Home / Informações / Características do Muriqui do Norte: Nome Científico e Habitat

Características do Muriqui do Norte: Nome Científico e Habitat

Você já ouviu falar do Muriqui-do-norte? O Brachyletes hypoxanthus ou mono-carvoeiro é um macaco do novo mundo. Ele pertence à família Atelidae e é do gênero Brachyletes. O muriqui é de origem brasileira, da mata Atlântica. O indivíduo já foi considerado um Brachyletes aracnoides, mas hoje é classificado como uma espécie separada. Segundo alguns estudos, acredita-se que ele é um ancestral do Macaco-barrigudo, que pertencia ao gênero Lagothrix. 

Está presente desde o sul da Bahia até Minas Gerais, com grande concentração na Serra da Mantiqueira, local que separa os Muriquis do norte dos do sul. Gosta de ficar nas partes mais altas das árvores, mas desce ao chão ocasionalmente. 

É considerado o maior primata da América do Sul, chegando a pesar 15 quilogramas. Tem longos braços e uma grande cauda preênsil, que permite que ele se pendure nos galhos. Detêm manchas brancas em seu rosto preto, assim como um polegar vestigial, características que o diferem do muriqui-do-sul. 

Muriqui-do-norte Características
Muriqui-do-norte Características

Exibe um testículo volumoso, e isso se deve ao seu tipo de reprodução e relação, que é do tipo não monogâmica.  

Atualmente é considerada uma espécie “criticamente em perigo”, pela IUCN e pelo IBAMA, em decorrência da destruição do seu principal habitat, a Mata Atlântica, além da caça ilegal, que tem a capacidade de dizimar uma pequena população dos primatas em pouco tempo. 

Acredita-se que a quantidade de indivíduos, hoje, não passa de 850. Em decorrência disso, os sobreviventes estão se isolando em regiões afastadas das florestas. Podemos encontrar a maior parte desses bichos concentrada nos 900 hectares do RPPN Feliciano Miguel Abdala. 

Por isso que hoje existem locais onde o principal objetivo é preservar a espécie, como é o caso do Centro de Primatologia do Rio de Janeiro, um dos poucos lugares que possui o animal em cativeiro para reprodução e preservação. 

Vamos conhecer mais o muriqui? 

Características do Muriqui-do-norte 

Como dito, os Muriquis são considerados um dos maiores macacos do novo mundo. Ele mede cerca de 78 centímetros de comprimento, isso só o seu corpo. Sua cauda adiciona mais 79 centímetros de envergadura ao torso. Pode pesar de 12 a 15 quilos. Sendo o machos mais pesados, com uma média de 9,6 kg e as fêmeas, 8,3 kg. Devido a sua cauda preênsil, lembra muito o macaco-aranha. 

Tem uma grande quantidade de pelos, sendo este em tom de amarelo amarronzado. Exibe um rosto preto com manchas brancas – também presente nos testículos – , estás aparecem quando o indivíduo alcança a idade adulta. 

Não possui um dimorfismo sexual muito aparente, a não ser no quesito peso, como já citado mais acima. A diferença mais chamativa é que os machos apresentam membros e causas mais curtas. 

Ambos os sexos exibem um abdômen avantajado, dando a impressão que o local está inchado. 

Devido a presença da cauda preênsil e o polegar, este indivíduo consegue se mover com facilidade entre os galhos das árvores, assim como se pendurar neles, se assim desejar. 

Habitat 

É encontrado em Minas Gerais, Bahia e Espírito Santo. Mas há pouco tempo descobriu-se que uma pequena população habita o estado do Rio de Janeiro.

Gosta das florestas de 600 a 1800 metros de altitude dentro da Mata Atlântica. Tem certa preferência por locais em estado avançado de regeneração. 

Prefere passar a maior parte de seu tempo no topo das árvores, mas devido a destruição do seu ambiente natural, acaba passando mais horas no chão. 

Apesar de ser visto na Bahia, atualmente está quase extinto por lá, com um número pequeno de bichos vivendo no vale do Rio Jequitinhonha. 

Muriqui-do-norte Habitat
Muriqui-do-norte Habitat

Reprodução do Muriqui-do-norte

Ambos os sexos acasalam com uma grande quantidade de parceiros. A fêmea espalha seu feromônio por meio da sua urina, enquanto viaja. O processo de reprodução é lento, com a muriqui tendo um filhote a cada três anos. A fêmea sempre realiza uma pausa de dois anos para cuidar do seu bebê antes de começar um novo ciclo de cópula. 

Esse poliamor entre os primatas é comum pois eles não vivem numa sociedade com a presença de um macho alfa ou indivíduos subordinados. Todos são iguais. 

Alimentação

Ele tem uma dieta composta de néctar, casca, sementes, folhas, frutas, flores e videiras. O bicho também é conhecido por comer terra. Apesar de parecer um hábito incomum – bom, e é mesmo -, essa atitude tem uma função importante: o macaco consome essa substância para suplementar os nutrientes da sua dieta. Isso porque o solo tem grandes níveis de ferro, zinco, alumínio, cromo, níquel, titânio e vanádio. 

Comportamento dos Muriquis-do-norte

O Muriqui-do-norte costuma viver em grupos com machos e fêmeas, com cerca de 48 a 81 indivíduos, mas existe registro de um conjunto com 100 desses animais. É um bicho sociável, por isso é comum vê-los em reunidos em grande número.

O macho não tem um comportamento agressivo, nem entre si. Além de não competir pelas fêmeas da sua comunidade. Já estas passam a maior parte do seu tempo com outras adultas, quando não estão acasalado, ou cuidados de seus filhotes. 

Eles se comunicam por meio de sons, que são usados para longas e curtas distâncias. 

Muriqui-do-sul
Muriqui-do-norte

Muriqui-do-sul

Como dito anteriormente, existem algumas diferenças entre os Muriquis do norte e do sul. Este habita as regiões de São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro. 

A principal diferença entre os dois é que o muriqui-do-sul tem o rosto totalmente preto, de filhote até a vida adulta. Ele também possui uma pelagem bege puxada para o marrom amarelado. 

Sua dieta também é parecida com a do Muriqui-do-norte. A não ser o fato de que os sulistas consomem uma quantidade maior de frutas, já que a região onde habita tem mais presença desse alimento. Apesar disso, não há comprovações que isso interfira no tamanho desse comparado com o do norte. 

Eles também são pacíficos e ainda costumam abraçar uns aos outros. 

E mesmo ambos sendo animais sociáveis, é difícil observar os grupos que não são acostumados a presença de humanos. O que é totalmente compreensível, já que a espécie corre o risco de sumir devido a caça exercida pelo homem. 

Um comentário

  1. Cândido Celso Valego Lopez Bizzotto

    Não ficam claras as diferençcas entre os Muriquis do Norte e do Sul, você fala de umas características de uns e outras dos outros. Deu na mesma, a menos da alimentação, onde ficou claro. A presençca do polegar também não é clara no texto, nem nas fotos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *