Home / Informações / Características da Cacatua: Alimentação, Reprodução e Nome Científico

Características da Cacatua: Alimentação, Reprodução e Nome Científico

Apesar de não ser tão comum como cães e gatos, cacatuas também são compradas/adotadas como animais de estimação. Quer ter uma, mas não sabe nada sobre elas? Falaremos mais sobre essa ave a seguir. 

Características da cacatua 

A cacatua ou catatuas, como é chamada em Portugal, é um bicho que pertence à família Cacatuidae – por causa da taxonomia de Sibley-Ahlquist ela também integra a família dos Psitacídeos. 

Apesar de ser confundida com a calopsita, fisicamente ela é mais semelhante aos papagaios por causa do bico em formato de banana. Outro traço compartilhado por ambos é a estrutura de seus pés, que possuem dois dedos tanto na frente, quanto atrás. Estes também são utilizados para escalada, seja em troncos ou em gaiolas, assim como para pegar objetos e comida, e levá-la a boca. 

Cacatua
Cacatua 

Um dos pontos que mais chama atenção desse animal, sem dúvida alguma, é a crista que apresenta no topo de sua cabeça. Está muda conforme o humor da ave. Sendo assim, se ela estiver tensa ou nervosa, o dono poderá perceber por este amontoado de penas. 

A nomenclatura cacatua é usada para 21 espécies, apesar de dar a impressão de ser uma só. Dessas, a alba e a de crista amarela são as mais comuns entre animais de estimação, e isso se deve ao seu comportamento amigável e de fácil convivência. Também é divertida, curiosa e uma espécie bem ativa. 

Os indivíduos de cativeiro possuem de 40 a 50 centímetros de comprimento, com um peso que varia de 500 a 900 gramas. 

Quanto a plumagem, esta pode ser vista em diversas cores como branca, creme ou salmão. Na maioria das vezes, ela é branca e exibe um único tom em todo o corpo. 

Tem asas afiladas e arredondadas. 

Seu maxilar superior é maior que o inferior, com uma considerável mobilidade. Este termina em um gancho pontudo, que é usado tanto para se alimentar quando para escalar árvores. Outra característica muito conhecida desses animais é a língua grossa e áspera. 

Comportamento 

Voa muito bem, e costuma fazer tal atividade em grupo, podendo ser em pares ou até centenas de aves, juntas. 

Por estar acostumada a viver em regiões úmidas e com altas temperaturas, no calor o dono deve borrifar água em suas penas, repondo essa umidade com a qual ela está habitada. 

O animal gosta muito de interagir com o seu criador, podendo passar várias horas brincando com ele, inclusive pedindo por cafunés. Além disso, ela é muito carinhosa, como já dito. Até por isso que o bicho precisa de alguns brinquedos caso você vá ficar algum tempo fora. 

Por causa dessas características, é ideal para quem é sozinho e passa muito tempo em casa, assim como para família grandes e com crianças. Como vive em bando, ela não gosta de se sentir sozinha, abandonada. Quando isso acontece, costuma arrancar as próprias penas e a destruir a casa, como móveis, roupas e até eletrodomésticos. Sendo assim, o ideal é comprá-la em pares ou pelo menos reservar algumas horas do seu dia para passar com a criatura. 

Apesar de não conseguir formar palavras ou frases inteiras, como seu primo distante, o papagaio, o animal é capaz de emitir alguns sons e melodias. 

É um bicho muito inteligente, entendo as coisas com facilidade. 

Cacatua
Cacatua

Alimentação 

Se alimenta basicamente de sementes e vegetais, assim como nozes. Seu bico permite que ela consuma esse alimento em questão. Para aquelas que vivem em cativeiro, o indivíduo pode e deve consumir rações específicas para a espécie com a presença de elementos nutritivos. Assim como suplementos vitamínicos.

Reprodução  

A cacatua só começa a se reproduzir após os quatro ou cinco anos de idade. A cada cópula, ela bota de dois a cinco ovos, que passarão por uma incubação de mais ou menos um mesmo. 

Nesta espécie, é comum que o pai ajude tanto a chocar os ovos, como alimentar os bebês depois que eles nascem. 

Apesar de poder dar cria o ano todo, o melhor é que ela faça isso de duas a três vezes, isso evita a fadiga do animal. Afinal, ele não é uma máquina de reprodução. 

Sua relação com seu companheiro é monogâmica. 

Cuidados básicos com a cacatua 

Como é um indivíduo selvagem e exótico – não é original do Brasil -, deve-se tomar alguns cuidados para criá-lo em casa. Um deles é optar por um filhote. Ele precisa ser adestrado e educado desde muito cedo. 

Não se esqueça também de comprar uma boa gaiola para ele. Esta precisa ser grande e com bebedouro e comedouro. E, como já dito, com brinquedos para que a criatura gaste suas energias, já que ela é muito ativa. 

Outro ponto importante na qualidade de vida da criatura é a limpeza da sua moradia. Por exemplo, a água deve ser trocada pelo menos uma vez ao dia e ser sempre fresca. A comida também não pode passar muito tempo no pote para não criar fungos. Assim como a gaiola necessita de higienização sempre. Quanto a limpeza do próprio animal, já comentamos sobre borrifar água em suas penas, isso também serve para lavá-las. O dono pode igualmente deixar uma espécie de banheira disponível para o indivíduo se banhar sempre que quiser. 

7 curiosidades sobre a cacatua 

  • Ela é muito sensível a música, podendo seguir o ritmo desta e até dançar. Já foi visto alguns machos, na natureza, “batucando” com pedaços de pau em árvores, como se eles estivessem segundo um ritmo. Por causa disso, a fêmea costuma escolher os parceiros mais “musicais”. 
  • A cacatua não constrói ninhos, este é “feito” nos buracos das árvores. Ou seja, basta achar um orifício e entrar com a mudança. 
  • Algumas mal se movem, já outras podem viajar quilômetros atrás de comida. 
  • Provavelmente por causa do desmatamento, ela é vista em áreas urbanas, sendo considerada uma praga nestes locais por destruir antenas e cabos, com seu bico poderoso. 
  • Além da Austrália, ela também vive na Indonésia e na Nova Guiné. 
  • Acredita-se que o primeiro registro da ave ocorreu em 1790. 
  • O bico superior não pára de crescer, afetando sua alimentação. Por isso ele precisa passar por cortes regulares. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *