Home / Informações / Características do Ouriço Terrestre: Alimentação e Nome Científico

Características do Ouriço Terrestre: Alimentação e Nome Científico

O ouriço terrestre, também chamado de porco-espinho ou ouriço cacho é um pequeno mamífero, pertencente à família Erinaceidae e à ordem Erinaceomorpha. Seu nome científico é Erinaceus Europaeus.

Reconhecer um ouriço é fácil, pois eles se destacam pelo seu dorso, que é coberto de espinhos eriçados e longos, de 10 centrímetros em média, predominantemente de cor castanha com tonalidades mais ou menos escuras nas extremidades.

Trata-se do único mamífero da nossa fauna que apresenta o corpo coberto por cerca de 6 mil espinhos e, na maior parte dos casos, eles têm cor marrom e branca. Os espinhos são pelos modificados controlados pelos músculos e, apesar de causarem dor ao toque, não são venenosos ou afiados.

O comprimento do corpo do ouriço varia de 15 a 35 centímetros, mais a cauda, que mede entre 10 a 20 centímetros. Um ouriço em fase adulta pesa em média 700 gramas – podendo esse valor variar entre 400 a 1200 gramas.

A cabeça do ouriço se destaca bastante do corpo, já que a superfície ventral e a face são cobertas por uma pelagem suave, de cor branca. Estes animais possuem 36 dentes, e suas orelhas e costumam ser pequenas em proporção ao dorso e flancos. Têm cinco dedos com unhas afiadas que lhes permitem escavar para conseguir o alimento na terra.

Ouriço Terrestre
Ouriço Terrestre

Habitat e Distribuição

Os ouriços-terrestres em geral têm sua origem na Europa, África e Ásia. No continente americano e na Oceania não existem espécies nativas.

Dentre as 16 espécies de ouriço, o ouriço-cacheiro é um dos mais comumente encontrados no Brasil, pois o seu principal habitát são as Florestas da América do Sul, incluindo Venezuela, Guianas, Bolívia e Trinidad, justamente por preferirem áreas úmidas.

Os ouriços também podem ser encontrados fora da natureza, em zonas semi-urbanas, como jardins, ou em cativeiros.

Espécies de Ouriços

São 16 espécies de ouriço registradas até o presente momento, sendo:

  1. Ouriço Europeu ou Ouriço-cacheiro
  2. Ouriço escuro oriental
  3. Ouriço dos Bálcãs
  4. Ouriço-de-amur
  5. Ouriço-de-ventre-branco
  6. Atelerix algirus
  7. Ouriço da Somália
  8. Ouriço sul-africano
  9. Ouriço do Egito ou Ouriço orelhudo
  10. Ouriço orelhudo da Índia
  11. Ouriço de Gobi
  12. Ouriço da China central
  13. Ouriço do deserto
  14. Ouriço da Índia
  15. Ouriço de Brandt
  16. Paraechinus nudiventris

Características dos Ouriços

O ouriço é um animal mais ativo ao crepúsculo e durante a noite, ou seja, seus hábitos são predominantemente noturnos sendo que, durante a noite podem percorrer distâncias entre um a três quilômetros em busca de alimento.

Durante o dia, costumam dormir em sua toca, pois tratam-se de animais mais lentos no período diurno, optando por sair do refúgio nesse período somente para o acasalamento e quando mais novos.

Justamente por isso, os ouriços costumam hibernar de Novembro a Março, quando constroem suas tocas em buracos, troncos de árvores, no solo ou em rochas, ficando mais vulneráveis a predadores nesse período.

Nos meses mais quentes do ano, mudam muitas vezes de abrigo, passando a refugiar-se em locais com vegetação mais densa para se aquecerem ou terem suas crias.

Não existem diferenças evidentes entre machos e fêmeas da espécie, mas nos machos é posível visualizar o sistema reprodutor bastante desenvolvido, enquanto que as fêmeas possuem cinco pares de mamilos: um par na zona peitoral, dois pares na zona abdominal e dois pares na zona inguinal.

Ouriço Terrestre Filhote
Ouriço Terrestre Filhote

A audição destes animais é bastante desenvolvida: são seres sensíveis a sons e movimentos bruscos, o que os deixa desestabilizados e em situação de alerta imediatamente. Se comunicam em uma grande variedade de sons, em especial por meio de grunhidos.

Os ouriços costumam cheirar bastante ao seu redor – ao detectar um cheiro diferente, tratam de lamber bastante o objeto, deixando-o coberto de saliva. A origem deste comportamento em específico é desconhecida.

São animais inofensivos, mas se chegarem a se sentir ameaçados, enrolam-se em si mesmos, formando uma espécie de “bola” de espinhos que afasta os predadores, difícil de penetrar e dolorida ao toque.

Apesar de não serem predominante agressivos, os machos podem lutar para estabelecer domínio entre eles.

Costumam ser animais solitários e territoriais: os territórios dos machos são cerca de três vezes superiores aos das fêmeas.

Alimentação

Os ouriços são animais insetívoros, ou seja, sua dieta é composta predominantemente de insetos, sendo inclusive considerado o maior insetívoro da nossa fauna, consumindo em média 70 g de alimentos por noite.

Alimentam-se essencialmente de invertebrados terrestres, a exemplo de insectos como gafanhotos, escaravelhos, moscas e aranhas, mas também podem se alimentar de minhocas, caracóis, lagartas e lesmas.

A dieta do ouriço também pode incluir ovos, peixes, crias de roedores e de aves, lagartos e pequenas rãs, além de frutos silvestres, cereais e sementes.

Os ouriços criados em cativeiros, entretanto, tendem a ser alimentados com ração – de cão ou de gato. A ração para filhotes de gato diet é a mais indicada por conter menos gordura.

Pode-se adicionar à dieta dos ouriços domésticos também legumes, frutas, carne, pedaços de queijos, grilos e ovos cozidos, evitando dietas que consistem unicamente em insetos – que podem ocasionar desequilíbrio de minerais.

A quantidade de comida também deve ser controlada para que não ocorra obesidade: o ideal é começar oferecendo porções equivalentes a duas colheres de sobremesa por dia.

Reprodução

As fêmeas da espécie têm dois cios por ano, entre Janeiro a Fevereiro e Agosto a Setembro e o período de gestação dura em média 35 dias.

Na época de reprodução, macho e fêmea andam cerca de uma hora em volta um do outro, fazendo uma espécie de ritual de “dança”, quando a fêmea baixa os seus espinhos sob o corpo, permitindo o acasalamento. Depois da cópula, o macho abandona a fêmea, que cuida sozinha das crias.

Nascem de 2 a 6 filhotes, cegos, de cor branca, sem os picos aguçados e com pelagem baixa, de forma que os filhotes não machucam a mãe.

Após duas semanas aproximadamente, as crias abrem os olhos e, após a terceira, começam a sair da toca. Depois do período de amamentação – cerca de um mês – os filhotes já passam a se alimentar sem auxílio.

Expectativa de Vida e Fatores de Ameaça 

A expectativa de vida dos ouriços é de 7 a 10 anos. As principais causas de mortalidade desta espécie ocorre principalmente no período da hibernação, em que estão mais vulneráveis a ataques.

Apesar de não ser a presa principal de nenhum predador em específico, existem alguns animais que representam ameaça para este insetívoro. Dentre eles estão cobras, texugos, furões que comem os filhotes, lobos, corujas, raposas, cães e texugos.

Quando ameaçado, o ouriço eriça os espinhos e toma a posição de guarda, envolvendo todo o seu corpo em uma espécie de “bola” de espinhos – praticamente inatingível. Quando em confronto com a mesma espécie costuma ser mais violento, utilizando-se dos seus espinhos e dentes.

Outro fator responsável pela mortalidade dos ouriços é a destruição do seu habitat pelas pragas florestais e agrícolas, principalmente pelo uso de pesticidas, que ocasionam contato direto do animal com o veneno pelo consumo de insetos contaminados.

Além disso, por não serem animais muito rápidos, são bastante suscetíveis de serem atropelados nas vias.

O uso de máquinas de cortar relva e alguns tipos de lixo também podem provocar a morte de ouriços que habitam jardins.

Fatores de Conservação 

Segundo a Lista Vermelha da IUCN, o risco de extinção dos ouriços é considerado relativamente baixo ou em um nível seguro; No entanto, a preservação deste animal é de extremo rigor, dada a sua importância no controle ambiental dos insetos.

Compra e Venda

A procriação e a criação de ouriço precisam de autorização e podem ser adquiridos junto a particulares, em lojas para animais de estimação, junto a criadores profissionais ou em centros de acolhimentos de animais.

É recomendável conhecer o tratamento que o animal recebeu com o dono anterior e assegurar-se das garantias sanitárias que certifiquem que o animal encontra-se em perfeitas condições.

As melhores opções dentre as citadas são a aquisição junto aos criadores profissionais e centros de acolhimento.

O Ouriço Como Animal Doméstico

Por ser um animal solitário, não se deve esperar que o ouriço siga o dono por toda a casa como um cachorro ou que brinque ativamente. É recomendado o manuseio do ouriço com luvas uma vez que os espinhos são bastante dolorosos.

O dono deve certificar-se que a temperatura da casinha do ouriço esteja confortável, com temperatura entre 20 e 32 graus, e deve ter no mínimo 20/30 de altura, 60 de comprimento e 40 de profundidade. Como piso, deve-se usar serragem de madeiras não tratadas.

É pouco aconselhável que se tenha dois ouriços na mesma casinha ou gaiola. E não é necessário banhar o animal, mas é importante desinfetar o seu ambiente para evitar doenças. As unhas do ouriço apenas devem ser cortadas quando muito grandes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *