Home / Informações / Curiosidades das Salamandras: Nome Científico e Habitat

Curiosidades das Salamandras: Nome Científico e Habitat

Hoje vamos falar de um animal que chama bastante atenção devido a sua aparência: a salamandra (Urodela). Para quem nunca viu um exemplar na vida, esse bicho tem uma tonalidade no mínimo diferente, com cores chamativas e que o deixam em destaque em qualquer ambiente. Estamos falando do seu torso, que é todo preto, coberto com manchas amarelas e, algumas vezes, com alguns pontos em vermelho. Abaixo, falaremos mais sobre essa criatura de cores exuberantes. 

Sobre a salamandra

A salamandra é uma espécie de anfíbio, pertencente à ordem caudata. Ao todo, existem cerca de 600 espécies deste indivíduo. Sendo a grande maioria encontrada no hemisfério norte. Desse montante, 5 delas podem ser observadas no Brasil, em específico, na Amazônia – nenhuma surpresa sobre essa informação -. São elas: Bolitoglossa paraensis, altamazonica, caldwellae, madeira e tapajonica. 

Devido a sua variedade, podemos encontrar a salamandra em diversos ambientes: aquático, terrestre e semiaquáticos. 

Salamandra
Salamandra

Características 

Varia bastante de tamanho, mas normalmente mede de 3 a 12 centímetros de comprimento. Porém, aquelas que vivem na China e no Japão ultrapassam essas medidas e podem chegar a um metro. 

O mesmo acontece com o tipo de respiração – já que ela vive em diferentes habitats -. Enquanto algumas apresentam respiração branquial, outras podem fazer esse processo por meio da pele – cutânea – ou pelo pulmão – pulmonar. 

Já o jeito como se locomove é padrão entre todos os indivíduos, ou seja, um andar com ondulações combinadas com os movimentos da pata. Essa foi uma característica herdada dos ancestrais tetrápodes.

É comumente confundida com lagartos, mas existem algumas características morfológicas que separam os dois. A salamandra possui um corpo longo, com cauda, quatro membros, e uma pele fina, lisa, úmida e sem a presença de escamas. Inclusive, ela tem a capacidade de regenerar sua cauda. Essa habilidade normalmente é usada para confundir seus predadores, deixando essa parte para trás, distraindo o caçador e fugindo.

É um animal de hábitos noturnos e pode ser vista nas cores: preta, marrom, verde e laranja, mesclando duas tonalidades.  

Alimentação da salamandra 

Essa criatura tem uma dieta carnívora. Se alimenta de pequenos bichos, normalmente invertebrados. Sendo eles: cupins, formigas e besouros. Para encontrá-los, o indivíduo realiza uma combinação entre olhos e olfato. Um fator interessante é que normalmente o tamanho da sua cabeça define a medida da sua presa. Ou seja, se está região for maior, consequentemente, a presa também será. Aliás, essa é uma característica que acaba reduzindo a competição por comida entre as espécies. 

Reprodução

O tipo de reprodução também vai variar de espécie para espécie. Mas a grande maioria realiza fecundação interna. E nos indivíduos que apresentam esse tipo de processo não existe a presença de órgão sexual. Neste, só é possível observar a transferência do espermatóforo – um pacote de espermatozóides -. 

Já as salamandras que fazem fecundação externa desovam seus ovos na água ou na terra. Com algumas passando pela fase larval e outras, não. Assim como alguns são do tipo vivíparas – com essas colocando de 18 a 30 ovos – e outras, não.

Mas, existe um ponto comum entre todas. No período reprodutivo, a fêmea exala um cheiro bem forte. Ele é usado para atrair os machos para o acasalamento. 

Pedomorfose 

A salamandra que apresenta essa característica é possível observar traços relacionados a sua fase larval, mesmo estando no estágio de vida adulta. Ela exibe a ausência de pálpebras, padrões larvais em sua dentição e permanência do sistema de linha lateral. 

Habitat 

Gosta de morar em locais com matas e florestas, com bastante umidade no ar. Isso para as terrestres. Mas também é possível encontrá-la no fundo do rio, principalmente aqueles com águas frias. Tanto na água quando na terra, se escondem na parte debaixo das pedras. 

São encontradas na América do Sul – principalmente na Amazônia -, México, Estados Unidos, Europa, China, Mongólia e sul da Rússia. 

Curiosidades da salamandra

  • A salamandra é considerada a criatura mais antiga do nosso planeta. Já foram encontrados fósseis com cerca de 160 milhões de anos. 
  • Costuma emitir uma espécie de som para afastar os predadores. 
  • O indivíduo mais venenoso é a salamandra-de-fogo. Tem o corpo preto, com manchas amarelas – já falamos dela lá no começo -. Ela vive em regiões da Europa. Gosta de morar em locais úmidos, com montanhas e que chovem muito. 
  • Além dessa, algumas outras também são venenosas, e são justamente essas com cores fortes – amarelo, vermelho e laranja. 
  • A salamandra-gigante-chinesa é a maior da espécie. Pode ser encontrada na China continental e é do tipo aquática. Ela mede em torno de um metro e meio, e pode chegar aos 60 quilos. Está ameaçada devido a destruição do seu habitat. Mas também é caçada para servir de alimento ou é usada como remédio. 
  • Axolote ou salamandra mexicana é uma espécie encontrada em lagos no centro do México. Chama atenção devido suas brânquias que ficam na parte lateral e externa da sua cabeça. Elas são responsáveis pela troca gasosa. Outro ponto que chama muito atenção neste animal é sua capacidade de regeneração. Ele consegue reconstruir várias partes do seu corpo, como espinha, cauda e outros membros. Recuperando não só músculos, mas, também, ossos e até nervos. 
  • Inclusive, a salamandra é o único invertebrado capaz de se regenerar. 
  • Na idade média, as pessoas acreditavam que a salamandra renascia do fogo. Isso acontecia porque o animal se escondia em fogueiras e, quando a temperatura aumentava, ela era vista deixando o local, fazendo as pessoas acreditarem neste “poder”. 
  • A salamandra-cega-do-texas também possui brânquias externas, assim como um corpo sem cor e é cega. Ela vive em cavernas. 
  • Pesquisadores encontraram um fóssil de salamandra-gigante em uma caverna, na China, com 200 anos de idade. O animal tinha uma medida de 1,3 metros, e um peso de 52 quilos. 
  • O veneno desse bicho pode causar queimaduras na pele, além de paralisia, se entrar na rede sanguínea. 
  • Ovos de algumas espécies podem demorar dois anos para eclodirem. 
  • O hormônio tireoxina, secretado pela glândula tireóide, é responsável pela metamorfose da criatura. 

O que achou das salamandras? Não esqueça de compartilhar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *