Home / Curiosidades / Tudo Sobre a Transmissão da Dengue

Tudo Sobre a Transmissão da Dengue

A Dengue é um problema de saúde generalizado e que por mais de haverem muitas campanhas de combate à doença, a transmissão da Dengue ainda ocorre com muita frequência no Brasil.

Não somente saber como prevenir é importante como também conhecer mais sobre a doença e como identificar, afinal de contas, quanto mais cedo se diagnosticar maiores são as chances de tratamento.

Se você quer saber mais sobre a transmissão da Dengue e características da doença hoje vamos te mostrar tudo sobre a transmissão da Dengue.

A origem da Dengue

A dengue é uma doença infecciosa aguda que é causada pela infecção de um Flavivirus conhecido como Dengue. No Brasil, sua transmissão acontece principalmente pelo mosquito Aedes aegypti.

O primeiro caso da dengue no brasil foi registrado há mais de trezentos anos, em 1685, na cidade de recife.

A doença começou a ter repercussão em 1692, quando uma endemia de dengue em Salvador, na Bahia, matou mais de 2000 (duas mil) mortes.

Transmissão da Dengue
Transmissão da Dengue

Já em 1846, o mosquito ficou conhecido em razão de sucessões de endemias que estavam acontecendo pelo Brasil afora, e foi somente em 1903, que Oswaldo Cruz, que na época era diretor geral de saúde pública brasileiro, deu o pontapé inicial ao combate à Dengue no Brasil.

Depois de anos de combate à doença, na década de cinquenta, houve um anúncio em que a Dengue estava totalmente erradicada do país, no entanto, após alguns anos ela reapareceu causando outros surtos e endemias pelo país. E especialmente em 2006 a enfermidade retornou com força registrando o alto número de 279.241 casos somente naquele ano.

Desde então campanhas são feitas em território nacional, principalmente nos estados do sudeste onde a incidência de Dengue é a maior do país, para que haja combate ao mosquito e conscientização das pessoas para impedir a proliferação do agente transmissor.

Vetores e transmissão

A transmissão da Dengue é dada através da picada dos mosquitos que estão infectados pela doença. Os mosquitos vetores são todos do gênero Aedes, sendo o Aedes aegypti e Aedes albopictus os mais conhecidos.

O Aedes aegypti, o mais conhecido transmissor da dengue no Brasil, é proveniente das terras africanas e atualmente está distribuído por território mundial, em todos os lugares com clima tropical.

Este inseto é adaptado para viver em zonas urbanas, e consegue utilizar-se de casas e apartamentos para pôr seus ovos em água limpa e parada.

O grande problema em relação à dengue são as fêmeas. Isto porque a fêmea se reproduz tanto em água limpa e parada como também em águas poluídas e sujas, como a dos esgotos por exemplo.

Um ponto a se considerar também, é que as larvas provenientes dos ovos eclodidos são sensíveis à alta luminosidade e por isso, colocar os ovos em águas turvas pode ser uma boa opção.

Transmissão

A transmissão da dengue acontece pela picada do mosquito no momento da hematofagia, isto é, quando o mosquito sai para se alimentar de sangue humano.

A fêmea quando deposita os ovos não fica no local, então os ovos eclodem e as larvas ficam cerca de uma semana em água até que consigam sair em forma de mosquitos adultos.

Após este fenômeno eles saem para se alimentar, ainda ai, não estam infectados com o vírus da dengue, para que isso ocorra, é preciso que o mosquito pique alguém que possui o vírus para se infectar também e então transmiti-lo para outras pessoas.

Vale ressaltar que a transmissão da dengue não ocorre em lugares com clima muito frio (abaixo de 16 graus), pois o mosquito prefere áreas tropicais e subtropicais, no qual o clima gira em torno de 27 a 35 graus celsius rotineiramente.

Atualmente, se conhecem quatro tipos de dengue: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Dessa forma, uma mesma pessoa pode pegar até no máximo quatro vezes dengue. No entanto, após um segundo ou terceiro contato com o vírus, a chance de se contrair as formas mais graves, como dengue hemorrágica, por exemplo, são aumentadas.

Principais sintomas

Uma coisa curiosa da doença é que ela pode ser assintomática, leve ou grave que pode ocasionar a morte do indivíduo.

O primeiro sinal de que a pessoa pode estar com dengue é a febre alta de 39º a 40º C. A febre inicia abruptamente, isto é, de uma hora para outra e pode durar de 2 a 7 dias intermitentes.

Além da febre, outros sintomas comuns são dor de cabeça; dores nos corpo, principalmente nas articulações; fraqueza muscular; dor atrás dos olhos; erupções cutâneas e coceira na pele.

A forma grave da doença, adiciona a todos estes sintomas, dores agudas na região do abdome e portanto, provoca vômitos e sangramento das mucosas.

Medidas profiláticas (prevenção)

A melhor forma de se prevenir a dengue é evitar que o mosquito possa se proliferar. Para isso, a eliminação de água parada que pode estar armazenada em recipientes em nossas próprias casas é fundamental para que não haja criadouro.

Vale sempre observar, após período de chuvas os vasos de plantas, galões de água, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso ou que não tenha manutenção regular, tanques e outros lugares que podem armazenar água parada.

Uma recomendação do ministério da saúde, é que se use repelente quando possível para minimizar a possibilidade de entrar em contato com o mosquito, mas como muitas grávidas não podem usar estes produtos, é recomendado que se use roupas um pouco mais longas e que não deixe a vista o corpo durante o dia, que é o período em que o mosquito é mais ativo.

O período em que a dengue é mais endêmico é verão, devido ao fator climático ser mais propício para o mosquito.

Uma duvida frequente é se a dengue pode ser transmitida de uma pessoa para outra, e a resposta é NÃO!. A dengue até onde se sabe, somente pode ser transmitida através da picada do mosquito. Casos em que, muitas pessoas de um mesmo local ficarem doentes juntos não quer dizer que alguém ali passou a doença, mas sim que pode haver um foco do mosquito por perto.

De qualquer maneira, vale sempre o conselho, prevenir é melhor do que remediar, e com dengue não se brinca!

Espero que tenham gostado 🙂

 

Fontes:

Fiocruz Bio

Fiocruz Ioc

Saúde GOV

Dengue

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *