Home / Informações / Cruzamento dos Equinos

Cruzamento dos Equinos

A princípio esta nomeação pode ser um tanto quanto estranha para você, isto porque é referente a classificação biológica da família de algumas espécies de animais, mas quando revelarmos quais são elas, apostamos que estes animais são familiares para você, pela sua popularidade e habitação pelo mundo todo. Estamos falando dos cavalos, das éguas, dos potros, das zebras, dos asnos, das jumentas, dos burros, das mulas, entre outros. Revelando as espécies de animais pertencentes à família equidae, um questionamento comum que logo pode vir a sua cabeça é qual a diferença entre estes animais, pois bem, vamos a elas e apresentaremos algumas das muitas curiosidades sobre eles.

Equinos
Equinos

Origem Do Burro E Também Da Mula

A princípio vamos falar dos cavalos e das éguas, macho e fêmea da mesma espécie de animal ou em outras palavras, a sua classificação, os equinos. Justo começarmos o texto sobre eles, pois são os mesmos que junto a outras espécies de animais, dão origem a mais algumas outras citadas pertencentes à família equidae. Pois então cheguemos de mistério e vamos às informações.

Quando a reprodução ocorre entre uma égua e um asno, também nomeado corretamente como jegue ou jumento, o resultado é um filhote de burro ou mula, animais estes que assim como a égua e o cavalo, são da mesma espécie de animal com a nomeação diferenciando o seu sexo. Mais uma vez se parecendo com a diversidade da família equidae, desta vez com o asno, ou jegue, ou jumento, o burro também é nomeado corretamente de mais algumas formas, como mulo ou besta, por exemplo. Esperamos que a nossa explicação tenha ficado clara para você e não te faça confundir todas estas várias nomeações com o mesmo animal, o que é muito comum entre as pessoas, como quando chamam o asno de burro, se referindo ao mesmo animal.

Cruzamento E A Origem De Outro Animal

Outra reprodução que gera um animal menos conhecido, o bardoto, é resultado de um cruzamento oposto do anterior, ou seja, entre um equino macho ou em outras palavras o cavalo e uma jumenta, que é o sexo feminino do asno, mas se já esta começando a ficar confuso para você, fique tranquilo, pois as reproduções acabam por aqui, isto porque tanto os bardotos, quanto os burros e as mulas são estéreis, ou seja, não tem a capacidade biológica reprodutiva, mas como todo caso há exceção, este caso teve cerca de aproximadamente sessenta exceção, número de muares (como também são nomeados ou classificados os animais já citados acima como estéreis), que curiosamente e misteriosamente já chegaram a se reproduzir, o que é motivo de questionamento para a biologia e a ciência e continua sem resposta até hoje. Relembrando até aqui, os animais classificados como equinos são os cavalos, as éguas, as zebras e os potros, os muares são as mulas, os burros e os bardotos, mas o que ainda não falamos até então é que os asnos são classificados como asininos.

Cavalos e Asnos Selvagens

Outra curiosidade é que tanto os cavalos e éguas quanto os asnos e jumentas possuem subespécies selvagens, isto mesmo, eles não vivem somente de forma doméstica, usados habitualmente desde sempre para a montaria, como meio de locomoção especialmente em meios rurais e agrícolas ou como meio transporte mais comumente nestes mesmos locais.

A espécie de cavalo selvagem é o equus ferus, que na natureza selvagem e em seu habitat natural são instintivamente sociais e convivem entre rebanhos, bandos ou em grupos, já a espécie de cavalo doméstico é a equus ferus caballus. Equus em sua nomeação é referente a sua classificação biológica de gênero. Com a espécie de animal asno não é muito diferente do cavalo, o asno doméstico é uma das subespécies do asno selvagem. Outra subespécie é o asno da Somália, que como o seu próprio nome literalmente diz, habita a África, mais especificamente o Nordeste da Somália, mas não é só sobre a sua subespécie que o seu nome conta, mas sobre o habitat das subespécies selvagens em geral, que é como o Nordeste da Somália caracteristicamente, ou seja, árido e desértico.

Motivo e Consequência Do Desmatamento

Antigamente as subespécies de asnos selvagens chegavam a habitar mais regiões além do Nordeste da Somália, como o Egito, o Sudão e a Lívia, mas a comum ameaça de extinção de muitas espécies de animais, o desmatamento, diminuíram muito a sua população e consequentemente a sua habitação por estas regiões.

Na Somália a diversidade de espécies de animais não acaba por aqui, são muitas, entre elas espécies de macacos, que também estão sofrendo ameaça de extinção devido ao desmatamento, que por lá é mais comum ainda e é visado para a obtenção do óleo de palma, muito presente na região e exportado para o mundo todo, entre as suas utilizações, curiosamente está a produção do creme de avelã, querido entre muitos consumidores. Atualmente o estado de conservação da subespécie selvagem de asno da Somália, por exemplo, é criticamente ameaçado de extinção, com cerca de somente seiscentos indivíduos sobreviventes, segundo a UICN – União Internacional para a Conservação da Natureza.

Mistura E Junção De Características

A aparência física do asno da Somália lembra a da zebra, com suas quatro pernas listradas semelhante às da mesma, mas não se engane quanto a sua origem, eles estão mais próximos dos asnos selvagens do que delas, apesar de serem ancestrais.

Os equinos são animais grandes com seu porte forte e musculoso e com suas crinas e pelagem valorizadas pelos seus tutores, os asininos são animais de porte médio, com suas orelhas grandes, pontiagudas e em pé e os muares são de porte médio também, mas maiores comparados aos asininos ou em outras palavras, seus pais, afinal, são resultado do cruzamento e reprodução do maior equino entre eles, os cavalos e as éguas. São os muares também que carregam toda esta mistura, características dos equinos, como a crina, junto a características dos asininos, como suas orelhas grandes, pontiagudas e em pé. Mas todo este porte forte e musculoso e crinas e pelagem brilhantes não requer muito segredo, já que são herbívoros e se alimentam basicamente de grama, cupins, folhas e cascas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *