Home / Informações / Babuíno Mandril: Alimentação

Babuíno Mandril: Alimentação

O babuíno mandril o qual por vezes chamaremos apenas de mandril, ou babuíno é um mamífero que infelizmente não é tão conhecido. Infelizmente porque se trata de um animal extremamente curioso e fascinante. Qualquer mero apaixonado pela fauna não conseguiria não se encantar por este animal genuinamente colorido.

O seu nome científico e a família a qual integra não são nomes tão fáceis de serem pronunciados. O nome científico do mandril é Mandrillus sphinx e estes animais constituem a família de nome Cercopithecidae. Em tradução literal a família que integram significa macacos do velho mundo. Como você deve ter concluído o babuíno mandril é um primata. E é um dos mamíferos mais coloridos do mundo.

Se você não conhece nem superficialmente este animal, pare imediatamente de ler este texto e se concentre nas fotos do babuíno mandril. São incrivelmente coloridos mas não são animais nada amigáveis entre si. Mas calma, vamos trazer estas e outras informações para você.

Mandril Animal
Mandril Animal

A Alimentação Do Babuíno Mandril É Simples

Antes de falaremos qualquer outra coisa traremos para você o cerne deste post logo em nosso primeiro subtítulo, a alimentação do babuíno mandril. O que você imagina que este animal consome? Como bom onívoro que é sua alimentação é bastante diversificada. Tem preferência por frutas mas também pode consumir insetos, pequenos mamíferos, caracóis e alguns répteis de porte diminuto. No ato de caçar o seu alimento estes mamíferos contam com uma importante arma que também serve para afugentar predadores.

O mandril possui o canino com incríveis seis centímetros de comprimento, você consegue imaginar o estrago que este dente pode causar? Para se ter uma ideia, quando se sente ameaçado o babuíno mandril mostra os dentes para que consiga afugentar os seus predadores e por incrível que pareça este ato é capaz de afastar até mesmo alguns felinos.

Ao pensar em atacar um bando de mandris o felino pensará duas vezes assim como para predar filhotes na presença da mãe.

E Por Falar Em Bando…

Quem olha de longe deve concluir que os babuínos mandris são animais extremamente unidos que juntos buscam pelo bem coletivo. Não é bem assim a dinâmica do grupo, mas não de preocupe, você não é o único a pensar desta forma. Até mesmo os predadores destes animais ao avistarem um bando de babuínos concluirá que haverá uma difícil batalha pela frente. Essa realmente é a mensagem que os bandos querem passar mas internamente no grupo há constantes disputas entre machos pelo poderio. Os bandos são coordenados por um macho alfa, indivíduo este o mais forte e veroz entre os outros. Mas antes de tudo isso vamos retomar um outro ponto sobre os bandos.

Os tais bandos de babuínos são constituídos por fêmeas e suas crias e os machos em número infinitamente menor. Isso porque apenas cerca de dez por cento da população adulta é do sexo masculino. Neste grupo há um macho alfa que determina todos os passos do bando e é ele o responsável por reproduzir todas as fêmeas. Este macho líder, por assim dizer, deve estar sempre preparado para demonstrar sua força e poder quando desafiado por algum outro macho que compõe o grupo e quer se tornar o novo reprodutor. São disputas violentas. Não há muitas informações sobre o que acontece com o macho perdedor da disputa. Uma das hipóteses é que ele saia do grupo. Outra, vendo que inevitavelmente as chances de sobrevivência frente a predadores em bando é maior, ele acaba no grupo, submetido às ordens do macho alfa.

Cara De Um, Bumbum Do Mesmo

Esse é um velho ditado (cara de um, focinho de outro) que resolvemos fazer um pequeno trocadilho. Como comentamos logo no início, estes animais são animais extremamente coloridos sendo essa a sua principal característica que os diferencia de outros primatas.

A face do babuíno mandril por si só já é uma mistura incomum de cores que apresentam um resultado genuinamente único.

O que seriam as suas bochechas são constituídas por um tom de azul que poderíamos chamar de azul bebê. O seu nariz apresenta um inconfundível tom de vermelho, se estendendo por toda a extensão de seu rosto. Curiosamente o bumbum deste babuíno apresenta as mesmas cores que a sua face, em uma mistura particularmente única. Como algumas pessoas diriam é impossível não identificá-los facilmente nos habitas em que se encontram. E por falar em cores, o babuíno mandril se assemelha bastante ao dril, um outro animal muito similar a ele, mas que não carece das mesmas cores vibrantes do mandril, apresentando as cores pretas em sua pelagem.

Mandril Animal
Mandril Animal

E por falar nestas questões de cores e afins, como a maioria das espécies o babuíno mandril apresenta dimorfismo sexual, que nada mais é do que as diferenças existentes entre machos e fêmeas apenas pela condição de seu sexo. No caso do mandril a característica mais marcante sem dúvida é a questão das cores, as fascinantes cores do mandril são ainda mais vivas nos machos em detrimento as fêmeas que apresentam uma cor relativamente mais opaca. Independente desta variação quanto a intensidade de cor, ambos são facilmente identificados em seu território natural que aqui poderíamos citar o Gabão, Camarões e Congo. Habitualmente estão próximos de florestas, rios, áreas rochosas e montanhosas.

O Risco De Extinção É Real

Assim como muitas outras espécies, o babuíno mandril apresenta a classificação de animal vulnerável ao risco de extinção,ou seja, ele é real e existe. Não se sabe precisar ao certo o número de indivíduos existentes da espécie mas o que sabemos é que não são muitos e este número tem caído assustadoramente rápido, isso porque incrivelmente a carne do babuíno mandril tem sido utilizada para alimentação de povos em todo o mundo o que tem fomentado a caça deste animal. Apenas a título de curiosidade não são poucas as estratégias para captura do mandril, são utilizados, armas de fogo, redes, cães e outros artifícios. Em Camarões o que vem contribuindo para a exterminação deste primata é a destruição de seu habitat natural pela utilização da área pela produção agrícola.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.