Home / Informações / Curiosidades da Águas-vivas: Nome Científico, Espécies, Fotos e Tamanho

Curiosidades da Águas-vivas: Nome Científico, Espécies, Fotos e Tamanho

A água-viva (Cnidaria) pertencente à família dos cnidários é um animal envolto em diversos fatos interessantes e que o fazem ser um dos bichos mais intrigantes e espetaculares do mundo marinho. E nós vamos saber dessas curiosidades logo abaixo. 

Curiosidades sobre as águas-vivas

  • Existem há mais de 650 milhões de anos. 
  • A grande maioria tem um em formato de sino e um corpo transparente. 
  • Alguns animais medem apenas 2 centímetros, outras, no entanto, podem chegar a 2 metros de comprimento, com tentáculos com até 49 metros de envergadura. 
  • Ela depende das correntezas para se locomover pois não tem força para isso. 
  • Sua boca fica dentro do corpo, na parte inferior, entre seus tentáculos. 
  • Os corais, anêmonas do mar e a caravela-portuguesa são parentes da água-viva. 
  • Seu corpo é composta de 98% de água. 
  • Ele não tem coração, cérebro e nem ossos. 
Águas-vivas
Águas-vivas
  • O bicho tem nervos sensoriais na base dos seus tentáculos que o fazem enxergar, se orientar e sentir odores. 
  • Algumas espécies têm órgãos que brilham no escuro. Apesar de contraditório, este traço é usado para distrair seus predadores. 
  • Ela consegue clonar a si mesma. Se o bicho for cortado ao meio, ele é capaz de se regenerar e criar dois novos indivíduos completos. Enquanto a ciência lutou anos para realizar tal feito. 
  • Mais uma vez, não é um fator presente em todas as espécies, mas a Turritopsis nutricula se transforma de medusa – fase adulta –  para pólipo – estado em que o bicho não tem tentáculo – em situações de estresse. Essa habilidade faz com que ela viva muito mais tempo, sendo quase imortal. 
  • E falando em tentáculos, nem todas tem essa característica, como é com caso da Scyphomedusa deepstaria. 
  • Apesar de não ter um cérebro, ela tem uma rede nervosa que possibilita o animal de se desenvolver e se coordenar.
  • Normalmente ela é consumida por tartarugas, com as criaturas menores podendo ser comidas pelas maiores. Mas seres humanos também já provaram do animal. Estudantes japoneses usaram a água-viva para criar um tipo de caramelo. 
  • Ela costuma entupir os tubos de admissão de usinas no fundo do mar. 
  • A tocar uma presa ou uma ser humano, seus tentáculos causam irritação na pele, além de uma dor muito forte, febre e câimbra nos músculos. Não costuma ser fatal, mas pode acontecer dependendo da espécie. 
  • Se cortar um água-viva, independente do lugar, conseguirá dois pedaços iguais. 
  • Quando encalham na praia, ela se evapora como água normal. 

Algumas espécies de águas-vivas 

1 – Caravela-portuguesa 

Essa água-viva também é conhecida como garrafa azul na Austrália, e esse nome vem de uma característica do bicho: ela vive flutuando na superfície dos mares. Na verdade, a Physalia utriculus é um conjunto de organismos, que apresentam longos tentáculos e liberam uma substância que causa coceira. Ou seja, é melhor manter boa uma distância, boa mesmo, pois seus tentáculos chegam aos 10 metros de comprimento. 

Caravela-portuguesa
Caravela-portuguesa

2 – Medusa mortal 

Com uma coloração vermelha que pode atrair os desavisados, a Pelagia colorata é um animal perigoso. Ela costuma matar com o seu “cabelo flutuante”. Aliás, tem essa cor devido a presença de carotenóides na sua dieta a base em zooplânctons. A criatura também consome crustáceos e peixes pequenos. 

Medusa mortal
Medusa mortal

3 – Medusa de fogo 

A Cyanea capillata ou Juba de leão é considerada a maior espécie de água-viva. Pode chegar aos 3 metros de diâmetro e 30 metros apenas de tentáculos. Ela é encontrada tanto no México quanto no Ártico. Como costuma acontecer, é bonita e perigosa. Carrega um veneno potente, tanto que se por uma acaso uma de suas “patas” for arrancada por uma hélice de barco, por exemplo, o local ficará “contaminado” com a toxina por meses. 

Medusa de fogo
Medusa de fogo

4 – Medusa-da-lua 

A Aurelia aurora é a espécie mais comum de água-viva. Ela habita regiões dos Oceanos Pacífico, Atlântico, Índico e Ártico. É venenosa, mas este não chega a causar grandes estragos, ele não mata, muito menos queima seres humanos. Em países como China e Indonésia, ela é usada como alimento. Esta normalmente é cozida e marinada em óleo de gergelim. 

Medusa-da-lua
Medusa-da-lua

5 – Cephea 

Este animal possui um anel azul em seu corpo que é responsável por sua locomoção. Ela abre este membros e, ao mesmo tempo, absorve a água com sua boca. Em seguida, ela expele o líquido e o direciona para o mesmo lugar, fazendo com que ela caia em cima do anel e avance para alguma direção.

Também detêm veneno, mas este só causa alergia na pele e ele é transmitido por meio de seus tentáculos. 

Cephea
Cephea

6 – Medusa Chrysaora 

Normalmente este bicho é usado como meio de transporte por crustáceos que querem chegar a costa. Ela vive no Oceano Pacífico e seus tentáculos medem algo em torno de 4 metros de extensão. Também tem uma toxina irritante aos humanos, mas nada mortal. 

Medusa Chrysaora
Medusa Chrysaora

7 – Água-viva-caixa-australiana 

Também conhecida como Cubozoa, está linda água-viva é o bichol mais perigoso do mundo. Ela é vista principalmente na Ásia e na Austrália. Seu veneno atinge o sistema nervoso, coração e as células da pele da vítima. Ainda por cima, a dor é tão forte que a pessoa acaba entrando em choque, se afogando ou tem uma parada cardíaca dentro da água. Aqueles que sobrevivem passam dias com uma dor insuportável. 

A chance de resistir ao ataque desse bicho é quase nula, a não ser que o tratamento seja imediato. Logo após sua picada, é preciso aplicar uma dose generosa de vinagre por pelo menos 30 segundos. Ele é eficiente porque possui um tipo de ácido acético que anula a toxina da criatura que ainda não saiu da corrente sanguínea. Porém, esse processo não alivia a dor. 

Água-viva-caixa-australiana
Água-viva-caixa-australiana

Acredita-se que pelo menos 100 pessoas morrem anualmente devido a essa água-viva. Em 1954, esse número chegou a 5.567 vítimas.

Como sempre, a Austrália só nos dá mais motivos para se manter longe do país e de seus animais. Ir para lá é uma verdadeira prova de sobrevivência. 

Gostou de saber mais sobre esse animais feitos de água? Lembre-se, se avistar algum na areia da praia, por mais que seja uma espécie não perigosa, é melhor passar reto. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *