Home / Informações / Cobra Cipó Marrom: Curiosidades, Nome Científico e Habitat

Cobra Cipó Marrom: Curiosidades, Nome Científico e Habitat

O mero pensamento em cobrar e/ou serpentes nos traz arrepios não é mesmo? Com seu aspecto esguio e que nos remete a perigo, as cobras, tem sido alvo de uma reputação não muito boa, principalmente por algumas delas serem consideradas peçonhentas e altamente perigosas para o ser humano. Estes seres fazem parte da Classe Reptilia, que se refere ao modo em que estes animais se locomovem, tendo origem latina o termo “reptum” significa rastejar. As cobras fazem parte da Ordem Squamata, que inclui ainda os lagartos. Vale ressaltar que existe diferença significativa entre as palavras cobra, serpente e víbora e que muitas vezes por costume, erroneamente chamamos todas de cobras ou de serpentes, portanto aqui vai um pequeno esclarecimento. Para representar as cobras podemos mencionar as da família Colúbrideos, que compreende em sua maioria, espécies inofensivas e de tamanho médio, mas também apresenta cobras venenosas. As serpentes são na verdade consideradas um subgênero dentro do reino animal, enquanto que as cobras é uma das famílias existentes. Aquelas compõem outras famílias, como a Elapidae, tendo como exemplos mais comuns, serpentes de coral, mambas e serpentes marinhas. Já as víboras são serpentes, da família Viperidae, que tem como principal característica a capacidade de produzir e através de aparato inoculador, injetar sua toxina para fins de alimentação e defesa. Como exemplos podemos mencionar a cascavel e a jararaca.

Cobra Cipó Marrom Olhos Grandes
Cobra Cipó Marrom Olhos Grandes

Características gerais das cobras:

Uma das principais características interessantes é o revestimento externos das cobras. Assim como os lagartos, a pele das cobras apresenta uma fileira de escamas, lisas ou carneadas. Os seus olhos não possuem pálpebras, mas são cobertos por uma cutícula transparente. Não tem membrana ou aberturas externas dos ouvidos. Sua língua é flexível, estreita, com extremidade bífida, podendo sair por uma abertura chanfrada da mandíbula, mesmo quando sua boca está fechada. Os odores de sua comida ou do possível parceiro(a) são na verdade captados e levados até o que chamamos de órgão de Jacobson, pela própria língua.

Seu sistema digestório é composto basicamente por um tubo reto que vai da boca até o ânus. Quase todos os outros órgãos são de formato alongado e seu pulmão esquerdo é vestigial. Seus numerosos músculos são delgados e segmentados, sendo capaz de proporcionar ligamentos entre vertebras, vertebras-costelas, entre as costelas, costelas e pele e por fim os ligamentos de pele com pele, dando as cobras a possibilidade de se movimentar de forma sinuosa.

Existem 4 tipos de locomoção das cobras, podendo elas serem de forma ondulada horizontal ou lateral, retilínea, em sanfona ou então por meio de alças laterais.

Em se falando de alimentação e dentição é bom esclarecer que as cobras não mastigam suas presas, mas sim, o engolem inteiro. Elas conseguem se alimentar de presas muito maiores que elas mesmas, devido a características anatômicas evolutivas realmente incríveis, como por exemplo o fato de sua boca poder ser largamente distendida devido a união de suas mandíbulas, na parte anterior, por um ligamento elástico.

Cobra Cipó Marrom Características
Cobra Cipó Marrom Características

Quanto sua dentição, as cobras podem ser classificadas em 4 tipos. Temos as cobras áglifas, que possuem como característica a ausência de dentes especializados para inoculação, tendo apenas dentição normal, podendo ou não produzir veneno. Em seguida temos as cobras opistóglifas, que apresentam além dos dentes normais, dentes inoculadores de peçonha, porem estes localizam-se na parte posterior da mandíbula.

Temos ainda as cobras denominadas proteróglifas que possuem também dentes inoculadores fixos e agora, localizados na parte anterior da mandíbula. Por fim, mas não menos importantes, há ainda as cobras solenóglifas que apresentam dentes ocos, de tamanho maior e inoculadores de peçonha, localizados também na parte anterior da mandíbula, porém estes são moveis, se retraindo para trás quando fecha a boca.

Sua reprodução pode ser ovípara, onde a cobra vai formar seus ovos, polos para fora e dentro destas ocorrera o desenvolvimento de sua prole. Ou então pode ser vivípara, onde a cobra fêmea vai dar à luz filhotes já formados.

Sua alimentação é exclusivamente carnívora, tendo um amplo cardápio que vai desde pequenos invertebrados até mamíferos bem maiores que as próprias caçadoras. Algumas utilizando-se de seu bote e força para asfixiar sua presa, outras fazendo uso de sua peçonha para paralisar e matar seu alimento.

Cobra-cipó marrom:

Existem várias cobras de duas diferentes famílias, denominadas de cobra-cipó. Curiosamente algumas de colorações marrons, outras até verdes, porém as quatro mais endêmica são a da família da Culubridae, e a da família da Dipsadidae, cujo nomes científicos são Chironius laevicollis, Dendrophidion dendrophis (Culubridae), Echinanthera cephalostriata e Taeniophallus bilineatus, ambas da família Dipsadidae. As cobras-cipó são uma espécie, no geral de habito diurno, ou seja, são bastante ativas durante o dia, sendo amplamente encontradas por toda América do Sul, principalmente em Mata Atlântica e áreas florestais. Costuma viver entre vegetação, árvores e no solo. Sobre o tipo de dentição, tirando a cobra Chironius laevicollis, que é opistóglifa, ou seja, além da dentição normal, tem ainda dentição inoculadora de peçonha, localizada na parte posterior da mandíbula, já as outras espécies de cobras-cipó são áglifas, apresentando apenas dentição normal, sem aparato inoculador.

Sua alimentação é bastante variada, em sua maioria, optando pelos anfíbios. Porém, mais uma vez a cobra-cipó denominada Chironius laevicollis se destaca por preferir se alimentar não só de anfíbios, como também de aves e lagartixas. A reprodução desta cobra-cipó é ovípara, portanto, as fêmeas põem ovos, onde os seus filhotes irão se desenvolver e eclodir.

Cobra Cipó
Cobra Cipó

Seu temperamento é considerado bastante agressivo, atacando quando se sente em perigo. Curiosamente a espécie denominada Dendrophidion dendrophis, tem a capacidade de realizar o que chamamos de autotomia voluntária, que é o processo dela conseguir desprender parte de sua cauda para despistar seu predador e conseguir fugir. Característica comum conhecida e vista principalmente em lagartixas. O comportamento defensivo da cobra-cipó é visto principalmente para com aves, pequenos mamíferos, como roedores e marsupiais, outras cobras e também com lagartixas. Apesar de elas não serem peçonhentas, tirando a Chironius laevicollis, é importante tomar bastante cuidado, sua mordida pode ser bastante dolorosa, causando sintomas como dor, inchaço, vermelhidão, além de poder transmitir doenças bacterianas secundárias, devido sua boca contaminada.

O ideal é que caso queira se aventurar no meio de alguma floresta, você tome as medidas de prevenção adequadas, como por exemplo, use sempre botas de cano alto ou perneiras e luvas. E se vive encontrando cobras em sua casa, é importante manter sua área sempre limpa de lixo, folhagem e restos de alimento, não eliminar possíveis predadores das mesmas e controlar suas fontes de alimento, no caso das cobras-cipó, rãs e sapos, principalmente.

Referências:

  1. https://www.rufford.org/files/Guia%20de%20Identi%EF%AC%81ca%C3%A7%C3%A3o%20de%20Serpentes%20do%20Bairro%20Guapiruvu,%20Brasil_0.pdf
  2. http://eco.ib.usp.br/labvert/Serpentes-de-Interesse-Medico-da-Amazonia.pdf
  3. http://www.icmbio.gov.br/educacaoambiental/images/stories/biblioteca/Materiais_produzidos_nas_UCs/Folder_repteis_Impressora.pdf
  4. http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/cobras_nao_venenosas.html
  5. http://www.fiocruz.br/sinitox_novo/media/serpentes.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *