Home / Informações / Abutres: Curiosidades, Habitat e Filhotes

Abutres: Curiosidades, Habitat e Filhotes

Abutres, esta palavra não nos remete a algo muito bom, não é mesmo? Logo nos vem a mente aquelas aves de aspecto um pouco peculiar que se alimentam de restos de animais mortos e lixo.

Esta ave vive a séculos em nosso planeta, ocupando vários continentes e tendo se subdividido em algumas espécies. O abutre é um animal simbólico para muitas culturas mais antigas. Um simbolismo um tanto que contraditório, por estar relacionado tanto com a vida, como com a morte.

Para terem uma ideia na cultura Maia, o abutre simbolizava a morte, mas também a regeneração das forças vitais, por sobreviver se alimentando de outros seres vivos. A ave é também relacionada ao fogo celestial, tanto que para tribos indígenas antigas da Americana do Sul ele tinha o poder do fogo, sabedoria e pureza.

Já para a cultura do antigo Egito, o abutre era relacionado a abundância e a fertilidade, representando assim o que consideravam o ciclo de transmutação da vida e da morte. Incrível, não é? Acho que sua percepção sobre estas aves pode mudar. Mas vamos lá, que tem muito mais para se conhecer.

Abutres
Abutres 

Características gerias do Abutre:

O terno popular abutre, é usado para denominar aves falconiformes, que pertencem à família Accipitridae e que apresenta hábitos necrofágicos (alimenta-se de carne morta), conhecido também como abutres-do-velho-mundo.

Os abutres fazem parte do grupo que engloba as aves de rapina. Estas aves tem como característica peculiar um pescoço longo sem penas, ou então é apenas coberto com uma plumagem curta. Os abutres também possuem um bico forte e curvo adaptado exatamente para arrancar o couro dos herbívoros mortos. Além de ter uma visão muito apurada para achar seu alimento por grandes extensões de terra, podendo ficar voando por horas.

É importante também destacar que dentro da população de abutres há uma organização social bem rígida que se baseia na força do seu bico e no tamanho da ave, ou seja, quanto maior e mais forte, maior sua posição social.

O abutre é amplamente distribuído em regiões tropicais e temperadas de nosso mundo, não sendo visto apenas em locais como Austrália e nas ilhas oceânicas. Algumas espécies são mais conhecidas e notáveis, e são destas que irei falar um pouco mais, curioso? Então vamos lá.

Espécies de Abutres: 

Existem várias espécies, mas as que vou mencionar são: o abutre-negro (Aegypius monachus); abutre-barbudo (Gypaetus barbatus); o abutre-real (Torgos tracheliotos); o abutre-fouveiro (Gyps fulvus) e o abutre-do-egito (Neophron percnopterus).

Começando com o conhecido popularmente como Abutre-negro, é denominado cientificamente como Aegypius monachus. Pertencente ao gênero Aegypius, o abutre-preto é uma ave que pode atingir de 100 a 110 cm (centímetros) de comprimento e alcançar incríveis 250 a 290 cm de envergadura. Como seu nome popular já sugere, sua plumagem é escura, quase negras. Sua cabeça é desprovida de penas, possuindo alguns tufos de penas em seu pescoço. Sua cauda tem como características ser mais pontiaguda, mantendo suas asas levemente curvadas para baixo. Sua alimentação baseia-se em carcaças de ovelhas, vacas, cabras, coelhos e cervídeos. Sobre sua reprodução, os abutres alcançam a maturidade sexual entre 3 a 6 anos de idade. Após escolher um parceiro fixo por muito tempo, os abutres-pretos, costumam construir seus ninhos em topos de arvores na época de janeiro, e a fêmea põe no geral apenas um ovo entre fevereiro e abril, incubando-o por aproximadamente 50 a 55 dias seguintes. Em seguida, o filhote leva em torno de 95 a 120 dias para conseguir se tornar independente e deixar o ninho dos pais.

Abutre-negro
Abutre-negro

Já o popularmente chamado de Abutre-barbudo (Gypaetus barbatus), também chamado de “quebra-ossos” e de “abutre-dos-cordeiros”, diferentemente de seus parentes, possui penas tanto na cabeça como no pescoço. Ele pode atingir em média 1,10 metros de comprimento e de 2,75 a 3,08 de envergadura e pesar 12 Kg. Sua preferência alimentar é bem específica, optando em sua maioria por se alimentar de ossos, engolindo-os inteiros ou então jogando-os para quebra-lo e aproveitar a fonte de proteína que é a medula óssea. Esta espécie curiosamente sofre uma série de transformações em sua plumagem ao longo de seus dois ciclos de vida, começando quando filhotes. Um primeiro vai desde o primeiro ano de vida até o 4º. Enquanto o segundo ciclo pode partir do 3º ano até o 7º ano de vida da ave. O abutre- barbudo, prefere viver em locais montanhosos e longe de construções humanas, sendo visto em regiões da Espanha, por exemplo, apenas de seu atual número pequeno de indivíduos.

Abutre-barbudo
Abutre-barbudo

O Abutre-real (Torgos tracheliotos), também conhecido como Abutre-torgo apresenta características físicas bem especificas que facilitam seu reconhecimento, como sua cabeça ser sem penas e possuir uma coloração avermelhada e face enrugada. Ele pode alcançar 1,15 cm de comprimento e pesar em torno 9,5 Kg. Sua envergadura pode ultrapassar os 2,8 cm de comprimento, dependendo do indivíduo.

Sua característica “despenada” lhe proporciona a capacidade de enfiar a cabeça dentro de grandes carcaças abatidas por outros predadores. Comportamento este, de roubar e se aproveitar das carcaças de outros animais, que o tornou tão eficiente e promissor. Para caça esta ave prefere sobrevoar sempre áreas abertas, enquanto seus ninhos ficam em topos de arvores robustas e altas.

Abutre-real
Abutre-real

Falando em seguida do Abutre-fouveiro (Gyps fulvus), também chamado de “grifo-comum”, faz parte do gênero Gyps. Esta ave de cabeça sem penas e pescoço penugento de cor clara, pode alcançar de 230 a 270 de envergadura e medir de 95 a 105 cm de comprimento. Tem como outra característica também as asas com suas penas voltadas para cima e de cor preta, enquanto que o resto do corpo apresenta uma coloração acastanhada. O abutre se alimenta de tecidos moles de mamíferos de grande e médio porte que encontra mortos, optando sempre por áreas desflorestadas, com campos bem abertos para poder avistar seu alimento. Visto em regiões de Portugal, está espécie de abutre costuma de acasalar nos períodos de dezembro e janeiro, quando começa a época de postura, onde a fêmea em seu ninho entre fendas e cavidades rochosas, deposita seu único ovo, que incubará por aproximadamente 52 dias.

Abutre-fouveiro
Abutre-fouveiro

Por fim, mas não menos importante temos o Abutre-do-Egito (Neophron percnopterus), considerado um dos menores abutres europeus, alcançando apenas entre 60 a 65 cm de comprimento e uma envergadura de 150 a 170 cm. A ave possui uma plumagem branca e asas de cor preta, enquanto que sua cabeça, também desprovida de penas tem um tom amarelado. Seu bico é fino e comprido. Os mais jovens por outro lado apresentam uma coloração mais rósea na cabeça e plumagem castanha.

Sua alimentação, diferente de seus parentes, é um pouco mais variada, baseando-se de carcaças, mas também de detritos orgânicos. Esta espécie é monogâmica e solitária, optando por habitar locais abertos ou semiabertos, próximos a encostas rochosas, onde costumas fazer seus ninhos. Outra característica curiosa do abutre-do-Egito, é que diferentemente da maioria, a fêmea deposita dois ovos ao invés de apenas um, incubando-os por cerca de 42 dias.

Abutre-do-Egito

Curiosidades:

  1. Tirando o abutre-do-Egito, dificilmente as fêmeas das outras espécies depositam mais de um ovo, e quando acontece, os dois filhotes lutam entre si, se sobressaindo o mais forte.
  2. Os abutres são divididos em abutres do velho mundo e os abutres do novo mundo. Estes são os conhecidos urubus e os condores, presentes nas Américas. Já os do velho mundo são os abutres mencionados acima, e não, os grupos não são parentes próximos, apesar das características parecidas.
  3. Seus filhotes tendem a demorar mais tempo para amadurecer que a maioria das outras aves. E eles recebem alimento dos seus pais, atrás da regurgitação feita pelos mesmos já que não conseguem carregar o alimento em suas patas.

Referências:

  1. https://escola.britannica.com.br/artigo/abutre/482821
  2. https://www.infoescola.com/aves/abutre/
  3. https://www.dicionariodesimbolos.com.br/abutre/
  4. http://www.megatimes.com.br/2013/07/abutre-especies-de-abutres.html
  5. http://blogavesderapina.blogspot.com/2011/10/o-abutre.html
  6. http://almargem.org/biodiv/especie/aegypius-monachus/
  7. https://meusanimais.com.br/o-abutre-barbudo-caracteristicas-e-curiosidades/
  8. http://almargem.org/biodiv/especie/gyps-fulvus/
  9. http://almargem.org/biodiv/especie/neophron-percnopterus/
  10. http://www.avesdeportugal.info/neoper.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *