Home / Informações / Características Dos Gafanhotos: Alimentação, Reprodução E Fotos

Características Dos Gafanhotos: Alimentação, Reprodução E Fotos

Você sabia que os gafanhotos podem ser chamados em alguns locais de ticuras? Ou ainda tucuras? Nomes nada similares ao que conhecemos, não é?

Essas são apenas algumas das curiosidades que traremos sobre estes pequenos insetos. Vem com a gente e descubra tudo.

Informações Iniciais Sobre Os Gafanhotos

Os gafanhotos podem ser chamados, a depender dos povos como ticuras, tucuras e acridianos. Isso mesmo, gafanhoto é apenas uma das nomeações que este inseto recebe. O gafanhoto pertence à subordem Caelifera (a mesma dos grilos), ordem Orthoptera que é caracterizada pelas espécies que possuem o fêmur em suas pernas posteriores que são ligeiramente muito alongadas, de maneira desproporcional as dianteiras. Por conta desta característica se locomovem aos saltos, assim como os gafanhotos.

Algumas espécies que integram a mesma ordem dos gafanhotos, a Orthoptera, e até eles próprios (a depender da espécie) comumente pode constituir grandes enxames que colocam em riscos as mais diversas plantações.

No Quênia mesmo, enxames de gafanhotos estão colocando em risco o fornecimento de alimento para a população.

Apesar de denominarmos apenas como gafanhotos, há diferentes espécies, mas a maioria que conhecemos integram a família Acrididae (também chamada de Locustidae) por isso um dos seus nomes ser acridianos.

Caso você tenha ficado interessado, ao final deste post você encontra mais informações do que está acontecendo no Quênia.

Gafanhotos
Gafanhotos 

Características Destes Pequenos Insetos

São insetos herbívoros e polífagos. Insetos polífagos são aqueles que se utilizam de diferentes fontes alimentes. No caso dos gafanhotos eles se alimentam de plantações de arroz, de soja, de alfafa e eucalipto para citarmos apenas algumas.

Como adiantamos anteriormente são animais caracteristicamente com as pernas posteriores alongadas. Pernas estas igualmente fortes para que sejam saltadores e tanto. Além das pernas para saltar estes animais também possuem asas. As dianteiras são de couro e não o auxiliam no voo, pelo contrário. As posteriores são membranosas e responsáveis pelo voo destes insetos.

Como colocado que há diversidade de espécies de gafanhotos, resolvemos citar algumas delas, são elas, gafanhoto-argentino, gafanhoto-do-campo, gafanhoto do milho, gafanhoto-peregrino, gafanhoto-soldado, dentre outros.

Reprodução Dos Gafanhotos

A alimentação como exposto é composta por plantações das mais diversas, como arroz, soja, citros, alfafa, eucaliptos, dentre inúmeras outras como bons polífagos que são.

Já a sua reprodução é um tanto quanto curiosa. A maioria das espécies são de insetos solitários que apenas se encontram para o acasalamento. Ainda assim não são animais que constituem ninhos ou possuem territórios.

No caso das espécies migratórias as mesmas podem se juntar a milhões ou bilhões de outros indivíduos e rumarem por longas distâncias para encontrarem fontes de alimento.

Voltando a reprodução, tanto o gafanhoto adulto quanto o em idade jovem se assemelham bastante e a reprodução destes insetos em sua maioria é sexuada e com a posterior postura dos ovos pela fêmea. São, desta maneira, animais ovíparos. Mas há espécies que são partenogênicos. Os partenogênicos são aqueles animais que conseguem desenvolver um ser vivo sem a fecundação de um óvulo.

Retornando aos gafanhotos, após o acasalamento as fêmeas repousam no solo e ativam o seu aparelho ovopositor. Curiosamente neste momento as fêmeas praticamente afundam o seu abdômen na terra para a postura dos ovos. Cada postura tem em média dentre cinquenta a cento e vinte ovos. Com a finalização da postura de ovos a fêmea realiza a vedação do local onde os ovos estão e em um período médio de trinta dias há a sua eclosão, dando início a um novo ciclo.

Da eclosão dos ovos a fase adulta do gafanhoto há um período de aproximadamente cem dias.

Gafanhotos
Gafanhoto

Curiosidades Envolvendo Os Gafanhotos

Os gafanhotos tem a capacidade de saltarem a uma distância de mais de vinte vezes o comprimento do seu corpo. Dá para acreditar nisso?

São animais mais ativos durante o dia mas também possuem atividade durante a noite, sendo este um período dedicado para a sua alimentação.

Os gafanhotos não são naturalmente pragas, mas na Bíblia há um relato de um enxame de gafanhotos que foram uma das pragas a atacar o antigo Egito. Este evento não é isolado, infelizmente e comumente estes animais formam enxames que atacam e destroem plantações inteiras.

Recentemente, em meados de janeiro de 2016, um enxame de gafanhotos atacou o noroeste da Argentina. No Brasil não é uma ocorrência comum, mas há relatos de ataques similares no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Ocorrência De Enxame De Gafanhotos No Quênia

Como comentamos inicialmente vamos ao que tem ocorrido no Quênia com o enxame de gafanhotos.

Tudo teria tido início em dezembro quando um enxame de gafanhotos se aproximou de uma comunidade no norte do país. Inicialmente os moradores pensaram que a nuvem que cobria os céus eram chuvas esperadas por todos, mas, na verdade, o que seria um alívio para toda a população se mostrou um verdadeiro pesadelo. Os gafanhotos do deserto passaram a deixar um rastro de destruição por toda a extensão do país e o problema se arrasta até agora. Estes insetos estão consumindo por dia o que cerca de trinta e cinco mil pessoas consumiriam no mesmo período.

Da comunidade no norte do Quênia este enxame tem se alastrado e consumido plantações inteiras na Somália, na Etiópia, no Sudão do Sul e na Tanzânia. O continente africano enfrenta hoje o maior enxame de gafanhotos dos últimos setenta anos.

Estimasse que haja cerca de oitenta milhões de gafanhotos do deserto por quilômetro quadrado.

Autoridades locais denotam o problema como uma crise de segurança alimentar e que todos estão correndo contra o tempo uma vez que o alvo é móvel e possui facilidade de locomoção.

Gafanhotos
Gafanhotos

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), a crise alimentar provocada por este enxame de gafanhotos levaria mais de vinte milhões de pessoas a fome tanto no Quênia, quanto na Somália e também na Etiópia. Atualmente o número de pessoas que passam fome nestes locais é de aproximadamente doze milhões.

Se o problema persistir ainda de acordo com autoridades o cenário agravaria ainda mais a disputa por terras já existente nestes países.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *