Home / Informações / Cavalo Lavradeiro de Roraima: Características e Fotos

Cavalo Lavradeiro de Roraima: Características e Fotos

O cavalo lavradeiro de Roraima chegou ao Brasil há cerca de duzentos anos e integra a lista de animais que correm risco de extinção. Abaixo você poderá ver mais de suas principais características e um pouco do histórico que a raça passou desde sua chegada ao território nacional. O animal é considerado um símbolo do território roraimense e logo, logo você entenderá o porquê!

Adaptação ao meio: como o cavalo lavradeiro conseguiu prosperar

Antes de mais nada, os cientistas apontam o animal como sendo um claro exemplo da eficiência que a seleção natural proposta por Charles Darwin, na década de 1830, tem na natureza. Isso porque os seus genes considerados como fracos foram descartados no decorrer dos anos como forma de se adaptar ao ambiente que não lhe fornecia tudo o que era necessário para sobreviver facilmente. A alimentação disponível no lavrado de Roraima é basicamente limitada a capim, longe de ser ideal para um animal que tem, em média, 1,4 metros, pois há baixo valor nutritivo; a condição climática é muito variável, indo de secas a muita água em poucos instantes. Por motivos como esses, a raça precisou modificar a sua estrutura no nível micro, mas também macroscópico, antes que fossem extintos de vez.

Cavalo Lavradeiro
Cavalo Lavradeiro

A boa notícia é que eles conseguiram tal feito e por isso são tão valorizados no ramo científico. Os criadores se chocam com a velocidade que eles alcançam – 60 km/h, aproximadamente – mesmo com uma dieta tão fraca. Além disso, é surpreendente também que tenham desenvolvido um porte físico capaz de se adequar às condições climáticas do estado. Graças ao porte pequeno, conseguem sobreviver com a vegetação esparsa na época de secas e com os cascos, igualmente pequenos, conseguem ser resistentes às épocas chuvosas, segundo os especialistas analisam. Caso não tivessem essa particularidade, acabariam adquirindo feridas devido a alagação.

É perceptível e admirável perceber como eles se modificaram e evoluíram para que se tornassem mais fortes e, assim, sobrevivessem ao ambiente hostil.

Como se não bastasse tudo isso, eles possuem também uma outra condição genética que se fortaleceu ao longo do processo de seleção natural: a resistência à doenças e parasitas que permeiam a área em que os cavalos vivem. Enquanto muitas outras raças sofrem com a anemia infecciosa equina, por exemplo, os lavradeiros são imunes. A doença é conhecida entre os fazendeiros e veterinários com “aids equina” por afetar o sistema imunológico e ser necessário, muitas vezes, sacrificar o animal. Encontrar uma raça que não é afetada por algo tão perigoso entre a espécie chama a atenção, abrindo um mundo de novas possibilidades no ramo da pesquisa.

EMBRAPA e a busca por continuidade da raça

Vendo todo o potencial de novas análises que a raça oferece e querendo evitar que ela fosse extinta de vez, a EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) de Roraima decidiu fazer algo a respeito. A instituição criou uma espécie de reserva com alguns cavalos lavradeiros de Roraima para estuda-los a nível genético, mas também permitir a sua reprodução e perpetuação do animal tão complexo e intrigante. A análise faz parte do programa de conservação de recursos genéticos e é feita para entender, por exemplo, a quais doenças a raça é imune e, talvez, ter dados o suficiente para criar antídotos para outras espécies que não têm o mesmo índice de resistência. Um outro viés possível é buscar uma explicação que desvende uma característica já citada anteriormente: sua velocidade, que numa perspectiva mais física, dizendo respeito ao corpo do animal, é vista com curiosidade por cientistas.

A iniciativa busca criar um banco de armazenamento genético com amostras de DNA e sêmen, visando “[…] garantir que esse tesouro genético possa continuar sendo o símbolo das futuras gerações de Roraima e do Brasil”, como dito por Maria do Socorro Maués, pesquisadora da EMBRAPA Recursos Genéticos e Biotecnologia.

O símbolo roraimense: cavalo lavrador

São muitas características biológicas que realmente chegam a impressionar os estudiosos da área, mas a fama dos cavalos não fica só aí. Eles também são importantes para a cultura de Roraima, que os adotou desde a chegada ao território e hoje em dia estão presentes no coração e mente dos habitantes. Entre algumas evidências dessa relação que se desenvolveu, é possível citar alguns passeios turísticos que incluem uma visita ao habitat do animal em seu itinerário e também a AAAMV: Associação Atlética Acadêmica Medicina Veterinária Lavradeiros, proveniente da Universidade Federal Rural de Roraima (UFRR) que conta com o nome da espécie, reforçando a simbologia que o animal tem no estado. Os souvenires carregam o equino estampado em camisetas e canecas, como forma de resumir o local visitado pelos turistas em apenas uma imagem: o cavalo lavradeiro de Roraima, representação de força e adaptação às situações adversas.

Cavalo lavradeiro também é arte!

Todo o encantamento sobre os lavradeiros de Roraima resultou na produção do documentário intitulado “Lavradeiros”, dirigido por Luiz Cláudio Correia Duarte e produzido por Luiz Alvarenga. Trata-se de uma narrativa que “[…] nos faz entender como o cavalo lavradeiro se desenvolveu nos campos de Roraima, com seus ecossistemas baseados em ambiente de lavrado, que são o palco onde ainda vive um dos últimos cavalos totalmente xucros do país”, segundo o próprio diretor.

A produção foi exibida no estado em abril de 2015 e tem grande importância por dar visibilidade à cultura nortista e demonstrar o potencial biológico e simbólico que existe nas terras roraimenses com o cavalo lavrador de Roraima.

Uma outra produção artística foi desenvolvida por alguém que tem propriedade no assunto! Ramayana Menezes Braga é pesquisador e desenvolveu o livro intitulado “Cavalo lavradeiro em Roraima: aspectos históricos, ecológicos e de conservação”, em que trata dos fatores que interferem na formação do fenótipo animal e serve como fundamentação para a pesquisa desenvolvida pela EMBRAPA.

Tudo isso são formas de eternizar um animal tão complexo e cheio de curiosidades, mostrando que além de seu lado genético peculiar há também a questão cultural simbólica adotada no decorrer dos anos. Cavalo lavradeiro de Roraima é pesquisa científica, mas também a representação de uma cultura muitas vezes esquecida, mas tão rica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *