Home / Informações / Características do Tubarão-cabeça-chata: Respiração e Nome Científico

Características do Tubarão-cabeça-chata: Respiração e Nome Científico

Todo mundo relaciona o tubarão-branco como sendo o maior assassino dos mares, seja entre animais marinhos ou seres humanos. Mas sabia que ele não é o peixe mais perigoso dos mares? Esse posto, na verdade, pertence ao tubarão-cabeça-chata. Numa escala mundial, ele é o indivíduo que mais mata pessoas, muito mais que qualquer outra criatura. 

Seu ataque normalmente acontece em áreas com um grandes número de humanos nadando. Bem propício, aliás. 

Tubarão-cabeça-chata
Tubarão-cabeça-chata  

Características do tubarão-cabeça-chata

Em inglês, ele é conhecido como tubarão touro (Carcharhinus leucas)  em função do seu corpo grande e forte, como um touro, e uma boca avantajada se comparado ao seu tamanho. 

Tem dentes serrilhados que foram projetados para retirar pedaços graúdos de carne de caças mais compridas que ele. 

Exibe um torso escuro na parte de cima e claro embaixo, o que os deixa invisível no mar e, por isso, facilita a predação das suas vítimas. Quando são jovens, suas barbatanas são pretas e vão perdendo a cor conforme o bicho vai envelhecendo. 

Detêm olhos e nariz pequenos. A primeira nadadeira dorsal é maior e mais pontuada se comparada com a segunda. 

A espécie também apresenta dimorfismo sexual, com as fêmeas sendo maiores que os machos. Estas chegam aos três metros e meio de comprimento. 

Como se pode imaginar, é um indivíduo carnívoro, e é encontrado em águas rasas ao longo das costas. Frequentando lagoas, baías, portos e bocas de rios. Apesar de ficar em locais com pouco água, ele também pode viver em regiões com 140 metros de profundidade. 

Sua expectativa de vida é de 16 anos e pode pesar de 90 a 230 quilos. 

Habitat 

Durante o verão costuma migrar para áreas perto da costa, mas quando estas estão mais calmas durante o inverno, eles retornam para regiões mais quentes.  

Sendo assim, é comum vê-lo na costa do Atlântico, Golfo do México e a costa do Pacífico. 

Aliás, ele é a única espécie que habita água doce. 

Reprodução

O tubarão-cabeça-chata chega a maturidade sexual aos 10 anos de idade. O acasalamento costuma acontecer no verão. 

Assim como outros, ele usa o claspers, extensões de suas nadadeiras pélvicas, para liberar os espermatozóides na parceira. 

A gestação dura cerca de um ano e a fêmea pode carregar até 13 filhotes. Ao nascerem, os bebês medem 74 centímetros de comprimento e já são independentes, não tendo nenhum cuidado parental. Eles também já saem da barriga da mãe com dentes e nadando sozinhos. 

Tubarão-cabeça-chata
Tubarão-cabeça-chata

Alimentação do tubarão-touro 

A dieta do bicho é composta de uma variedade de animais, como aves marinhas, moluscos, peixes do tipo ósseo, golfinhos e tartarugas. 

Além disso, essa espécie pratica o canibalismo, podendo atacar uns aos outros. 

Como estão no topo da cadeia alimentar, eles possuem poucos predadores naturais. No caso dos filhotes, estes podem ser comidos pelo tigre e pelo tubarão-barra. 

Respiração 

Como a maioria dos tubarões, o cabeça chata tira o ar que necessita para respirar da água. Esse processo é feito com ele passando o líquido por suas guelras. Em função do seu tamanho e ao seu metabolismo, esse bicho tem mais demanda quando falamos em oxigênio. Sem contar que ele não pode parar de nadar, caso contrário a circulação da água cai muito e ele morre sufocado. 

16 Curiosidades sobre o tubarão-cabeça-chata 

  1. É o tubarão de porte grande mais comum. 
  2. Por gostar de água doce, já foi visto em lagos na América Central. 
  3. Já foram avistados a mais 3 mil quilômetros de alguns rios, como o Amazonas e o Mississipi. Devido a isso, seu contato com humanos é mais comum do que outras espécies. 
  4. Suspeita-se que ele seja responsável por muitos ataques fatais ao homem. Tanto que em muitas partes do mundo ele é considerado um grande perigo.
  5. No Brasil é visto principalmente no Recife. 
  6. A maioria dos ataques acontece na praia da Boa Viagem, onde o touro divide o território com o tigre. 
  7. Ele também é chamado de tubarão Zambezi, isso porque ele é muito nesse rio.  
  8. As fêmeas vivem mais que os machos, com está chegando aos 16 anos, e o parceiro aos 12. 
  9. Ele cresce cerca de 28 centímetros no primeiro ano de vida. Esse número cai pela metade até os 4. 
  10. A maior idade já registrada do animal foi de 32 anos. Já o tamanho foi de 3,5 metros e o peso de 317 quilos. 
  11. São bem agressivos. 
  12. Os dentes de sua mandíbula inferior se parecem com pregos, que auxiliam na hora de segurar a presa. Já os de cima são serrilhados, rasgando a carne mais facilmente. Em junção com o hábito de chacoalhar a cabeça quando morde, isso causa grandes estragos em quem é atacado pelo bicho.
  13.  Tem uma visão ruim, o que o torna ainda mais perigosos em águas turvas. 
  14. Apesar da má fama, existe um lugar em Santa Lúcia, em Cuba, em que se pode nadar com o animal. 
  15. É o ser vivo com o maior índice de testosterona no mundo, com até as fêmeas tendo altos níveis dessa substância. 
  16. São super territorialistas e costumam atacar outros seres marinhos maiores que si próprios. 
Tubarão-cabeça-chata
Tubarão-cabeça-chata

Os tubarões mais perigosos do mundo 

Tubarão-branco 

Depois do tubarão-cabeça-chata, o branco é o indivíduo mais perigoso dos mares. Ele é o maior predador existente no mundo, chegando aos 7,5 metros de comprimento e pesando 2,5 quilos. Vive em águas costeiras ao redor do globo, desde que o local tenha comida disponível. As maiores vítimas dessa criatura, além de bichos marinho s, são os surfistas. 

Tubarão-galha-branca 

Chega aos 4 metros de envergadura, pesa 168 quilos e habita zonas tropicais de águas quentes. E uma das três espécies de maior número nos oceanos. Também está entre os indivíduos que mais atacam humanos por engano.

Exibe um corpo forte e um focinho curto e arredondado. Prefere ficar sozinho e só é visto em grupo quando existe uma grande quantidade de comida. 

Os filhotes já nascem com 2,5 metros. 

A história de ataque mais famosa que envolve a espécie aconteceu na segunda guerra mundial, quando um barco da Nova Escócia foi afundado por um submarino alemão na costa da África do Sul. Dos mil homens presentes na embarcação, apenas 192 sobreviverem aos ataques do galha branca. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *