Home / Informações / Características do Tubarão Tigre: Habitat, Respiração e Reprodução

Características do Tubarão Tigre: Habitat, Respiração e Reprodução

Não importa a espécie, o tubarão sempre será um dos animais mais temidos do mundo marinho. Hoje, falaremos do tubarão tigre (Galeocerdo cuvier). Pertencente a família Carcharhinidae, ele também é conhecido como tintureira. É visto nos mares temperados e tropicais, o que incluiu o Brasil, sendo mais comum no norte e no nordeste do país, mas são pouco vistos. 

Além disso é possível encontrá-lo dos Estados Unidos até o Equador.

Características do tubarão tigre 

Pelo seu nome, é óbvio concluir que o bicho é facilmente reconhecido nas águas. Tem um corpo que varia do cinza-escuro ao marrom-acinzentado coberto de manchas retangulares escuras que lembram as presentes no tigre. Essa coloração permite que o bicho se camufle com facilidade, por isso é comum pegar suas vítimas de surpresa. 

Os flancos são cinza com desenhos rajados, assim como suas nadadeiras. Já a barriga é branca. Essas marcas vão desaparecendo conforme o tubarão vai ficando mais velho. 

Exibe um torso forte e comprido, focinho arredondado, curto e uma cabeça com uma altura menor que sua boca. Ele possui uma membrana nictante, considerada uma terceira pálpebra. Apesar de ter a crânio grande, seu corpo vai se afinando até chegar a sua cauda, que é estreita. 

Possui uma dentição triangular e serrada, parecido com um abridor de lata. É graças a esse formato que o bicho consegue quebrar ossos, superfícies rígidas – como cascos de tartarugas -, além de rasgar a carne com facilidade. Um fato interessante sobre os dentes do indivíduo é que se por algum motivo ele perder algum, outro nascerá no lugar para substituir o antigo. 

Quanto ao seu tamanho, o tubarão tigre é considerado o 4° maior da espécie quando chega a fase adulta. Apesar de existir registros que o bicho pode chegar aos 7 metros e pesar 900 quilos, a média é de 3,3 a 4,3 metros de comprimento e um peso de 400 a 630 quilogramas. Quando nasce, a criatura costuma ter cerca de 80 centímetros, e as fêmeas são maiores que o macho, ou seja, apresentam dimorfismo sexual.

Tubarão Tigre
Tubarão Tigre

Habitat 

O bicho consegue se adaptar a qualquer tipo de ambiente marinho, mas gosta de habitar águas turvas de áreas costeiras. Por isso é tão comum acidentes envolvendo o animal em locais como portos, região com corais e praias. Em decorrência disso, também é muito comum vê-lo nadando na superfície, mas ele consegue chegar aos 350 metros de profundidade por um curto espaço de tempo. 

É do tipo migratório, mudando de lugar conforme a temperatura da água. Fica em locais quentes no verão e volta aos mares tropicais no inverno. Por causa desse hábito, ele tem a habilidade de percorrer longas distâncias em pouco tempo, mas sempre em linha reta. 

Reprodução

O tubarão tigre é do tipo ovovivíparo, ou seja, as fêmeas botam ovos. Estes se desenvolvem no interior do seu corpo, que também eclodem dentro da mãe. Após isso, concretiza-se o parto do jeito que conhecemos. 

Os machos chegam a maturidade sexual quando alcançam dois metros e meio de comprimento. Já as fêmeas chegam a esse estágio com dois metros e nove. 

Aqueles que residem no hemisfério sul acasalam entre novembro e janeiro, enquanto no norte isso acontece entre março e maio. A gestação dura cerca de 14 a 16 meses. A fêmea pode ter de 10 a 80 filhotes, mas a média costuma ser de 30 a 50. 

A expectativa de vida desse animal é de 50 anos. 

Comportamento do tubarão tigre

Exímio caçador, ele prefere realizar essa atividade sozinho. Quando a quantidade de comida é grande é quando podemos ver o maior número de tubarões tigres juntos. Só costuma nadar rápido quando se sente atraído por sangue ou comida, fora isso, se locomove de maneira devagar pela superfície.

Ataca sua caça por baixo e só realiza o ataque quando tem certeza de que irá conseguir pegar a presa de surpresa ou que ela não terá a chance de escapar. 

E, ao contrário do que todo mundo acredita, esse bicho tem mais fama de agressivo do que o tubarão-branco. 

As fêmeas são as responsáveis por cuidarem das crias até o ponto em que eles possam sobreviverem por si mesmos. Sendo assim, elas costumam ser as mais “ferozes”. 

Mas, apesar disso, ele fica atrás do branco quando o assunto é ataque aos seres humanos. 

Mesmo sendo um bicho curioso e muitos tendo uma relação amigável com mergulhadores experientes, é preciso respeitá-los. Mas é considerado uma criatura pacífica porque só ataca quando se sente incomodado. 

Tem uma importância no ecossistema que vive. Ele funciona como um tipo de regulador, evitando que animais muito grandes permaneçam em um local por um longo período, degradando o ambiente.

O principal motivo para permanecer próximo a superfície é devido a sua alimentação

Alimentação 

Apesar de ser um indivíduo carnívoro, o tubarão-tigre não é exigente e come o que ver pela frente, inclusive alimentos não feitos de carne. O que quer dizer que ele consome peixes, cações, raias, moluscos, crustáceos, focas, tartarugas e outros mamíferos que vivem na água. 

Quando morre, é possível encontrar no seu estômago pedaços de metal, partes de corpo humano – opa -, garrafas, roupas, pedaços de vacas e cavalos, e até cachorros inteiros – tadinhos -. 

Respiração do tubarão-tigre 

Assim como os outros peixes, o tubarão-tigre apresenta uma respiração branquial, podendo retirar o oxigênio da água. 

Ameaça 

O tubarão-tigre tem um status de ameaça pouco preocupante, o que é uma ótima notícia, já que outras espécies da sua família correm um risco muito maior de desaparecer. Mas, mesmo assim, vários países proibiram a caça do indivíduo, além da tomada de outras medidas para preservação da espécie. 

Como dito, não costumam atacar humanos e quando isso acontece, é por engano. Tanto que quando ele percebe que não tem a presa que gostaria, solta a pessoa, deixando-a apenas ferida. 

De qualquer forma, é importante preservar o bicho, já que ele tem um papel importante nos locais que vive. E como já dissemos inúmeros vezes por aqui, todo animal tem uma função de importância no ecossistema. É nosso dever protegê-los para proteger a nós mesmos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *