Home / Informações / Características do Camaleão Brookesia Micra: Tamanho e Nome Científico

Características do Camaleão Brookesia Micra: Tamanho e Nome Científico

Alguns animais são tão pequenos que é quase difícil de acreditar que eles realmente existem. E este é o caso do indivíduo que vamos falar hoje: o camaleão brookesia micra. 

Quase invisível a olho nu, o bicho é tão ínfimo que ele cabe, com folga, na cabeça de um fósforo. E quase some dentro de uma mão humana. 

Esse mini camaleão foi encontrado e registrado pela primeira vez no ilhéu de Nosy Hara, que faz parte da província Antsiranana, em Madagascar. Não só é o menor da espécie, com também é o mais pequeno réptil do mundo. 

Os adultos chegam apenas até os 29 milímetro de comprimento. O tamanho máximo que eles podem alcançar é de 30 mm, da cloaca até o focinho. 

Ele detém uma cauda laranja. Comparado com o Brookesia minina, este tem o rabo e a cabeça em menor estatura. 

Curiosidades

  • A espécie foi descoberta pela equipe de Frank Glaw, da Zoologische Staatssammlung München. Ele e seus colaboradores realizam expedições as florestas de Madagascar por cerca de oito anos. 
  • Outras espécies já foram catalogadas por lá, como o Brookesia sp. Nosy Hara, em 2007, também por Glaw e Vences. 
  • Seu nome, Brookesia micra é uma derivação em latim de uma palavra grega, mikros, que significa “pequeno”. Fazendo uma referência ao tamanho do camaleão. 
  • Acredita-se que a estatura do micra está diretamente relacionado ao seu habitat, seguindo uma evolução chamada de nanismo insular. Neste processo, animais de grande porte, na maioria das vezes mamíferos, sofrem com a redução do corpo pois estão confinados em um ambiente reduzido, como ilhas, que é o caso do camaleão brookesia. 
  • Como dito, o bicho foi encontrado ao norte de Madagascar. Na mesma área foram registradas mais três espécies, entre 2003 e 2007. 
  • Ele normalmente fica em folhas caídas no chão, na floresta. Isso durante o dia. A noite, ele procura árvores para se acomodar em seus galhos e dormir. Também costuma sair esse horário para caçar pequenos insetos. 
Camaleão Brookesia Micra
Camaleão Brookesia Micra
  • O animal vive numa área que sofre com a exploração florestal ilegal, o que acaba colocando o bicho em risco de extinção devido a destruição do seu habitat. 
  • Outro fator que contribuiu para o tamanho do camaleão foi a menor oferta de alimento e a falta de predadores naturais. 
  • Madagascar é um local onde existem diversas espécies anãs.
  • O território do Brookesia tem apenas meio quilômetro quadrado. 
  • Foi preciso testes genéticos para dividir os camaleões achados na ilha, já que todos são bem parecidos. 
  • Apesar do tamanho, eles também tem a capacidade de mudar de cor.  
  • O camaleão Brookesia micra é chamado assim porque ainda não inventaram um nome “popular” para ele. 
  • O macho costuma ser maior que a fêmea. 
  • Ele está tete a tete em tamanho com duas espécies de lagartixas: Sphaerodactylus ariase e parthenope como menores répteis do planeta. 
  • Sem contar com a cauda, o animal tem apenas 1,6 centímetros de comprimento. 
  • Come pequenos invertebrados e formigas. 
  • Ele pode mudar de um tom escuro para o claro quando sofre um estresse extremo. 
  • Não se sabe qual é a sua expectativa de vida e nem os hábitos de acasalamento devido a reduzida população do camaleão. 
  • Acredita-se que existem cerca de 70 a 95 mil indivíduos. 
  • Ele não é do tipo migratório. 
Camaleão Brookesia Micra
Camaleão Brookesia Micra
  • Conhecemos 80 espécies de camaleões, que foram registradas, mas estima-se que eles totalizam 160 espécimes. 
  • A maioria é encontrada na Ilha de Madagascar, cerca de 69 delas. Mas é possível achar outros na Ásia, partes da Europa e América do Norte. 
  • Os camaleões, podem comer de tudo. Alguns têm uma dieta carnívora, consumindo vermes, insetos, répteis e caracóis. Outros têm uma alimentação vegetariana. 
  • Uma das características mais conhecidas desse grupo de animais é a forma como ele lança sua língua para fora para capturar sua comida. 
  • A maioria das espécies muda seu corpo do marrom para o verde, mas alguns conseguem criar uma paleta de cores incrível. Essa alteração ocorre em menos de 20 segundos. Eles realizam tal feito devido a presença de células especiais chamadas de cromatóforos. E essa mudança não ocorre somente como forma de camuflagem, ele pode fazer isso dependendo da luz, temperatura e até mesmo do seu humor, assim como para se comunicar com outros da sua espécie. 
  • Outra traço que chama atenção neste bicho são seus olhos. Eles podem se mover de forma independente um do outro, isso proporciona a criatura uma visão de 360 graus. Ou seja, ele consegue enxergar em duas direções, ao mesmo tempo. 
  • Sua língua, chamada de balística, mede de 1,5 a 2 vezes o tamanho do seu corpo. Ele é capaz de movê-la 26 x por segundo em comparação com o seu próprio comprimento. A ponta desta é um tipo de bulbo, que suga suas vítimas. 
  • Os machos normalmente são mais coloridos e tem mais características físicas que as fêmeas, como as cristas em sua cabeça. 
  • Apesar de enxergarem muito bem, o mesmo não podemos dizer da audição. Muito parecido com as cobras, os camaleões não tem ouvido externo, abertura ou tímpano. Mas eles não são surdos. O animal consegue detectar faixas de som por volta de 200 a 609 Hz.
Camaleão Brookesia Micra
Camaleão Brookesia Micra
  • Eles é capaz de enxergar na luz violeta e, quando expostos a essa, mostram um comportamento mais ativos, ficam mais suscetíveis a se aquecerem, assim como para reprodução e alimentação. Isso acontece porque a ultravioleta tem efeitos positivos na glândula pineal. 
  • Pode viver tanto em florestas quando em desertos. 
  • Como todos dos répteis, ele tem sangue frio, precisando regular sua temperatura manualmente. Para isso, vai ao sol para se esquentar e volta para sombra para esfriar. Caso fique muito tempo na luz solar, seu corpo super aquece e ele pode morrer. 
  • Algumas espécies tem um metro de comprimento. 
  • Vive a maior parte do seu tempo em árvores, descendo ao chão para mudar desta para outra, para acasalar ou botar seus ovos. 
  • São solitários, se juntando a outros apenas durante a reprodução. 
  • A gestação da fêmea dura um ano. 
  • A espécie Furcifer laborde demora 9 meses para nascer. Depois disso, só vive mais 5. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *