Home / Informações / Alimentação dos Pulgões: O que Eles Comem?

Alimentação dos Pulgões: O que Eles Comem?

Os donos de fazendas e até mesmo aquela dona de casa já estão bem acostumados com a presença de pragas nas suas plantações. O problema é que apesar de pequenos e aparentemente inofensivos, esses animais podem causar grande estrago para agricultores, por exemplo. Como é o caso do pulgão. Mesmo com apenas alguns milímetros de comprimento, ele é capaz de prejudicar uma plantação inteira se alguma atitude não for tomada depressa. 

O seu aparecimento está relacionado a duas coisas: escassez de nutrientes e comida. Toda praga só ataca uma planta se esta apresentar algum tipo de escassez nutritivo. Falta ou excesso de água, solo muito úmido, até mesmo a forma como a terra foi tratada pode favorecer o aparecimento desses indivíduos. O segundo motivo é simples, uma questão de sobrevivência: comida! O pulgão se alimenta da seiva das plantas, por isso que ele as ataca. O problema é que quando ele perfura a folhagem com seu aparelho bucal, chamado de estilete, ele não só causa doenças por si só na vegetação, como ainda abre espaço para outras mazelas, como o aparecimento de fungos, que podem levar toda a colheita a morte. Ele ainda transfere essa toxinas para outros vegetais saudáveis, fazendo com que isso se espalhe em toda a plantação, causando grandes prejuízos aos empresários. Por isso é tão importante ficar atento ao seu aparecimento mas, principalmente, trabalhar nas prevenções para evitar que os pulgões surjam. 

Pulgões
Pulgões

E seu ataque traz ainda mais uma preocupação ao agricultor: o afídeo é protegido pela formiga, inclusive de seus predadores naturais, como a joaninha. O maior predador dos pulgões. Ou seja, causando um dupla preocupação. Aliás, sabia que além de proteger, as formigas criam colônias desses animais? É muito comum achar pulgões em formigueiros. Estes ainda incentivam o piolho e as  direciona para outras partes da planta. Por isso o pulgão é chamado de vaca-da-formiga. Muitas vezes, a rainha leve alguns ovos do indivíduo para novos formigueiros, para criar uma geração desses bichos neste outro local. A relação entre os dois insetos é assustadoramente incrível. 

E isso não acontece só porque a formiga é boazinha. Na verdade, existe uma dependência entre as duas. Enquanto o pulgão depende da proteção dessa criatura para não morrer, a formiga o protege porque o piolho secreta uma substância açucarada chamada de honeydew, da qual essas cortadoras de plantas se alimentam. Ou seja, é uma via de mão dupla, com um beneficiando o outro.

Formas de evitar o pulgão e outras pragas 

Como dito, o aparecimento de pragas tanto em grandes plantações quanto em pequenos jardins e hortas é algo recorrente, mas que pode ser evitado se você ficar atento a algumas coisas e colocar em prática, outras. 

Cuidando do solo

Se algum nutriente estiver faltando, a própria planta lhe falará isso. Mas antes de chegar a esse ponto, é possível tomar algumas atitudes, como cuidar adequadamente do solo. 

Se você não cuida da terra onde seus itens estão plantados, isso pode causar, por exemplo, a falta de nutrientes necessários, que são retirados dessa substância.

Uma terra saudável significa uma planta saudável. Se este não for o caso, além de ajudar na proliferação de pragas, esta ficará doente. 

Por isso, além de regar, adube o solo, assim você o mantém fértil. Não esqueça de cobri-lo com algumas vegetações, como capim e folhas secas, isso faz com que a região tenha mais umidade. 

Regando as plantas pela manhã 

Pode parecer algo sem importância, mas é essencial que você regue os vegetais pela manhã. Isso porque o excesso da água terá o dia todo para se espalhar pela terra ou secar. Outro fator importante é não molhar as folhas, apenas o solo. A folhagem molhada pode atrair fungos. 

Diversidade 

Outra dica importante para manter os pulgões longe, assim como outras pragas, é ter uma diversidade de folhagem na sua horta. Como alguns indivíduos se atraem especificamente por um tipo de vegetal, a variedade impede que ele se alastre por todo o jardim.

Além disso, algumas plantas são inimigas de bichos que atacam outras espécies. Seria como um inseticida natural. 

Não elimine os insetos 

Caso veja abelhas, joaninhas ou minhocas na sua horta, não os matem. Esses animais têm um papel muito importante neste ambiente. 

Retire as ervas daninhas 

É essencial eliminar as ervas daninhas assim que identificá-las. Elas abrem caminho para doenças parasitárias, que podem levar toda a sua plantação a morte. 

Deixe as plantas espontâneas 

Assim como é essencial saber identificar as daninhas, é igualmente importante saber quais plantas nasceram de forma espontânea. Além destas não serem prejudiciais, elas acabam atraindo as pragas para si, evitando que os animais ataquem a sua horta caseira. Algumas são até comestíveis, então, não tem problema deixá-las por lá. 

Invista nos canteiros 

É possível construir bons canteiros com apenas alguns pedaços de madeira. Além de proporcionar um visual mais bonito, você impede que insetos terrestres cheguem até suas flores. 

Opte por pesticidas naturais 

Pesticidas naturais são sempre uma boa opção, tanto para controlar quanto para eliminar pragas. Alecrim, manjericão, cebola e alho são alguns itens que você pode usar, já que eles produzem um aroma repulsivo para esses animais. 

Pesticida para pulgões
Pesticida para pulgões

Plante vegetais repelentes e atrativos 

Como dito, os insetos, como os pulgões, podem ser afastados com as próprias plantas, só é preciso saber quais. Hortelã, citronela e crisântemo são uma boa opção. Isso afastará os bichos. Já as atrativas servem para chamar atenção desses indivíduos para si, tirando todos os “olhos” da horta. Você pode plantar estes tanto dentro ou fora do jardim, como preferir. A capuchinha faz muito bem esse serviço. 

Utilize cobertura morta 

A cobertura com ingredientes mortos são capazes não só de afastar os pulgões, como evita o crescimento de daninhas e ainda melhora a qualidade do solo. Você pode usar palha, ela retém a umidade e mantém a temperatura da terra. Outra opção são folhas secas, que formam uma camada de matéria orgânica que se mistura ao chão, esse processo ocorre durante sua decomposição. 

Muitas vezes essa pode não ser a realidade de uma grande plantação devido a quantidade de pragas, mas os inseticidas artificiais devem sempre ser a última opção por motivos óbvios. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *