Home / Informações / Animais Vertebrados: Peixes

Animais Vertebrados: Peixes

O subfilo Vertebrata inclui todos aqueles animais que apresentam uma coluna vertebral e vértebras. Os vertebrados incluem o grupo dos peixes, répteis, anfíbios, aves e mamíferos. Além da presença da coluna e de vértebras, todos esses animais compartilham uma série de outras características, tais como:

  • plano corpóreo formado por cabeça, tronco, dois pares membros e cauda pós-anal;
  • esqueleto interno ósseo ou cartilaginoso;
  • tegumento externo formado por epiderme e derme;
  • tegumento com pelos, escamas, penas e glândulas;
  • faringe muscular e perfurada;
  • sangue com células vermelhas e brancas.

A Abundância dos Peixes

Atualmente, um peixe é reconhecido como um vertebrado aquático que apresenta brânquias, membros nas formas de nadadeiras e, geralmente, uma pele coberta com escamas de origem dérmica. Mesmo este conceito de peixes sendo moderno, ele é mais usado por conveniência, e não como uma unidade taxonômica, uma vez que os peixes não compõem um grupo monofilético, ou seja, um grupo natural no qual todos os integrantes descendem de um mesmo ancestral comum. O ancestral comum dos peixes também é o mesmo ancestral dos vertebrados terrestres, que excluímos do termo “peixes”.

Os peixes sofreram uma proliferação de várias linhagens, produzindo uma estimativa de 24600 espécies vivas. Esse número de espécies é maior do que todas as outras espécies de vertebrados juntos e os peixes apresentam adaptações que os permitiram habitar todo ambiente aquático existente.

Peixes
Peixes

Os peixes correspondem ao mais antigo e mais diverso grupo dentro do subfilo Vertebrata, constituindo cinco das nove classes de vertebrados vivas e metade das aproximadamente 48000 espécies de vertebrados reconhecidos. Embora eles compreendam uma assembléia bastante heterogênea, é um grupo que exibe continuidade filogenética dentro do grupo e com os vertebrados tetrápodes.

Os vertebrados tetrápodes, grupo que inclui anfíbios, répteis, aves e mamíferos,surgiram de uma linhagem de peixes ósseos, os sarcopterígeos. A evolução dos peixes corresponde ao aparecimento de inúmeros avanços na história dos vertebrados.

Importância Evolutiva dos Peixes

O plano básico corpóreo dos vertebrados foi primeiramente estabelecido no ancestral comum de todos os vertebrados. A característica mais importante foi a evolução de células ósseas e o surgimento do primeiro endosqueleto. A coluna vertebral substituiu a notocorda como o principal eixo de sustentação da maioria dos vertebrados adultos e forneceu amparo para o crânio, muitos músculos e anexos.

Com o cérebro e a medula espinhal fechados e protegidos dentro do crânio e da coluna vertebral, respectivamente, os primeiros peixes foram os primeiros animais a abrigar o sistema nervoso central protegido e separado do resto do corpo. A evolução e o surgimento de órgãos dos sentidos especializados em olfato, paladar e audição foi possível com a presença de um cérebro tripartido. Outras inovações sensoriais incluem um ouvido interno e externo, com canais semicirculares, um sistema eletrossensorial, um sistema sensorial presente em uma linha lateral e olhos musculares.

Importância Evolutiva dos Peixes
Importância Evolutiva dos Peixes

O desenvolvimento de mandíbulas com dentes permitiu a predação de alimentos vivos, ativos de grandes proporções. A presença desses órgãos deu origem a um sistema predador-presa que se tornou um importante elemento modelador da ecologia e da evolução dos vertebrados através dos tempos.

A evolução e surgimento de barbatanas peitorais e pélvicas, sustentadas pelas cinturas pélvica e escapular permitiu a realização de manobras complexas e tornaram-se os precursores dos membros de vertebrados tetrápodes.

Uma vez que a vida de um peixe está intrinsecamente ligada às características de seu corpo, os peixes apresentam muitas novidades e adaptações fisiológicas que permitiram que esses animais invadissem todos os tipos de habitat aquático. O surgimento de pulmões e a capacidade de engolir ar nos primeiros peixes com nadadeiras lobadas permitiram entrada limitada a habitats semiterrestes, preparando a invasão terrestre e a evolução dos tetrápodes.

Características Gerais dos Peixes

Ao dominar os problemas ambientais dos habitats em que viviam, os primeiros peixes desenvolveram um plano corporal e um conjunto de estratégias fisiológicas que moldou e guiou a evolução de seus descendentes. Os peixes são bastante heterogêneos, mas algumas características em comum revelam a conexão entre a morfologia e fisiologia dos peixes com seu habitat:

  • Bexiga natatória: os peixes estão inseridos em um meio que é 800 vezes mais denso que o ar e podem permanecer imóveis, variando sua flutuabilidade pela adição ou remoção de ar de uma estrutura denominada bexiga natatória. Por meio desse órgão, o peixe controle da sua densidade relativa. A bexiga natatória constitui um saco impermeável aos gases que se expande ou se contrai de acordo com a pressão
  • Nadadeiras: os peixes podem disparar velozmente para frente ou em ângulos usando suas nadadeiras como freios e lemes. As nadadeiras são órgãos de locomoção, formadas por extensões de derme sustentadas por raios ou espinhos. Os peixes podem apresentar nadadeiras dorsais, anais, caudais, pélvicas e peitorais.
Características Gerais dos Peixes
Características Gerais dos Peixes
  • Linha lateral: os peixes apresentam excelentes sentidos olfativos e visuais e um sistema de linha lateral único que permite a detecção de correntes de água e vibrações, orientando o animal. A linha lateral é formada por uma linha longitudinal de escamas perfuradas com ligação com o sistema nervoso.
  • Brânquias: as brânquias constituem um dos dispositivos mais eficazes do reino animal, sendo capazes de extrair oxigênio de um meio que contém menos de 1/20 do oxigênio presente no ar. Com exceção dos peixes pulmonados, todas as outras espécies respiram através de brânquias.

Os peixes ainda apresentam excelentes órgãos para remoção do excesso de sal e troca de água, podendo sintonizar seu corpo de acordo com a composição fluida no ambiente em que vive, seja água doce ou água do mar.

Diversidade de Peixes 

Cinco classes de peixes são reconhecidas. A classe Myxini inclui peixes mais derivados que não apresentam mandíbula, como o peixe-bruxa. A classe Cephalaspidomorphi também inclui espécies derivadas, como as lampreias, que apresentam forma do corpo semelhante à enguia, sem barbatanas emparelhadas. Apresentam um esqueleto cartilaginoso, uma notocorda que persiste ao longo da vida e uma boca adaptada à sucção e mordidas.

A classe Chondrichthyes inclui os tubarões, raias e quimeras. Constituem um grupo de espécies com esqueleto cartilaginoso, barbatanas com excelente sistemas sensorial e um hábito ativo e caracteristicamente predador.

Os peixes ósseos são os Osteichthyes e podem ser divididos em duas classes de peixes. As espécies da classe Sarcopterygii são peixes de nadadeira lobada, representados hoje por peixes pulmonados e os celacantos. Os vertebrados terrestres surgiram de uma linhagem deste grupo. Já espécies da classe Actinopterygii são os peixes de nadadeira raiada, grupo enorme e diversificado que contém quase todas as espécies de peixes de água doce e marinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *