Home / Informações / Curiosidades da Foca-harpa: Habitat e Nome Científico

Curiosidades da Foca-harpa: Habitat e Nome Científico

Feche os olhos e por alguns segundos imagine uma foca. Imaginou? A maioria das pessoas, muito provavelmente, tem na cabeça a imagem das focas dos filmes, que em aquários divertem visitantes, brincando com bolas e interagindo com tutores. Mas este não é o caso da Foca da Groenlândia, ou Foca-Harpa. Uma foca de aparência amigável, de pelos branquinhos nos primeiros dias, que se mistura ao gelo do Mar Ártico e do norte do Oceano Atlântico, sempre em busca de águas geladas e pedras de gelo para reproduzir, descansar ou simplesmente trocar de pelo.

Foca-harpa
Foca-harpa

Como assim Foca-harpa?

As focas da espécie Pagophilus groenlandicus, nome científico desta fofura, são chamadas de Foca-harpa porque, ao tornarem-se adultos, os machos, já com os pelos acinzentados característicos desse animal, têm uma mancha escura na cabeça em formato de harpa. Por isso são conhecidas por este nome. Essa espécie mede 1,8m em média, e pesa cerca de 130kg, podendo viver até os 35 anos e atingindo a maturidade sexual, quando podem procriar, por volta dos cinco anos. Além disso, as fêmeas têm apenas um filho por vez.

Apesar de ficarem brancas logo ao nascerem, as Foca-harpas ganham muito peso logo nos primeiros dias, pois o leite materno que consomem é altamente calórico. Isso dificulta, inclusive, que consigam entrar no mar para comer nos primeiros meses, pois seu peso é tanto que não conseguem mergulhar, necessitando de alguns dias de adaptação. 

A necessidade de irem à caça se dá pelo abandono da mãe, que com 12 dias já desmama e sai junto a outras focas para nadar pelos oceanos gelados, sempre em bando. Essa espécie de foca nada milhares de quilômetros, se locomovendo a todo instante.

Presa e predadora

Dentro da água, o corpo hidrodinâmico ajuda muito em sua caça a peixes, moluscos e até aves marinhas. Da ordem dos Pinípedes, a Foca-harpa é carnívora, por isso busca estes animais para se alimentar. Outras habilidades muito bem-vindas na hora da caça dizem respeito às características de seu organismo, já que elas ouvem muito bem embaixo d’água, mesmo sem orelhas aparentes, além de enxergarem independente da visibilidade da água, que em geral é turva.  A Foca-harpa possui a capacidade de mergulhar muito fundo, podendo passar dos 100m de profundidade, onde ela costuma esperar suas presas voltarem de locais ainda mais profundos, a fim de atacar-lhes.

No entanto, nem só de descanso e comida se dá a vida da Foca-harpa. Seus principais predadores na água são o tubarão e as orcas. Fora dela, suas nadadeiras as deixam muito vulneráveis ao seu principal predador natural, os ursos brancos e, claro, aos caçadores, que costumam matar filhotes para tirar-lhes a pele branca e usá-las para fazer roupas de inverno e exportá-las a outros países. As caçadas são mais comuns no Canadá, onde algumas ONGs fazem campanhas condenando este ato que, até 2012, vinha diminuindo a reprodução delas.

Pedras de gelo para descansar e reproduzir

O aquecimento global tem dificultado bastante a vida dessas focas, que buscam em camadas de gelo grossas os locais para darem à luz aos seus filhotes e também para descansar, já que possuem a capacidade de ocupar o ambiente terrestre. Conforme o derretimento das geleiras aumenta, elas vão buscando outros pontos para fazerem isso. Hoje, a Foca-harpa é encontrada principalmente no Canadá e na Groenlândia, mas também na Islândia, Noruega e Rússia.

Ainda assim, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) em sua última versão da lista vermelha de animais em risco de extinção, a Foca-harpa está em crescimento populacional, estimando, em 2015, que existiam 4,5 milhões de focas da espécie espalhadas pelo mundo.

A foca, a morsa e o leão-marinho

Você consegue diferenciar uma foca de uma morsa? E de um leão-marinho? Vamos ajudá-lo.

Ainda que façam parte da subordem Pinnipedia, as famílias destes três animais são diferentes. As focas pertencem aos Phocidae, as morsas à Odobenidae, e os leões-marinhos pertencem aos Otariidae. Eles possuem comportamentos parecidos: gostam de procriar no verão, buscam águas geladas do Ártico e andam em colônias, sempre juntos.

As diferenças físicas dos leões-marinhos e das focas para a morsa é mais evidente, encontram-se nos dentões à mostra deste último. É entre as focas e os leões-marinhos que mora a principal dúvida. Em um primeiro olhar eles se parecem iguais, mas olhando para a cabeça você nota a diferença. As orelhas das focas são internas, não aparentes. Já as do leão-marinho são mais aparentes, ainda que pequenas. Outra diferença fica por conta da locomoção em terra. As focas rastejam para se locomover, já os leões-marinhos se apoiam em suas nadadeiras peitorais e conseguem “andar” melhor.

Algumas espécies mais comuns de foca, além da Foca-harpa:

Foca-caranguejeira – representa a maior população de focas do mundo.

Foca-caranguejeira
Foca-caranguejeira


Foca-comum – É a mais conhecida delas. De cabeça arredondada e pesando 100Kg, mede até dois metros e tem a pele cinza-claro.

Foca-comum
Foca-comum


Foca-anelada – Como o nome pressupõe, possui manchas ao longo do corpo, em formato de anéis.

Foca-anelada
Foca-anelada

Existem focas no Brasil?

Da espécie da Foca-harpa, infelizmente, não. Mas há, sim, outras espécies que passam por aqui no período de migração entre um oceano e outro, ainda que lobos e leões-marinhos sejam mais comuns por aqui. Como a busca destes animais se dá sempre por águas mais gélidas, é possível avistá-los somente em alguns momentos do ano, como no inverno e na primavera, onde buscam alguns lugares para troca de pelo ou reprodução. No Sul da América, seus destinos preferidos são Uruguai e Argentina.

Alguns anos atrás, uma foca-de-weddell foi vista por marinheiros em Vitória, Espírito Santo. Depois, no entanto, seu corpo foi encontrado sem vida. Ainda assim, cientistas constataram que ela havia nadado mais de 5 mil quilômetros ao norte de seu habitat antártico, demonstrando a capacidade delas em se locomover por grandes distâncias. Por ser uma foca jovem, pode ter se perdido do bando.

Onde encontrar a Foca-harpa

Existem relatos de viajantes que encontraram a Foca-harpa, ou Foca da Groenlândia, em locais como o Golfo de São Lourenço, no Canadá, utilizado por elas para dar à luz aos seus filhotes, nos meses de fevereiro a abril.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *