Home / Informações / Características Do Peixe Molinésia: Alimentação E Reprodução

Características Do Peixe Molinésia: Alimentação E Reprodução

Os peixes são boas companhias para quem não detém de muito tempo e também não detém de muito espaço. São animais que significativamente dão menos trabalho do que os gatos, cachorros e até mesmo as aves, por isso são tão apreciados por um número cada vez mais de pessoas. E por falar em apreciação, hoje conheceremos um dos mais queridos por aquaristas em todo o mundo, devido a sua beleza, personalidade e principalmente por sua grande variedade de cores. Estamos falando do peixe molinésia que vamos conhecer um pouco melhor nest post.

Molinésia Branca
Molinésia Branca

O Molinésia E As Informações Iniciais

O peixe molinésia é um dos mais apreciados para a criação em aquários mundo a fora. Seu nome científico é poecilia sphenops e também pode ser denominado como Cecília em algumas localidades. Possui, como brevemente comentamos anteriormente, uma majestosa variação de cores disponíveis, passando desde o branco, albino ao negro. Sua cauda de lira é outra característica que também chama muito a atenção.

Além das características físicas que já certamente justificariam o apreço que se tem pelo molinésia, são um exemplar muito divertido, ativo e brincalhão de peixe. E não pense que estes adjetivos estão sendo generosos, talvez sejam até modestos para quem de fato conhece o molinésia e sabe bem como é a sua personalidade.

São espécies tidas como dóceis e calmas e que convivem assustadoramente bem com outras espécies diferentes em aquários comunitários. Mas de modo ainda mais curioso tem dificuldades para conviver com a sua própria espécie. Não que o convívio seja impossível, mas digamos que há atritos quando o mesmo ocorre. Para tanto é necessário não criar muitos molinésias juntos em um mesmo local. Outra dica para quem quer mantê-los em aquários é não criar muitos machos também juntos. O indicado para evitar brigas e o estresse do animal é a disposição de um macho e três fêmeas em um mesmo aquário que deve ter pelo menos cinquenta litros para que os mesmos possam viver bem, visto que apreciam um lugar amplo, com muito espaço.

E por falarmos em machos e fêmeas vamos conhecer um pouco da reprodução desta espécie.

A Reprodução Do Molinésia

O macho fica atrás da fêmea de maneira constante esperando a oportunidade para que possa fecundar. Após a cópula a fêmea passa por um período de gestação de aproximadamente trinta dias. Os molinésias são animais ovíparos e como tal os filhotes se desenvolvem dentro dos ovos, mas estes ovos não são postos pela fêmea. Isso mesmo, os filhotes se desenvolvem dentro dos ovos que estão no útero da fêmea. Inclusive é possível ver a barriga de gestante de uma molinésia. Depois de aproximadamente um mês a fêmea dá à luz aos filhotes já inteiramente formados que não saem das mamães em ovos, já saem totalmente formados e em apenas algumas horas posteriores ao nascimento já sabem nadar e se alimentar.

Não há no caso dos molinésias o cuidado maternal ou mesmo paternal entre os pais e seus filhotes. Pelo contrário, com o nascimento dos novos molinésias recomendamos até mesmo que você separe os animais. Isso porque as fêmeas e os machos igualmente podem acabar comendo, literalmente, os seus próprios filhotes. Ao que tudo indica isso aconteceria porque os pais acabam confundindo os filhotes com sua alimentação corriqueira, devido ao porte com que os pequenos veem ao mundo. Já quando adulto os molinésias já não são de grande porte podendo atingir no máximo seis centímetros na maior parte de suas subespécies. Quando nascem são assustadoramente menores do que isso, por vezes chegando a dois, ou três centímetros.

Molinésia Laranja
Molinésia Laranja

Como não há o cuidado com os filhotes, você deve oferecer a eles ração própria para alevinos e micro vermes. Conforme eles se desenvolvem você pode aumentar gradativamente a quantidade e também a variedade do que é servido a eles.

Se você não tiver como separar os peixes adultos e os filhotes, coloque no aquário plantas flutuantes que auxiliem os filhotes a se esconderem dos adultos e a não virarem alimento vivo dos mesmos.

Quanto a alimentação do molinésia adulto é composta majoritariamente por vegetais dentre eles espinafre cozido, algas marinhas e alface. Mas também se alimentam de organismos vivos como micro vermes, larva de mosquito e artêmia salina.

Origem E Cuidados Na Criação

Ao que tudo indica este peixe teria surgido na região do México, norte da Venezuela e Columbia. Seu habitat natural quando não criado em cativeiro consiste em rios, lagos e zonas litorais com baixa altitude com temperatura aproximada de vinte e seis graus.

Quanto a criação em cativeiro são peixes um tanto quanto exigentes, mas de fácil manutenção. A água na qual devem ser mantidos deve estar com ph de até 7,8, podendo ficar entre 7,2 e 7,5. O dh deve ser de em média quinze, podendo variar entre dez e vinte. Quando criado em cativeiro sob circunstâncias adequadas os molinésias podem chegar a viver dentre dois a três anos.

Molinésia Negra

Molinésia Negra
Molinésia Negra

Uma das subespécies de molinésia muito apreciado pelos aquaristas para criação é o molinésia negro de nome científico poecilia sphenops. Como o próprio nome sugere, possui o corpo todo em um tom preto e é muito querido como peixe ornamental. Na criação em cativeiro aceitam assim como as outras subespécies uma variedade bem grande de alimentos como bons onívoros que são.

São bem agitados assim como os molinésias de modo geral e tendem a passar boa parte do tempo atrás de alimento. São muito curiosos e podem passar um bom tempo investigando cada pequeno milímetro do seu aquário analisando até mesmo os enfeites e outros adereços do local.

Uma desvantagem em relação à criação do molinésia em cativeiro é também uma vantagem e tudo vai depender dos seus objetivos com a criação. Por exemplo, estes animais se reproduzem muito facilmente e caso você não queira ou não tenha capacidade para administrar o nascimento de filhotes é melhor optar pela criação de uma população de fêmeas mescladas com outras espécies.

No caso desta espécie em específico o macho pode atingir seis centímetros e a fêmea fica um pouco acima disso com aproximadamente nove centímetros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *