suas patas traseiras. Além de todas essas medidas tomadas para se protegerem de seus predadores, os roedores ainda criam entradas submersas para suas tocas.

São construídos um ou mais túneis submersos para facilitar a entrada do castor em sua casa. Além disso, essas moradias possuem cômodos, bem parecido com a casa de humanos. Alguns desses cômodos são construídos acima do nível da água, permitindo que eles usem essas regiões para secarem seus pelos. Dentro da toca ainda existem os cômodos específicos para alimentações e uma espécie de quarto para os filhotes. Essas casas abrigam até 8 castores e possuem 6 metros de diâmetro. Não é a toa que eles são chamados de engenheiros.

Alimentação

Os castores são animais vegetarianos, boa parte da sua alimentação consiste, exclusivamente, de cascas de árvores, o que está ligado diretamente com a habilidade dos roedores em cortar madeiras com seus dentes.  É durante esse processo de coleta de pedaços de madeira e galhos para construções de suas tocas, que os castores aproveitam para guardar as partes comestíveis destas árvores e galhos.

Castores nadadores

Lembra que comentamos a habilidade do castor em viver submerso? Pois é, mas apesar de ser um bom nadador e ter um corpo que facilite sua locomoção aquática, o animal não consegue ficar muito tempo embaixo da água. Seu limite é de 15 minutos, após essas período, ele precisa voltar a tona.

Castor
Castor

Estilo de vida

Os castores são animais totalmente monogâmicos. Os casais costumam permanecer juntos a vida toda. O mesmo vale para os filhotes, que ficam juntos aos pais até que estejam prontos para reprodução –  e montarem sua própria família -, algo que acontece no primeiro ou segundo ano de vida do filhote.

A reprodução acontece no inverno e os filhotes nascem cegos, mas já com pelos pelo corpo.

É inegável a habilidade dos castores. São verdadeiros artistas. Gostou de saber mais sobre esse roedor fofinho? Então, compartilhe essas curiosidades com os seus amigos cibernéticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *